Publicidade

Publicidade
28/09/2009 - 12:01

Por que os circos utilizam rede de segurança

Compartilhe: Twitter

A intenção era fazer com que o ‘homem-bala’ fosse arremessado até a rede de segurança. Infelizmente o tiro não saiu como o esperado…

Autor: - Categoria(s): fail, Video Tags: , , ,

Ver todas as notas

18 comentários para “Por que os circos utilizam rede de segurança”

  1. Andre says:

    Aff…
    tinha q ser gringo msm pra faser uma merda dessas

  2. Daniel says:

    fazendo merda q se aduba a vida..

  3. LicO says:

    Ta mas e ai? o cara morreu? só fraturou alguma coisa? Conseguiu se encostar no INSS? kkkk só digo uma coisa I DAI????

  4. Bermuda says:

    Senhoras e Senhores com vcs os palhaços!!!! huhauhuahuhauhuahuhauhuahuha

  5. Alex-Chess says:

    ow ONEberto

    como tiro essa imagenzinha (rosa) de gay do meu nick??

    ¬¬

  6. Assembly says:

    Faltou polvora no canhão!!!
    🙂

  7. Ahahahah says:

    Impressionante.

  8. Zezão says:

    É mais seguro usar animais nesses tipos de truques, assim pessoas não correm o risco de se ferir.

  9. Luciano Walter says:

    Humberto,
    Parabéns pelo teu trabalho (voluntário). Este site é mesmo muito bom. Apesar de ter alguns cometários depreciativos, normalmente feito por incapazes, o teu talento está acima desta pouca homenagem.
    Os teus comentários são sempre neutros e com margem para que os leitores façam a sua própria interpretação.
    Um abração,
    Luciano Walter

  10. A coisa esquentou por aqui!!!!!

  11. Msc.MOZART! says:

    “UM DIA DÁ MERDA!!!!1

    (XABOO)

  12. André G says:

    Essa doeu !! uaueahaeiuh

  13. Mestre dos magos says:

    Dai que surgiu o ditado:

    O tiro saiu pela culatra

Deixe um comentário:

Antes de escrever seu comentário, lembre-se: o iG não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!

Os campos com * são de preenchimento obrigatório







Voltar ao topo