Publicidade

Publicidade
06/10/2011 - 00:03

"Enter Sandman", do Metallica, tocada por crianças

Compartilhe: Twitter

Apesar da aparência, estes garotos, que têm entre 8 e 10 anos, são responsáveis pela reprodução de diversos sucessos musicais e já pintam como novas estrelas do Reino Unido.

Batizada de “The Mini Band“, a banda das crianças é composta por Zoe Thomson, Harry Jackson e Kieran Fell, nas guitarras; Harrison Read, no vocal; Archie, no baixo e Charlie Emmons na bateria.

Mais informações, no Facebook deles.

Autor: - Categoria(s): Incrivel, Video Tags: , , , , ,

Ver todas as notas

25 comentários para “"Enter Sandman", do Metallica, tocada por crianças”

  1. taketk says:

    Tirando o vocalista, ficou legal.

  2. Mario says:

    Baterista bom leva qualquer banda nas costas

  3. Rafaella says:

    hoje em dia infelizmente qualquer um ta tocando metallica,pega uma guitarra monta uma banda e acha que vai fazer sucesso…affff igual restart….mas ate que os guris sao bons….

    • Fernando says:

      deixa os mlk brinca

    • fabin says:

      deixa os mlk brinca [2]
      Deixe os moleques brincarem (digitando mais corretamente). ¬¬
      .
      Tinham que dar uma distorcida na voz do vocalista, muito voz de baby. Mas ficou legal.

  4. DaviNunkFoiSanto says:

    O mundo ainda tem jeito….

  5. Bruno says:

    Aí Restart , presta atenção nos meninos…aprende como se faz

  6. Andeson Barone says:

    Isso me dá esperanças de um futuro menos colorido…

  7. Tulio says:

    bem melhor que se tivessem tocando restart xD
    Isso me dá esperanças de um futuro menos colorido…²
    “bem menos colorido pelo amor de Deus!!!”

  8. Rei says:

    só Jesus pra salvar eles!

  9. DenPeter says:

    O que o Macaulay Culkin tá fazendo aí, mais merda?

  10. rfcarv says:

    O pior é que nego ainda reclama… como tem mala nesse mundo.

    Os muleque tao fazendo um som. Quem disse que eles tão querendo ficar famosos?

    Outra… é tudo criança…vc acha que ia ter a voz de adulto? Nessa idade vc tava fazendo o que? No mínimo dentro do ap soltando pipa no ventilador…

  11. leo says:

    Isso me dá esperanças de um futuro menos colorido…

    haha
    gostei mto.

    mto raro mesmo ver criança nessa idade e com ótimo gosto musical.

  12. William says:

    Só falta o menininho aprender a cantar, aí sim eles ficarão bons….

  13. q vergonha brasil says:

    enquanto na inglaterra temos esse metaleiros mirins ,no brasil temos o RESTART

  14. Abreu says:

    sacanagem só mostrar o baixista no final. hehe
    isso que é ruim de ser baixista hehe

    • Grieves says:

      huauauah
      Tava Procurando o baixista o vídeo todo e só vi ele no final mesmo.
      Os muleques tocam bem pra caramba. Ainda temos esperança nesse mundo.

  15. Purple says:

    Tocam melhor que os “músicos” do Legião Urbana. FATO! 😉

  16. wellington says:

    É pode ser que o vocalista não seje bom…que o baterista carregue nas costa…mas quando vc tinha a idade deles vcs não tocavam assim…bando de troxa…e nem curtia rock assim…

  17. JJ says:

    Ae os meninos levaram muito bem, a voz do guri éoq dá autenticidade, eles são criança e isso qdeixa melhor o baguio hehehehehe, agora já posso ter filhos, haverá futuro preles.

  18. Danni Rolim says:

    menos colorido UP

  19. pampa says:

    São fraco no vocal, e ai o funk brasileiro consegue ser pior.

  20. quicy jones says:

    Até agora só ví os despeitados falando do sons da gurizada. Tem gente que falou mal aqui que tem o dobro da idade deles e não faz nem metade do que leles fizeram. Quero ver marmanjo fazer o solo qua a garotinha fez no vídeo. Tem gente sem talento que não admite alguém melhor, daí fica falando mal. Prefiro o som desses muleques á ouvir restart. Tá loko!

Deixe um comentário:

Antes de escrever seu comentário, lembre-se: o iG não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!

Os campos com * são de preenchimento obrigatório







Voltar ao topo