Publicidade

Publicidade
27/02/2013 - 00:07

Empresa japonesa demole prédio encolhendo-o

Compartilhe: Twitter

Uma empresa japonesa desenvolveu uma técnica de demolição incrível. Ao invés de dinamitar o prédio, eles vão encurtando-o gradativamente, fazendo ficar menor de cima para baixo.

Basicamente, eles retiram cada um dos pisos do primeiro ao último andar. O entulho é removido por um guidaste, que por sua vez, gera energia para outros equipamentos utilizados no processo.

A ideia é desmanchar o prédio de maneira segura, limpa e ecologicamente correta. No vídeo você entende um pouco como funciona o processo.

Autor: - Categoria(s): Curiosidade, impressionante Tags: , , , ,

Ver todas as notas

10 comentários para “Empresa japonesa demole prédio encolhendo-o”

  1. Jack Noir says:

    R.I.P Godzilla.

  2. fabin says:

    mais fodão que os técnicos que calculam tudo perfeitamente, são os que tem coragem de ficar deibaxo de tantas toneladas suspendidas por uns “macacos”.

  3. Mara Lucia says:

    DemolE?….

  4. Guilherme says:

    Mais facil explodir tudo

  5. aS says:

    Japones é foda, ô raça inteligente.

  6. TOTAL ALIEN says:

    NOVAMENTE ESSA FRESCURA DE ECOLOGICAMENTO CORRETO.
    ASSIM COMO TAMBEM É O PATETICO BORDÃO CRESCIMENTO SUSTENTAVEL………………..

  7. BIG BENGA says:

    A prefeitura de São Paulo fez quase a mesma coisa do Japão, derrubando o antigo prédio São Vito e Mercúrio no Parque Dom Pedro. Primeiramente colocou a máquina pesada no topo do andar pela grua e efetuou a demolição manual.

    Segue o link para saber a história
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Edif%C3%ADcio_S%C3%A3o_Vito

    Abraço

  8. Bruno Andrades says:

    Pra mim é fake!

  9. Prof. Pasquali says:

    O verbo demolir é defectível, ou seja, não se conjuga na terceira pessoa do singular no presente do indicativo. O correto seria “Para demolir prédio, …”.

Deixe um comentário:

Antes de escrever seu comentário, lembre-se: o iG não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!

Os campos com * são de preenchimento obrigatório







Voltar ao topo