Publicidade

Publicidade
31/07/2013 - 07:35

Imagem do Dia: Peste-Gay já apavora São Paulo

Compartilhe: Twitter

imagemdodia_01
A “peste gay”, como assim ficou conhecido o vírus HIV no início da década de 1980 no Brasil.

Os primeiros casos da ainda desconhecida doença foram registrados em 1977/78. No Brasil, o primeiro caso de um portador com o vírus HIV foi em 1980, em São Paulo, mas registrado oficialmente apenas em 1982. Logo a seguir foi identificada a possibilidade também da transmissão por transfusão sanguínea, adotando-se a nomenclatura temporária do termo “Doença dos 5 H” – Homossexuais, Hemofílicos, Haitianos, Heroinômanos (usuários de heroína injetável), Hookers (profissionais do sexo em inglês). O termo “HIV” – Human Immunodeficiency Virus – só foi difundido e oficializado a partir de 1985.

Entre os brasileiros, popularmente a doença acabou sendo conhecida como “peste gay”, por este grupo ter sido identificado, supostamente, como os potenciais transmissores do vírus e terem monopolizado os primeiros casos de infecção. A associação aids/homossexualidade passou a ser tão direta quanto 2+2=4, como comenta um estudioso desta temática no período. Por um lado, o ainda nascente movimento gay se viu fragilizado pela observância desses casos em membros de sua comunidade, por outro lado, o senso comum, apoiados pelos setores mais conservadores da sociedade, viu na AIDS a ratificação, divina ou natural, da condenação dos gays por seus pecados e desvios “contra a natureza”.

Via Imagens Históricas

Autor: - Categoria(s): Imagem do dia Tags: , ,

Ver todas as notas

15 comentários para “Imagem do Dia: Peste-Gay já apavora São Paulo”

  1. Fábio says:

    Sexo anal faz mal pra saúde.

  2. João P. says:

    Apesar de nos sabermos que hiv é uma doença de todos.. os fatos mostra que a grande de mortos por aids são gays.. isso mostra que a promiscuidade no grupo gay é violenta..

  3. Alexandre says:

    HÁ muito anos atrás a mídia já fazia o trabalho de distorcer a verdade, sempre achei desnecessário inventar um apelido para um assunto que exige seriedade. “O que encontramos hoje: “Cura Gay”, “Bolsa Estrupo”, Bolsa Prostituta”, “Bolsa Crack” e entre outros, um meio de chamar a atenção do leitor de uma forma errada.

  4. Paulo says:

    Não entendi a proposta do auto do blog. Jogar a informação acima pura e simplesmente. Deveria ter colocado mais informações a respeito do resultado que o preconceito trouxe.

    Como todos pensavam que apenas podiam ser contaminados, as outras pessoas acabavam por não se precaver. Uma postura totalmente destrutiva no inicio da AIDS. Quantos casos não poderiam ter sido evitados se o preconceito aos gays tivesse sido revisto?

    Mas falar do passado é fácil. Já passou. Ficou a lição para aqueles que se importam em olhar o passado.

    Hoje em dia todo mundo está careca de saber como evitar a AIDS.

  5. divino says:

    ô raça de trem valente é viado, tudo que se fala a respeito ou uma simples menção sobre o assunto vira briga,daí já é preconceito, fico pensando, orgulho gay, com muito prazer,sou feliz assim. então porque não assumem e parem de se preocupar com a opinião de quem não gosta disso?

    • eu says:

      se assim fosse. acontece que a comunidade gay é seriamente afetada pela opinião de quem nao gosta disso, tendo varios direitos vetados e sua segurança ameaçada, uma vez que ja vimos varios casos de espancamento cometidos por heteros que nao gostam disso.

  6. william haddad says:

    o preconceito contra os portadores do vírus HIV permanece até hoje estigmatizando-os ao sexo promíscuo e homossexual, o esclarecimento a educação a conscientização ainda será o melhor remédio para se enfrentar este mal que há 35 vem ceifando vidas indiscriminadamente….bom dia para todos e grato por lerem (PRECAUÇÃO AINDA O MELHOR REMÉDIO CONTRA HIV e DST) PASSEM ADIANTE

  7. Ming says:

    A peste gay sempre vai existir ou vai me dizer que todo gay não é uma peste?!?!?!

  8. Meano Sommas says:

    Simpatia para não pegar AIDS:
    Pegue uma galinha preta (pode ser carijó ou leghorn)
    Vire-a de cabeça para baixo
    Puxe uma pena que fica em torno do forevis dela
    Carregue a pena consigo, colocando no bolso da calça ou da camisa.
    Pronto! Agora você está protegido… Porque quem tem pena do cu não pega aids.

  9. Lucia says:

    Para os vacilões hipócritas aqui vão umas perguntas:

    Todo mundo faz sexo com camisinha sempre?

    E ninguém come cu??

    Então me expliquem porque tantas donas de casa são infectadas!

    Seria o filho viado do vizinho??

  10. Joaquim Carlos Fragoso says:

    Uma coisa é verdade: os primeiros casos, as primeiras mortes ,foi de gay , demorou um certo tempo ,para ,chegar em outras pessoas .e tudo indica que foram eles os transmissores, daí em diante, se espalhou, o nome de peste gay não surgiu por preconceito, era a realidade na época. quer queiram quer não.

  11. Igor says:

    Pode parecer preconceito o termo peste gay, mas no início da década de 80 mais de 90% dos pirtadores do hiv eram homossexuais masculinos. Nos EUA a doença ficou conhecida como câncer gay, que vitimou o músico Patrick Cowley em 82, talvez o primeiro famoso a morrer por conta do vírus. Os homossexuais foram vistos como grupo de risco e são até hoje porque trocam muito de parceiro.

Deixe um comentário:

Antes de escrever seu comentário, lembre-se: o iG não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!

Os campos com * são de preenchimento obrigatório







Voltar ao topo