Publicidade

Publicidade
02/01/2014 - 12:00

O jeito mais inusitado de reanimar um lutador

Compartilhe: Twitter

briga1
Qual a melhor forma de reanimar um lutador que foi nocauteado? Lá na África do Sul a coisa funciona mais ou menos assim…

Via Sedentario

Autor: - Categoria(s): Bizarro, Video Tags: , , ,

Ver todas as notas

18 comentários para “O jeito mais inusitado de reanimar um lutador”

  1. DoAssogue says:

    O cara acordou faz quinze minutos, só não abriu os olhos ainda!

  2. Aston says:

    O mesmo método é utilizado na “Capoeira de Gaúcho”.

  3. Firmo says:

    Mas que p… é essa kkkk

  4. Mike Taixon says:

    Massageando a mangueira do derrotado oooo, a pankada foi mais encimaa hehehe !!

  5. Claudio says:

    rsrsrsrsrsrsrsrsrrs se dependesse de mim pra ele acordar, tava lascado, ia morrer!!!!

  6. guilherme says:

    O cara morreu foi afogado. haha

  7. Eduardo says:

    Serve para aumentar os batimentos cardíacos, é uma forma de reanimar… um tanto quanto inusitada. kk

    • João says:

      Colocar o cara de cabeça pra cima… água fria… punheta… tudo coisas que desviam a circulação do cérebro para outras partes do corpo, aumentando o tempo de inconsciência… Ninguém ali sabia que era só levantar as pernas do cara e pronto???

  8. Fabio says:

    Eles massageiam o pau, pq é onde os africanos tem seus cérebros

  9. Cadu says:

    Fiquei sabendo que milhares de GAUCHOS estão partindo rumo a Africa para aperfeiçoarem a técnica. Segundo eles, chupar é mais eficiente kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  10. Wagner says:

    Vou fingir de desmaiado para minha namorada para ver se funciona!!! huahauhauaahua

  11. Hleal says:

    Vivendo e aprendendo. Fico imaginando se essa moda pega. Ô raça ruim!!!!!!!

  12. jucicrei says:

    tudo viadinho

  13. Hugo says:

    Não entendi, aqui na América do Sul é assim ?

Deixe um comentário:

Antes de escrever seu comentário, lembre-se: o iG não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!

Os campos com * são de preenchimento obrigatório







Voltar ao topo