Publicidade

Publicidade
27/03/2015 - 15:16

Mulher embriagada bate carro, discute com policiais e diz que não pode ser presa por ser “federal”

Compartilhe: Twitter

embriagada

Uma mulher, visivelmente alterada, acabou colidindo seu carro contra um outro veículo e se desentendeu com os policiais. Em meio às ofensas, ela vestiu um jaleco e alegou que os policiais não seria presa porque “era funcionária federal”.

Autor: - Categoria(s): Flagra, Video Tags: , , ,

Ver todas as notas

8 comentários para “Mulher embriagada bate carro, discute com policiais e diz que não pode ser presa por ser “federal””

  1. BIG BENGA says:

    Mulher pagando a vergonha alheira!

  2. jr says:

    Ta certinho o policial quem ela ta pensando que é a Bandilma!!!!
    Quis dar uma carterada no guarda se fodeu!!!!

  3. Giancarlo says:

    Curitiba?

  4. Marcelo says:

    ESSA PINGUÇA FEZ UMA DE MERDA FEDERAL!!!

    Duro mesmo, é sair no youtube e ter que aguentar as piadas para o resto da vida. Depois dessa, eu nem saio mais de casa. To desconfiado que essa PINGUÇA é prima do Leonaldo Gomes de Lima, que mora no bairro do Salgado.

    https://www.youtube.com/watch?v=b3sUz7ei8DA

  5. Tales says:

    Isso aí nos Estados Unidos estaria com a cara no capô e algemada um segundo após descer do carro.
    Só neste país em que vivemos que o policial não pode fazer nada com receio de represálias e perseguições.
    Uma vergonha.
    Parabéns, policiais

  6. Doutor Renato says:

    esse é o nível da educação FEDERAL no Brasil… olha o exemplo dessa “professora”… Brasil, um país de tolos!

  7. Leandro says:

    Se fosse uma pessoa em um carro popular não teria toda essa enrolação, era um rodo, pé no pescoço, algema e camburão.

  8. Carlos Dias Junior says:

    Adoro quando esse tipo de vídeo é divulgado na web… expansão do ridículo, vamos ver se esse comportamento pra ela será tão divertido daqui pra frente.

Deixe um comentário:

Antes de escrever seu comentário, lembre-se: o iG não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!

Os campos com * são de preenchimento obrigatório







Voltar ao topo