Publicidade

Publicidade
22/05/2015 - 00:01

Segurança pede ajuda após ter sua foto divulgada no Whatsapp como autor de estupro

Compartilhe: Twitter

fernando_01

A popularização das redes sociais está sendo encarada com muito otimismo aqui no Brasil. Ela tem sido responsável pela rapidez com que as informações trafegam e permite o fácil acesso a elas. Praticamente, na ponta dos dedos.

Entretanto, este avanço também vem acompanhado de uma série de problemas. A divulgação irresponsável de informações e boatos tem transformado a vida de algumas pessoas em um verdadeiro inferno.

O último episódio tem sido protagonizado pelo segurança José Fernando, após ter sua imagem associada a um estuprador e ver sua foto sendo compartilhada por meio do WhatsApp.

Tudo começou quando uma médica foi sequestrada no estacionamento de um hospital particular de Salvador e violentada sexualmente após sair do trabalho na noite do último dia 15.

Ao se aproximar do seu carro, o marginal a abordou e obrigou que entrasse no seu próprio carro, um Honda Civic. A violência foi praticada no matagal de um bairro afastado da capital baiana.

A vida de José Fernando começou a mudar quando a polícia divulgou um retrato falado do criminoso. Um usuário do Facebook achou Fernando parecido com a imagem divulgada pela polícia e passou a divulgar sua foto no WhatsApp como sendo do criminoso.

O segurança prestou queixa em duas delegacias e fez um desabafo no Facebook, esclarecendo que usaram indevidamente sua imagem e pedindo que as pessoas o ajudassem a esclarecer este mal entendido.

fernando_02

Segundo A Tarde, o real criminoso ainda não foi encontrado pelas autoridades.

Autor: - Categoria(s): Curiosidade Tags: , , ,

Ver todas as notas

6 comentários para “Segurança pede ajuda após ter sua foto divulgada no Whatsapp como autor de estupro”

  1. Astolfo Romário says:

    As redes sociais devem ser usadas para o bem. Esse rapaz aí deve ter feito algo e está sendo zombetado por amigos. Porém a brincadeira foi longe demais. Espero que o ministério público investigue isso.

  2. Paulo says:

    Tenso! Em vez de ligar a polícia, agem em achismos, destruindo a vida dos outros. É igual a mulher que foi morta, porque a confundiram com uma outra, que fazia macumba, sei lá o quê. E nem me venham que esse “a polícia não faz nada”, que se tem esse protocolo justamente para evitar esse tipo de coisa.
    Tecnologia nas mãos de ignorantes é um perigo.

  3. Wagner says:

    O Boato espalha muito rápido… Para o bem, ou para o mal. Seja verdadeiro ou mentira. Eu quando recebo algo, pesquiso fundo e penso muito bem antes de repassar… E em grandes partes das vezes é mentira ou calúnia. Todo mundo deveria fazer isso!

  4. Guilherme says:

    Se cada um de nós checasse as porcarias que recebe antes de “passar para a frente”, já melhoraria muito…

  5. willian says:

    eu não passo mais nada em rede social desaparecido sequestro e etc só se eu fica sabendo pessoalmente de amigos ou conhecido fora isso não .

  6. Adriano says:

    Eu não compartilho essas coisas…melhor 10 bandidos soltos do que 1 inocente morto.

    Lembram daquela mulher que disseram que seria sequestradora de crianças e foi espancada até a morte? Assisti o video e me arrependo até hoje… a imagem do cara batendo com um paralelepído na cabeça dela é chocante.

Deixe um comentário:

Antes de escrever seu comentário, lembre-se: o iG não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!

Os campos com * são de preenchimento obrigatório







Voltar ao topo