Publicidade

Publicidade
08/06/2015 - 00:01

Transformando lixo eletrônico em insetos impressionantes

Compartilhe: Twitter

reciclando_01
A artista plástica Julie Alice Chappell utiliza lixo que normalmente criamos para transformar em insetos impressionantes. Ah, sim, o tal “lixo” é resultado de antigos telefones celulares, máquinas fotográficas, calculadoras e outros eletrônicos. Veja o que acontece.

reciclando_14

reciclando_05

reciclando_06

reciclando_13

reciclando_10

reciclando_07

reciclando_16

reciclando_05

reciclando_17

reciclando_15

reciclando_12

reciclando_11

reciclando_09

reciclando_08

reciclando_04

reciclando_03

reciclando_02

Autor: - Categoria(s): Curiosidade, Fotos Tags: ,

Ver todas as notas

5 comentários para “Transformando lixo eletrônico em insetos impressionantes”

  1. Daniel says:

    O inseto feito com o nokia tijolão é imortal!

  2. The Crow says:

    lixo eletrônico é quando o equipamento não funciona mais. Pegar equipamentos funcionais (como os da 1° foto) é desperdício de recursos, em épocas de consumismo essa atitude é tão ridícula quanto comprar um celular mais moderno, já tendo um que atende a todas as suas necessidades.

    • Guilherme says:

      Lixo eletrônico é o que não funciona mais ou está ultrapassado; no caso, os aparelhos mostrados se enquadram na definição. Agora, se a sociedade de consumo exagera no estímulo à aquisição de novos produtos, tornando artificialmente ultrapassado o que ainda poderia ser utilizado, é outra história…

      • Geyson Monte says:

        Totalmente correta a sua colocação Guilherme!!! E é o que a sociedade faz e se deixa levar. Se me atende perfeitamente não tenho porque me desfazer. Cada um faz o que acha que é melhor para si. Abração!!!

  3. Deise says:

    Esses obras de artes são impressionantes em cada detalhe. É uma ótima maneira de reutilizar os materiais que iriam parar em lixões.

Deixe um comentário:

Antes de escrever seu comentário, lembre-se: o iG não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!

Os campos com * são de preenchimento obrigatório







Voltar ao topo