Publicidade

Publicidade
20/11/2015 - 13:48

Você abraçaria um muçulmano?

Compartilhe: Twitter

abraco

Depois dos atentados terroristas em Paris o mundo voltou os olhos para os muçulmanos. Muitas pessoas desinformadas começaram a enxergá-los como potenciais assassinos, colocando-os na mesma linha de medo que estão os extremistas jihadistas. No entanto, é bom dizer que nem todo muçulmano é terrorista e que é preciso entender essa diferença. Por este motivo, um rapaz muçulmano no centro de Paris vendou os olhos, abriu os braços e pediu que as pessoas dessem um abraço nele como forma de confiança. No cartaz ele escreveu: “Eu confio em você. Você confia em mim? Se sim, me dê um abraço”. Veja as reações.

Autor: - Categoria(s): Video, Wowww Tags:

Ver todas as notas

24 comentários para “Você abraçaria um muçulmano?”

  1. josue says:

    Acontece que o Alcorão diz na lei dos números que os muçulmanos quando minoria devem ser pacíficos, mas quando forem maioria devem impor a lei islâmica e aqueles que se opuserem devem ser mortos e decapitados para servir de exemplo aos outros infiéis.

    • Bruno says:

      isso é verdade e como seguem em sua maioria a risca o Alcorão muitos extremistas são perigoso, não são todos muçulmanos que são perigosos mais muitos deles são extremistas e não aceitam as demais religiões, enquanto a religião existe sempre vai existir extremistas e os pacíficos.

    • JB Costa says:

      A Bíblia dos cristãos tem também vários preceitos que se contextualizados seriam inaplicáveis. Aliás, o Velho Testamento tem de tudo.

      • Juca says:

        JB Costa é o típico canalha que finge ignorar a diferença entre um relato histórico e um texto PRESCRITIVO, para colocar na vala comum o cristianismo e o islão. Até porque todos os dias vemos terroristas cristãos matando, mutilando, sequestrando, explodindo e estuprando gente em nome do cristianismo. Canalha de merda.

    • jefferson nascimento says:

      Tem certeza disso?

  2. Joao says:

    Será que dá para fazer isso lá no meio do mundo árabe? Como cristão, ateu, espírita?

  3. Peterson says:

    Eu não abraçaria. Vou abraçar estranho só pra dar uma de ”sem preconceito”? Dá licença…

  4. Erick Cortês says:

    Muitas pessoas tem pego alguns trechos do Alcorão e colocado com outros sentidos, na Bíblia ou no torá também existem trechos violentos ou com pensamentos preconceituosos.
    Entre os muçulmanos existem várias divisões, temos os xiitas que são bem mais pacíficos em relação ao ocidente, semente tendo problemas com os israelitas.

  5. M. Barros says:

    Não.

  6. Christian says:

    Quando morei na França quase tive que ir pro soco repetida vezes com essa gente. São fingindo, ruins. Passa uma mulher bonitinha na rua mesmo que acompanhada eles fica fazendo KssssKssKrsKrs, parece que querem escarrar; se a mulher não olha eles começam a xingar de puta etc. Uma vez parei num parque publico de uma cidade e dois deles me abordaram, perguntaram se eu tinha cigarro, eu disse que não dai falaram que iriam me bater, perguntei porque e eles falaram que era apenas por diversão porque estavam entediados. Eles tão sempre em duplas ou bandos quando sozinhos são uns covardes. Muçulmanos pra mim é um bando de bosta e eu não abraço bosta. Tenho dupla cidadania e votarei na Marine Le Pen que é do partido nacionalista pra ajudar a fazer minha parte na expulsão desses cretinos e barrar a entrada do resto.

  7. Rodolfo Castelo says:

    Acontece que o islamismo foi criado pelo santo papa.

  8. Ocomentador says:

    Essa moda do politicamente correto ta chegando longe. Agora até o buteco tá caindo na onda do muçulmano coitadinho. A matemática é simples: Segundo pesquisar, de 15 a 25% dos muçulmanos são jihadistas; levando em consideração a atual quantidade de muçulmanos pelo mundo, só de jihadistas, teriamos uma população maior que a americana. Não coloquei os número só para aguçar a curiosidade pela pesquisa. E tem outra: muita gente que não é extremista apoia essas ações. Estamos precisando iniciar novas cruzadas.

  9. mula says:

    eu não!

  10. Taketk says:

    Enquanto o EI estavam conrtando a cabeça e fazendo barbárice no mundo o que eles faziam? So sabiam dizer “Allahu Akbar”.
    Agora que viu que o bicho ta pegando do lado deles vem com essa tal campanha se fazendo de coitadinhos. Largar essa tal religião que o Deus só manda derramar sangue eles não quere né? Quem não são da religião deles para eles são visto como inimigo, mas quando ao contrário eles querem que tenham dó.
    Vai um cristianismo, judaismo, budismo ou qualquer ismo fazer essa campanha de onde eles vieram pra ver se eles vao ser solidarios tabem. E tem gente q ainda cai nessa.

  11. Geyson Monte says:

    Isto é verdade!!! Nem todo muçulmano é terrorista. Imagina se todos aqueles que vão a Meca fossem terroristas. Respeito todas as religiões.

  12. Carlos Dinão says:

    O ser humano é um bicho tão egoísta, cego, imperfeito e complexo que não consegue enxergar que somos todos iguais. Temos duas pernas, dois braços, nariz, duas orelhas, dois olhos, tronco, mas não temos cérebro que funcione adequadamente para entender que vivemos todos juntos em um planeta vagando pelo vasto universo. É tão difícil entender que precisamos conviver uns dos outros?

  13. lasttmode says:

    Fico feliz que a compreensão sobre o islamismo político ta se expandindo. Procurem aprender a respeito, ler o Corao, as Hadiths e a SIra e dai vc fala se o islamismo é pacífico. Tem uma passagem no livro de Harry Richardson – Islamismo sem segredos que resume bem essa historia de Islamismo é religiao de paz, algo como: O Islamismo é a maior religião que o povo acidental fala com absoluta propriedade sem nunca terem lido nada a respeito.
    Quanto ao papo de velho testamento, o novo testamento ta ai pra pregar o amor e a tolerancia. Não saia espalhando merda aos 4 ventos se vc nao se da o trabalho nem de ler o livro completo, por gentileza

Deixe um comentário:

Antes de escrever seu comentário, lembre-se: o iG não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!

Os campos com * são de preenchimento obrigatório







Voltar ao topo