Publicidade

Publicidade
02/06/2017 - 00:04

Desmascarando falsos doentes nas ruas; veja o vídeo

Compartilhe: Twitter

golpe

Não se deixe enganar pelas aparências. Alguns sujeitos estão simplesmente se fazendo passar por doentes nas ruas para aplicarem golpes. Felizmente, a polícia já conhece as manhas e desmascarou dois deles. Dá uma olhada.




Autor: - Categoria(s): Flagra, Fotos, Video Tags: , , ,

Ver todas as notas

9 comentários para “Desmascarando falsos doentes nas ruas; veja o vídeo”

  1. ita junior says:

    Viva o Rio! Ô terrinha fértil pra nascer o que não presta.

  2. Juan Cota says:

    tudo bem que é errado, com um país quebrado ter que dar dinheiro mas por outro lado se ele estivesse com as pernas esticadas mandariam ele trabalhar sendo que nem pra quem é jovem ta facil imagina pra esse senhor?
    devemos ajudar nas nossas condições.

  3. Manuel Portuga says:

    O triste é saber que a justiça brasileira só está a funccionar com os pobres. São miseráveis, estão a enganar com certeza mas e o exemplo de cima? o que aconteceu com vosso grande empresário da JBS? e vossos ex políticos? Sinto muito, mas justiça que serve para apenas uma “casta” social não é justiça. Ou ela ecxiste para todos ou não existe?

  4. matheus says:

    Porra Humberto, esses players nao mano. Caga o pau de qualquer um.

  5. Paulo says:

    Opa. Vamos devagar. Pra quem vai começar com a síndrome do vira-lata, isso é comum na maior parte do mundo, ok? Pense no local mais civilizado. Pensou? Pois tem gente trambiqueira.

    E por pior que esteja a situação do país, não justifica alguém agir desse forma. Se não há trabalho, isso não significa que o comportamento dessas pessoa sé válido.

    E se você ficou com pena, e quer ajudar, procure uma ONG. Investigue se ela é séria, e ajude.

    Não deixe que uma pessoa com esse tipo de comportamento faça com que você deixe de ajudar milhares de pessoas que REALMENTE tem um problema.

    O mundo já tem gente sacana demais. Ficar se lamentando e com medo de ajudar só vai tornar o mundo pior.

    Quando você perde a confiança no ser humano, lembre que você também perdeu a confiança sobre você.

  6. Ki Kuh Bon says:

    Uma sociedade comandada pelos interesses de poucos bilionários, com apoio dos milionários locais, sempre às custas das populações, de exploração, expulsão, criminalização de resistências, mortes e perseguições. Uma sociedade criminosa, um Estado seqüestrado pelas forças econômicas que clamam por desenvolvimento econômico – sem eliminar a miséria, a pobreza, a ignorância e a desinformação das multidões -, que louvam o desenvolvimento tecnológico – devidamente patenteado, negado à maioria e usufruído por minorias privilegiadas. Uma estrutura social baseada na competição, no confronto, na disputa, na busca frenética de lucro, consumo e propriedade, nas mentalidades artificialmente criadas em laboratórios de pensamento e implantadas pela mídia – com o apoio do modelo distorcido e tendencioso imposto ao sistema de educação, que marginaliza professores humanistas e vocacionados, que influencia a própria formação destes de acordo com interesses empresariais. Um modelo social de causar vergonha e revolta a qualquer espírito desejoso de harmonia social e minimamente consciente do que acontece na realidade, naturalmente inconformado com as gritantes injustiças e perversidades naturalizadas e costumeiras no cotidiano coletivo.

    Uma sociedade criadora de “lixo humano”, perpetuadora de “escórias”, criminalizadora das suas próprias vítimas, contadas às centenas de milhões, bilhões em escala planetária.

  7. Celebel says:

    viciados em toxico safados

  8. Joesley safadeza says:

    Nóias sem escrúpulos para lesar outrem, instigados a sofreguidão diante de uma sociedade apática e sinistra que em quase sua maioria necessita de opióides para uma boa chilapa na tarraqueta

Deixe um comentário:

Antes de escrever seu comentário, lembre-se: o iG não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!

Os campos com * são de preenchimento obrigatório







Voltar ao topo