Publicidade

Publicidade
21/09/2017 - 13:26

Veja como construíram o Goro de Mortal Kombat do cinema. Foram mais de 50 kg de equipamentos

Compartilhe: Twitter

goro

Este é o poderoso Goro, de MORTAL KOMBAT, em toda sua glória animatrônica! O boneco foi construído em 1995 para dar vida ao personagem nas telas. Ele usava motores elétricos pesados ​​para movimentar os braços e mais algumas partes do corpo. Ao todo foram 50 quilos de mecanismos, mas o resultado foi bem legal para a época. Hoje, com os recursos tecnológicos, tudo seria bem diferente.



MORTAL KOMBAT Goro Animatronic Suit BTS

Sign up now to be a part of our studioADI newsletter: http://eepurl.com/c1Vncr

The mighty Goro from MORTAL KOMBAT in all his animatronic glory! State of the art in 1995 meant heavy electric motors to drive Goro's upper arms, controlled by a telemetry suit feeding info through an umbilical into the 120-pound hero animatronic suit and early lip synch playback to pre-recorded dialogue. Also some quick cuts of the incredibly patient Martial Arts Trainer and Stunt Coordinator, Pat Johnson, who had worked with such icons as Bruce Lee and Steve McQueen.

Music by: Mike Larrabee

Support practical effects by shopping at http://studioadi.bigcartel.com/products

Twitter: https://twitter.com/thestudioADI
Instagram: @alec_gillis & @tom_woodruffjr

Publicado por studioADI em Terça-feira, 19 de setembro de 2017

Autor: - Categoria(s): Cinema, Video Tags: , , ,

Ver todas as notas

3 comentários para “Veja como construíram o Goro de Mortal Kombat do cinema. Foram mais de 50 kg de equipamentos”

  1. Rever Clay disse:

    MONTAGEM DAS BRABA

  2. Guilherme disse:

    Isso era arte de verdade. Montar os personagens, cenários. Os jovens de hoje em dia nunca saberão a verdadeira arte do cinema.

  3. Rever Clay disse:

    Falou a autoridade em cinema antigo, aqui não amigo!

Deixe um comentário:

Antes de escrever seu comentário, lembre-se: o iG não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!

Os campos com * são de preenchimento obrigatório







Voltar ao topo