Publicidade

Publicidade
17/05/2018 - 10:09

O jeito mais tecnológico de acabar com as abelhas

Compartilhe: Twitter

Pode não ser o meio mais eficaz, mas certamente é o mais tecnológico.



Autor: - Categoria(s): Curiosidade, Video Tags: , , ,

Ver todas as notas

10 comentários para “O jeito mais tecnológico de acabar com as abelhas”

  1. Gustavo says:

    – Isso não é abelha…. é vespa.
    – Jeito mais tecnológico de deixar elas iradas.

  2. sheilo jailson says:

    sao vespas.

  3. Cristiano says:

    Corrige aí… VESPAS.
    Abç.

  4. Jailton Casca Grossa says:

    Abelhas são animais de extrema importância para a vida. Matar abelhas deveria ser crime.

  5. Cher says:

    Queria que alguem chegasse com uma motosserra na casa desse cara e cortasse no meio tb pra ver como é bom.

  6. BNÊ says:

    Quando menino, morando na roça, fazenda, para espantá-las eu e outros fazíamos uma bola de papel com pano na ponta de um pau, bambu enorme de uns 6, 8 metros, tacávamos fogo e chegava a bola cheia de fumaça próximo ao que bastante ingênuos chamávamos de Caixa ou Ninho de Marimbondos. A fumaça espantava elas, não as machucava.

  7. San says:

    Cara muda o título para “Como ser um idiota usando um drone”.

  8. lliwill says:

    desde qnd isso acaba com as vespas ? kkkkkkkkkk mais da metade da casa delas ta la ainda.. quem ja tirou isso sabe q elas vao construir tudo de novo!! besteira

  9. frederik sputmayer says:

    Hoje são vespas, amanhã seres humanos… todos os dias vejo drones voando pelos céus, vigiando as massas, o gado…
    BIG BROTHER IS WATCHING YOU!

  10. Clandestinidade Tobago says:

    Devia serrar a bunda dele com motoserra de lâmina enferrujada esse animal

Deixe um comentário:

Antes de escrever seu comentário, lembre-se: o iG não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!

Os campos com * são de preenchimento obrigatório







Voltar ao topo