Publicidade

Publicidade

12/07/2017 - 00:02

Acredite, ela tem apenas 26 anos

Compartilhe: Twitter

sara-00
Seu nome é Sara Geurts e ela é portadora de uma doença muito rara chamada Síndrome de Dermatosparaxis Ehlers-Danlos (EDS), um distúrbio do tecido conjuntivo que inibe a capacidade do corpo de produzir colágeno. Pode não parecer, mas ela tem apenas 26 anos, mas já possui a aparência de uma mulher bem mais velha.

Mas, o que mais interessa, é que Sara não se deixa abater e tornou-se modelo fotográfico sem se preocupar muito o que as pessoas vão achar sobre sua aparência. Dá uma conferida nas fotos. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Curiosidade, Fotos Tags: , , , ,
10/10/2012 - 00:03

Alergias impedem garoto de frequentar escola e robô vai no seu lugar

Compartilhe: Twitter

O pequeno Devon Carrow-Sperduti, de apenas 7 anos, é um aluno um pouco diferente dos demais. Por sofrer com uma série de alergias, Devon não pode conviver com outras crianças. Sem exageros, o contato com outras crianças poderia levá-lo à morte.

Para não ficar prejudicado nos estudos, Devon, que mora em Buffalo, nos Estados Unidos, utiliza um robô VGO que faz todo o trabalho local. Leia mais »

Autor: - Categoria(s): Curiosidade, Inusitadas Tags: , , , ,
12/06/2009 - 01:45

Garota desenvolve tipo raro de alergia a praticamente todas as coisas

Compartilhe: Twitter

O sorriso no rosto de Molly Harrad nem de longe revela os problemas que a garotinha de 10 anos precisa enfrentar. Ela sofre de um raro caso de “alergia à vida moderna” e não é exagero. Ela tem alergia a uma série de materiais, desde alimentos até um simples carpete.

Curiosamente, o que inglesa come desencadeia uma reação no organismo, o que ela toca oferece resposta semelhante no exterior. Dessa forma, pegar um telefone, manipular moedas ou segurar uma caneta afeta sua pele da mesma maneira.

Para evitar alergias graves e minimizar os problemas a garota tem que usar luvas de algodão o tempo todo, inclusive na cama. Até mesmo um sapato é dispensável, já que nem as palmilhas de couro livram as feridas dos seus pés.

Seus pais explicaram ao jornal Daily Mail que começaram a perceber algo errado quando ela ainda era um bebê. Toda vez que a garota era alimentada com leite, gritava muito. O estômago de Milly estava inchado.

Em seus primeiros dois anos, Molly, que tem uma irmã mais velha e normal, desenvolveu uma série de outras alergias alimentares, incluindo: ovos, soja, glúten, milho e outros frutos, todos posteriormente confirmados pelos médicos. As alergias na pele foram diagnosticadas após seus pais noterem que a maioria dos objetos que ela tocava deixavam marcas vermelhas nas suas mãos.

Ainda sem saber como curar a doença, seus pais declararam: “Disseram que ela ficaria melhor quando ficasse mais velha, mas não é o que acontece.”

Para você ter uma ideia do problema, os pais da garota precisaram modificar totalmente a rotina. Eles mandaram remover todo o carpete da casa e substituí-lo por pisos de madeira, os sofás de couro sintético foram trocados e até mesmo o ar condicionado do carro e seus assentos de couro foram retirados. Suas roupas precisam ser feitas com 100% de algodão, assim como as meias.

Na escola ela tem sua própria geladeira e torradeira. Assim, ela pode ter seu próprio almoço preparado por uma das assistentes, sem precisar entrar em contato com os alimentos que podem desencadear um choque anafilático e parar a sua respiração.

Seu pai disse que está desesperado “Só queremos sair desta situação e termos um novo começo, em vez.”

>> Já acessou o iG Jovem hoje?

Autor: - Categoria(s): Curiosidade Tags: , , ,
Voltar ao topo