:: Mais 11 de Setembro! ::

Quando o trailer de Vôo 93 foi divulgado na Internet, muitos espectadores protestaram contra o diretor Paul Greengrass e o estúdio Universal alegando que os americanos não estavam preparados para reviver os trágicos eventos de 11 de setembro.

Não é para menos. O filme chega para mostrar em tempo real o que realmente aconteceu no dia, especificamente no vôo 93 da United Airlines, que também saiu do aeroporto nas mãos de terroristas.

Ao contrário dos outros três aeroplanos sequestrados, o retratado no longa-metragem nunca atingiu seu alvo. Quando os passageiros souberam que iriam colidir em um ponto estratégico, reagiram às pressões dos terroristas e tentaram mudar o destino do avião, mas os seqüestradores o derrubaram em um campo na Pensilvânia, matando todos os tripulantes. Esta é a história central de Vôo 93, que estréia nos cinemas brasileiros no dia 1º de setembro de 2006.

No entanto, o filme retrata apenas uma das hipóteses da queda como verdadeira. No dia em que os ataques atingiram as duas torres do World Trade Center e uma parte do Pentágono, foi noticiado nos jornais que possivelmente o quarto vôo tinha sido abatido por forças de ação dos Estados Unidos. Entretanto, nenhuma mídia jornalística divulgou a notícia em período prolongado.

Ignorando os possíveis fatos que puderam levar a tragédia, o diretor Greengrass tenta passar emoção aos seus espectadores, e isto pode ser reparado já no trailer, que utiliza muitos diálogos e cenas propositalmente editadas para passar tensão.

O lançamento vem cheio de controvérsias e pode incomodar os conservadores. A sorte dos produtores é que eles estão sendo amparados por um grande estúdio americano, que vai se esforçar em manter o patriotismo da população. É declarada a intenção de mostrar que os passageiros do Vôo 93 tiveram a coragem de enfrentar os terroristas e que isso mudou o destino da história dos Estados Unidos.

Apesar do esforço em “emocionar” a América, o longa-metragem não tem quase nenhuma mensagem política. Até o que foi divulgado, não há questionamentos sobre o que verdadeiramente aconteceu, tampouco reclamações do governo Bush, vigente até hoje.

O drama familiar também recebe a devida atenção, substituindo até mesmo a importância histórica do filme. Ao contrário dos brasileiros, a América do Norte poderá conferir bem antes a estréia de Vôo 93, que deve “pipocar” a mídia durante seu lançamento, alcançando as mais variadas reações.

Fonte: Terra

Mais Postagens
Mais Postagens
Parceiros
Comenta aí, butequeiro!