Cuidado: mais fino notebook do mundo não tem nem gravador de DVD

Ele foi a notícia da semana dos blogs, sites, jornais e afins. O produto mais esperado foi anunciado por Steve Jobs (diretor-executivo da Apple) como o “notebook mais fino do mundo”, segundo o site de tecnologia “Cnet”, que acompanhou o evento ao vivo. O portátil de 1,36 kg tem tela de 13,3 polegadas e 1,93 cm de espessura quando fechado (sua parte mais fina tem espessura de apenas 0,41 cm). A novidade estará disponível nas lojas dos EUA em duas semanas.

Mas nem tudo são flores. Para compactar o laptop, a Apple abriu mão de uma série de recursos de hardware, o que pode não animar a todos.

• Vamos ao mais difícil de conceber: a bateria fica lacrada do lado de dentro. Portanto, você não pode retirá-la durante uma viagem longa, por exemplo.

Esse é um conhecido truque da Apple para poupar o volume da máquina. Assim como no iPod e no iPhone, lacrar a bateria elimina a necessidade de um compartimento a parte, contatos da bateria e uma porta. Mas quando a bateria não segurar mais a carga daqui a alguns anos, você terá de pagar US$ 130 para a Apple instalar uma nova.

• O disco rígido é do mesmo tipo miniatura usado no iPod. Seus 80 GB são mais do que suficientes para documentos, mas um tanto apertados para grandes volumes de fotos e vídeos.

• Assim como na maioria dos ultra-portáteis, o Air também sacrifica a unidade de CD/DVD. Você pode comprar uma unidade USB externa da Apple por US$ 100, se realmente quiser – é minúscula, um fio de cabelo maior do que um DVD real.
Mas olha só isso: a Apple afirma que você, na verdade, não precisa de uma unidade de CD/DVD.

Em vez de copiar CDs de música para escutar no carro, a Apple diz que você deve comprar um iPod. Em vez de reproduzir DVDs de filmes, você deve baixar os filmes da Apple. Em vez de fazer o back up em CDs, você deve usar o novo serviço Time Capsule da Apple.

É óbvio que esses argumentos não são exatamente convincentes, sobretudo porque muitos deles implicam a compra de mais equipamentos da Apple. Pelo menos em se tratando da utilidade mais básica de uma unidade de CD/DVD, ou seja, instalar softwares novos ou executar programas de reparo de disco, a Apple oferece uma solução gratuita.

O laptop vem com um pequeno programa chamado Remote Disk, que você pode carregar em um CD ou unidade flash USB. Ele transforma qualquer outro computador – Mac ou PC – em uma impressionante unidade de CD/DVD sem fio para o seu MacBook Air. Ele funciona perfeitamente e sem interrupções, mesmo quando você está acessando um CD de instalação de software do Mac em um computador Windows.

• Mais sacrifícios: o Air possui apenas três jacks (ou saídas), todas enfileiradas em uma das laterais da máquina. Há uma saída USB, uma saída de vídeo e uma de áudio.

Em outras palavras, não existe saída de rede de ethernet, de modem dial-up, entrada de áudio e nem conector FireWire. A Apple e outras empresas vendem versões USB externas desses itens por US$ 30 a US$ 40 cada. Mas mesmo que você compre um adaptador FireWire USB, não poderá usar o FireWire Disk Mode, o que, em todos os outros modelos de Mac, permite que você se conecte a dois computadores com um único cabo para transferências de arquivos extremamente rápidas.

Em outras palavras, o nome “Air” é particularmente apropriado. Descreve não só o formato aerodinâmico do laptop, mas também a sua quase total incapacidade de conexão a cabos.

Logicamente que os pontos negativos não prevalecem sobre os positivos. A máquina é fantástica, principalmente para executivos, pessoas que viajam bastante e fazem apresentações, ele é espetacular. Tela de tamanho completo, teclado de tamanho completo e bateria com duração de cinco horas dentro de 1,9 centímetro? Fique ligado: esse laptop é um pedaço, ou melhor, uma lâmina do céu. G1

Mais Postagens
Mais Postagens
Parceiros
Comenta aí, butequeiro!