Adolescente mais gorda da Grã-Bretanha perde 159 kg, mas fica revoltada com emagrecimento

Malissa Jones, mais conhecida como “a adolescente mais gorda da Grã-Bretanha”, conseguiu o que muita gente tenta e falha: perdeu incríveis 159 kg após uma cirurgia. Entretanto, o que era para ser motivo de alegria, acabou virando lamento para a garota.

Malissa tinha apenas 17 anos e já pesava 246 kg, quando decidiu mudar definitivamente sua vida. Amparada pelo NHS (Serviço Nacional de Saúde Britânico) a garota foi submetida a uma cirurgia de redução de estômago. Dois anos depois, ela queixa-se, afirmando que não consegue ser uma garota realizada.

malissa2 “Eu sei que parece ingrato, mas eu preferia o meu corpo de quando eu era gorda”, disse ela à revista Closer, conforme relatou o Daily Mail.

“Pelo menos ele era firme e cheio de curvas, não caídos e flácidos. Eu tinha os braços firmes – agora, a pele fica pendurada e tenho que cobri-los, porque eles parecem terríveis”, desabafou.

Malissa caiu do tamanho 30 para o 16, mas esconde sua nova forma usando calças e blusas folgadas para esconder o excesso de pele.

“O NHS não vai remover a pele e nunca vou conseguir economizar £ 20 mil (cerca de R$ 57 mil) para fazer uma cirurgia plástica. A cirurgia poderia ter salvo minha vida, mas desejo que nunca tivesse feito.”

Por causa da obesidade mórbida, aos 15 anos Malissa foi diagnosticada com angina, uma forma de doença cardíaca. E, embora tenha tentado diversas dietas e tomado pílulas dietéticas especiais, ela não conseguiu parar de deleitar-se em 15 mil calorias por dia — isso mesmo — 15 mil calorias, divididas em 8 barras de chocolate, 10 pacotes de batatas fritas e sanduíches diversos.

Segundo a reportagem, após a cirurgia Malissa começou a consumir pequenas refeições. No início sua confiança aumentou, mas logo ela percebeu que seus problemas não tinham terminado. Ela disse que começou a temer a ideia de se despir na frente do namorado, porque ela tem “mais rugas do que a vovó de 90 anos”.

“Me sinto tão chateada. Eu esperava estar mais magra para usar um biquini e ir nadar, mas agora tenho vergonha do meu corpo.”

Para quem está pensando em submeter-se à mesma intervenção que Malissa, ela faz uma declaração: “Espero que as pessoas leiam isto e percebam que a cirurgia gástrica não é uma cura milagrosa.”

Já acessou o iG Jovem hoje?

Mais Postagens
Mais Postagens
Parceiros
Comenta aí, butequeiro!