As 10 ilusões sonoras mais incríveis do mundo

Nestas ilusões, listadas pelo Listverse, sua mente será enganada e “pensará” que está ouvindo uma coisa, quando, na verdade, não está. Para tirar o máximo proveito desta lista você deve usar fones de ouvido.

10. Ilusão de escala

Esta ilusão foi descoberta por Diana Deutsch, e é um exemplo de como nosso cérebro “agrupa” notas idênticas, em conjunto. Duas grandes escalas são tocadas: uma ascendente, uma descendente. Entretanto, as notas suplente se alternam de ouvido para ouvido.

Existem várias maneiras das pessoas ouvirem os sons, mas o mais comum é em grupo. Em outras palavras, o cérebro joga algumas das notas para uma outra orelha, a fim de fazer uma melodia coerente. Curiosamente, pessoas destras tendem a ouvir a melodia aguda no ouvido direito e a grave no esquerdo, enquanto os canhotos mostram respostas mais diversas.

NOTA: Ouça através de fones de ouvido, ou caixas de som afastadas.

9. Melodias fantasma

Algumas obras utilizam alta velocidade ou padrões de repetição de forma bastante sutil. Se eles forem tocadas com mais rapidamente, o cérebro capta a mudança e agrupa para formar uma melodia. A melodia desaparece quando a música é tocado lentamente.

Compare essas gravações de Christian Sinding’s Frühlingsrauschen. Na velocidade mais elevada, a mudança das notas nos dá uma percepção que faz associar a uma melodia, mas na velocidade inferior elas estão muito separados.

8. O paradoxo de Shepherd

Esta gravação foi sintetizada por Jean-Claude Risset. Pares de acordes soam como se eles estivessem avançando na escala, mas, na realidade, o par inicial de cordas é o mesmo que o par final. Se você esta colocar a música em um loop, não conseguirá distinguir o término da música, parecendo ficar cada vez mais aguda.

7. Sinos caindo

Esta é uma gravação que dá impressão que sinos estão caindo através do espaço. Enquanto eles caem, o som parece que vai ficando mais grave, mas na realidade está ficando mais agudo. Se você colocar o som em loop, perceberá claramente que o som vai ficar mais grave quando o arquivo começar a tocar novamente. Isto revela que o início é obviamente muito mais baixo do que o fim.

6. Batida acelerada

Esta gravação é sutil. A batida do tambor soa como se seu ritmo estivesse ficando mais rápido, mas o ponto inicial é o mesmo que o ponto final.

5. Barbearia virtual

Esta é uma demonstração do efeito estéreo. Ouvindo esta gravação, você sentirá como se você estivesse em uma cadeira de barbeiro, com o barbeiro se deslocando ao seu redor. Quando o barbeiro “se move” à sua direita, o volume aumenta ligeiramente no canal direito e diminui no esquerdo. Do mesmo modo, o aumento do volume de som da tesoura dá a a impressão de que ele está cada vez mais próximo de cada orelha. A ilusão demonstra a nossa capacidade de localizar sons no espaço; comparando a chegada do som nos dois ouvidos, podemos distinguir de onde ele vem.

4. Batucando caixa de fósforo

Esta, tal como a barbearia acima, é mais uma ilusão do efeito estéreo. Nesta ilusão, um homem balança uma caixa de fósforos em torno da sua cabeça e, ocasionalmente, acende fósforos.

3. Paradoxo trítono

Esta ilusão também foi descoberta por Diana Deutsch. Nesta gravação, algumas pessoas poderão ouvir duas notas que vão do grave ao agudo, enquanto outras ouvirão do agudo para o grave. É um bom efeito para ouvir em grupos, assim que você pode comparar as notas depois. Curiosamente, estas notas foram consideradas malígnas e não foram utilizadas em músicas até os tempos modernos.

2. Efeito MgGurk

Atenção: Não reproduza o vídeo até ler o texto!

Quando tocá-lo pela primeira vez, faça com os olhos fechados. Ouça o que o homem está dizendo. Em seguida, assista-o novamente, só que desta vez com os olhos abertos. Diga se você ouvirá BA-BA, GA-GA, ou DA-DA?

A maioria dos adultos (98%) acham que ele está dizendo “DA”. O “D” é o resultado de uma ilusão audio-visual. Na realidade você está ouvindo o som “BA”, enquanto você está vendo os movimentos labiais, dizendo “GA”.

1. Palavras fantasmas

Esta ilusão foi inicialmente demonstrada por Diana Deutsch, na Universidade da Califórnia, San Diego. A gravação mostra seqüência sobrepostas de palavras ou frases repetidas, localizados em diferentes regiões do espaço estéreo. Quando você ouve várias vezes, repetindo-a, você vai começar a ouvir frases específicas. No entanto, nenhuma das frases existem. Seu cérebro está construindo estas frases em uma tentativa de tirar o sentido do barulho sem significado. Na verdade, você pode achar que as frases que você ouve são relacionados com o que está na sua mente – por exemplo, as pessoas que estão fazendo dieta ouvem freqüentemente frases relacionadas com comida.

Mais Postagens
Mais Postagens
Parceiros
Comenta aí, butequeiro!