As 5 grandes fraudes fotográficas da história

O Ceticismo aberto fez uma compilação com as maiores fraudes fotográficas da história. Nota-se que desde o início do século passado as edições fotográficas já eram utilizadas, dotadas de recursos bastante amadores, mas com resultados surpreendentes.

Veja cinco grandes fraudes fotográficas históricas:

O Último Sono de um Atirador


O fotógrafo Alexander Gardner alegou que estas duas imagens mostravam atiradores Confederados jazendo onde haviam sido baleados durante a Batalha de Gettysburg. Mas em 1975 William Frassanito determinou que o mesmo corpo aparece em ambas imagens. Em outras palavras, Gardner tinha evidentemente movido o corpo de um soldado morto para fazê-lo posar em vários locais dramáticos. O rifle também era um modelo, significando que o soldado nem mesmo era um atirador.

Retrato de Lincoln


Durante décadas depois da Guerra civil, o retrato de Lincoln mostrado à esquerda enfeitou as paredes de edifícios públicos e salas de aula. Mas Lincoln nunca posou para este retrato. Ao invés, uma fotografia da cabeça de Lincoln havia sido sobreposta sobre um retrato do líder Sulista John Calhoun. Isto foi feito porque não havia quase nenhum retrato de lincoln no ‘estilo heróico’ apropriado feito durante sua vida.

Festa do Melão


Um cartão postal criado por Alfred Stanley Johnson em 1911. Johnson viveu em Waupun, Wisconsin. A imagem à direita mostra a foto original, sem edição que Johnson usou para criar o efeito de truque. As crianças posaram, segurando suportes de madeira. Johnson então cortou e colou a foto de uma fatia de melão nesta imagem para criar a ilusão de uma festa com um melão gigantesco.

Bebê Adolf


A imagem à esquerda foi extensamente impressa em jornais ao longo dos anos trinta. Foi representado como sendo um retrato de Adolf Hitler quando bebê. Em 1937, a Sra. Harriet Downs, de Westport, Conn., viu a imagem em uma revista e a reconheceu como sendo uma fotografia alterada do seu bebê, John May Warren. A imagem original, sem retoque, é mostrada à direita. Não se sabe como o fraudador obteve a imagem original.

A fotografia do médico


Uma fotografia, supostamente do monstro do lago Ness, tirada por Robert Kenneth Wilson, um ginecologista britânico, no dia 19 de abril de 1934 rodou todo o mundo como sendo verdadeira. Por causa da profissão de Wilson, a imagem chegou a ser conhecida como “a fotografia do médico”. Em 1994 foi revelado que a foto na verdade mostra um submarino de brinquedo vestido com a cabeça de uma serpente do mar.

Mais Postagens
Mais Postagens
Parceiros
Comenta aí, butequeiro!