As histórias reais por trás de fotos modificadas e históricas


Sabe aquela foto que você já viu várias vezes na mídia e te deixou chocado? Ela pode ser resultado de uma grande montagem e pouca gente sabe disso. A seguir, listamos algumas dessas imagens e as histórias por trás de cada uma delas.


A famosa fotografia de Robert Capa, tirada em 1936, retrata o que supostamente seria um soldado na Guerra Civil Espanhola, no exato momento da sua morte, ainda com a espingarda na mão. Eu disse “supostamente”, porque no livro “Shadows of Photograph”, um investigador espanhol chamado José Manuel Susperregui sugere que a foto é falsa. Segundo ele, a foto não foi tirada na cidade de Cerro Muranio, como foi originalmente pensado, mas fora da cidade de Espejo, a cerca de 35 km de distância. Pode ser uma pequena diferença, mas de acordo com Susperregui, essa é a prova de que a fotografia foi encenada, semelhante ao que ocorreu com uma outra série de fotos. (Link 1 | Link 2)


Esta brincadeira surgiu na internet algumas semanas depois do 11 de setembro. Embora a avaliação racional da imagem revele rapidamente as suas falhas (como o turista não poderia ouvir o avião? Como a câmera sobreviveria?), muita gente ainda confia que ela seja real. Dentre outras provas, o foto mostra o lado norte, mas o WTC foi atingido na parte sul. O horror do acontecimento, deu a imagem um enorme impacto emocional.


Numa mesma época, duas revistas fizeram versões diferentes de uma mesma foto. A capa da Time colocou o rosto de OJ Simpson mais escuro, embaçado e barba por fazer. Matt Mahurin, ilustrador da revista, disse que “queria torná-lo mais astuto e convincente”. (Link)


A capa da revista TV Guide, em agosto de 1989, apresentou uma foto da apresentadora Oprah Winfrey. A imagem foi modificada, colocando a cabeça de Oprah no corpo da atriz Ann-Margret, retirada de um anúncio publicitário de 1979. A montagem foi criada sem a permissão das duas, e só foi detectada por uma designer de moda, que reconheceu o vestido. (Link)


A famosa foto de George W. Bush segurando um livro de imagens de forma errada ajudou a promover a imagem de bobão. Mas a foto real, revelou que Bush estava segurando o livro corretamente. (Link)


Esta foto foi publicada pela primeira vez pela Reuters como sendo a imagem de uma mulher “morta sendo levada pelos soldados georgianos da cidade de Gori”. Curiosamente, a mulher “morta”, incrivelmente segura o braço da enfermeira. Mais tarde, o mesmo homem deitado ao lado dela, foi visto em posições diferentes. (Link 1 | Link 2)


Um exemplo claro de alteração e falsificação de fotografia vem dos comunistas russos. Pessoas indesejadas, os chamados “inimigos do povo”, não foram apenas mortos, mas também removidos das fotografias onde sua presença era indesejável. As fotografias foram alteradas com a intenção de mudar o passado. Trotski era um amigo próximo de Lenin, e compartilhou suas ideias sobre o estado comunista. Nestas fotos, ele pode ser visto junto com Lenin e depois foi eliminado.

A razão histórica para essa alteração é que, eventualmente, Stalin começou a ver Trotsky como uma ameaça e acabou sendo rotulado como “inimigo do povo”. Depois que ele foi deportado da União Soviética, em 1929, começou a criticar a liderança de Stalin, afirmando que a ditadura era exercida com base nos próprios interesses de Stalin, e não os do povo. Isso contribuiu substancialmente para a remoção de Trotsky de várias fotos históricas. (Link)


Em 2001, a foto começou a circular pela internet. Este falso flagrante foi criado pela fusão de duas imagens – uma de um helicóptero da Força Aérea em um exercício de treinamento em San Francisco e outra de um grande tubarão branco pulando para fora d’água na costa da África do Sul. (Link)

Já acessou o iG Jovem hoje?

Mais Postagens
Mais Postagens
Parceiros
Comenta aí, butequeiro!