Big Brother exibe estupro ao vivo

A versão brasileira do programa está para iniciar, mas um fato abalou as estruturas da edição África do Sul. A imagem de uma participante do Big Brother sendo estuprada por um outro interno na casa televisiva de Johanesburgo embrulhou o estômago de milhões de espectadores do programa sul-africano, de acordo com a revista “First Post”.

Uma enxurrada de mensagens por e-mail atravessou jornais, sites e canais de televisão. Ultraje coletivo no país que ainda cura as feridas do apartheid.

As câmeras indiscretas flagraram o estudante de cinema Richard Bezuidenhout (foto), de 24 anos, originário da Tanzânia, atacando a auxiliar de enfermagem Ofunneka Molokwu, de 29 anos, nascida na Nigéria e que estava bêbada no momento da agressão sexual.

Quem assistiu à cena descreve: Richard caminhou até Ofunneka, que, aparentemente, estava em coma alcoólico, e penetrou sua vagina com os dedos. Ele continuou a investida, apesar dos apelos de outras participantes para que parasse. Depois do ataque, o tanzaniano se afastou e foi se sentar distante. As câmeras ainda o flagraram cheirando os próprios dedos.

Mais de um milhão de pessoas têm assinatura do Big Brother na África do Sul.

Para a grande maioria, os funcionários da Endemol, empresa holandesa que detém os direitos do programa no mundo todo, deveriam ter agido para impedir a relação não-consensual.

Segundo a lei da África do Sul – onde, a cada 40 segundos, uma mulher é abusada sexualmente, em média – tal ato constitui estupro.

Richard, que é casado, defendeu seu criminoso comportamento sexual assim: “Bem, isto é a África”.

[ FONTE ]

Mais Postagens
Mais Postagens
Parceiros
Comenta aí, butequeiro!