Comer coisas do lixo virou estilo de vida. Sabia?

Você já ouviu falar nos “freegans“? Basicamente, dentre outras coisas, são pessoas que reviram os lixos em busca de alimentos, sob o argumento de que os produtos que são descartados todos os dias aumentam a poluição do nosso planeta. O mais curioso disso tudo é que os freegans não são mendigos ou pedintes. Ao contrário, são pessoas que podem comprar seus próprios alimentos e só vivem dessa forma como alternativa de vida.

De acordo com a BBC, o movimento nasceu na Inglaterra, onde todos os dias, 7 milhões de fatias de pão, 4,4 milhões de maçãs e 1,3 milhões de iogurtes são desperdiçados todos os dias.

Segundo os freegans, o mundo vive em um sistema econômico onde as empresas só avaliam os recursos naturais em sua capacidade de gerarem lucro. A “colheita urbana” ou “mergulho em lixeiras” consiste em buscar no lixo de varejistas, residências, escritórios e outros locais, por bens utilizáveis. Alguns freegans fazem suas procuras sozinhos, outros vão em grupos, mas quase sempre as descobertas são divididas entre outros e com qualquer pessoa que esteja interessada. Grupos como o Food Not Bombs (Comida, e não Bombas) recuperam alimentos que provavelmente iriam para o lixo e os utilizam para preparar refeições coletivas em locais públicos.

Nos EUA, onde o movimento ganhou força, algumas pessoas chegaram a largar o emprego e dedicarem-se a projetos sociais e ao freenganismo. Em entrevista ao “The New York Times”, uma mulher de 51 anos afirmou que “a maioria das pessoas trabalha cerca de 40 horas por semana, em empregos que elas não gostam, para comprar coisas que elas não precisam”.

Movimento no Brasil

Aqui no Brasil o movimento começa a pegar fôlego. Alguns praticantes são vistos revirando os lixos das praças de alimentação dos shopping centers em busca de alimentos e em locais abandonados, a procura de objetos jogados fora, principalmente em caçambas e terrenos.

Os freegans fazem a pergunta: “Quanto de nossas vidas nós sacrificamos para pagarmos contas e comprar mais coisas?” Para muitos dos freegans, trabalhar significa sacrificar nossa liberdade para obedecer ordens de outros, significa estresse, chateação, monotonia e em muitos casos, arriscar nosso bem-estar físico e psicológico.

Alguém aqui é freegan e gostaria de contribuir com este post?

Veja também:

Mais notícias e vídeos curiosos

Um salto para entrar para a história: 10 m em 30 cm
Câmera promete acabar de vez com o controle remoto
Pit bull que nada. Feroz mesmo é o Dachshund
É sempre bom ter cuidado com a massa inflamada
Por que brasileiro é tão criativo?
Jovem faz modificação facial para parecer com diabo
Você sabia que até os super-heróis têm religião?
Os cientistas se superaram. Vem aí a diálise móvel
O tombo (literalmente falando) da Mulher Melancia
6 fotos que, de tão conhecidas parecem montagem

Mais Postagens
Mais Postagens
Parceiros
Comenta aí, butequeiro!