Conheça os álbuns mais gays de todos os tempos

Para quem pensou em ver Village People no topo da lista, uma grande surpresa. David Bowie, com “The rise and fall of Ziggy Stardust and the spiders from Mars” tem o álbum mais gay de todos os tempos, segundo um júri selecionado pela revista Out.

A lista conta com 100 álbuns, que foram escolhidos segundo critérios pessoais de cada um dos jurados. Boy George, que foi um deles, explicou que o álbum de David Bowie quebrou uma série de tabus, comuns na época. “Ziggy Stardust (um dos personagens de Bowie) criou um mundo onde você podia ser quem quisesse”.

Veja no ranking se algum álbum de sua preferência faz parte da lista.

1. David Bowie, “The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders From Mars” (1972)

Influenciado pela onda de Glam Rock que existia na Inglaterra na época, e condizente com cenário imaginado em filmes como Laranja Mecânica e 2001 – Uma Odisséia no Espaço (de Stanley Kubrick) lançados nessa mesma época, Bowie acabou criando uma espécie de álbum conceitual e futurista, sobre um rockstar extraterrestre e sua saga no planeta terra, Ziggy Stardust e todo seu glamour.

Existem boatos de que o nome Ziggy tenha vindo de Iggy Pop (amigo de Bowie) e/ou Twiggy (modelo, também amiga de Bowie) e de que Bob Marley escolheu o nome do seu filho (Ziggy Marley) por causa desse disco.

2. The Smiths, “The Smiths” (1984)

Já com uma vasta legião de fãs, os Smiths gravam o seu primeiro LP. Em 1984 sai o primeiro álbum, com o mesmo nome que o grupo, The Smiths, que atinge o nº 2 do Top do Reino Unido e é bastante aclamado pela crítica. Este álbum é particularmente importante porque vinha contrapor a tendência do synth pop.

3. Tracy Chapman, “Tracy Chapman” (1988)

Ainda durante a faculdade, Chapman começou a apresentar-se nas ruas, tocando seu violão em cafés de Cambridge, Massachussets. Enquanto esperava sua graduação acadêmica, assinou contrato com a SBK Records, em 1988, lançando seu primeiro álbum, intitulado “Tracy Chapman” – que foi logo aclamado pela crítica, e ela passou a realizar tournês e conquistar o público.

4. Indigo Girls, “Indigo Girls” (1989)

Lésbicas assumidas, Amy Ray e Emily Saliers levaram o folk-rock às paradas de sucesso quando formaram a banda Indigo Girls.

A Indigo Girls existe desde 89, já vendeu mais de 7 milhões de discos e abocanhou por 6 vezes o Grammy, boa parte do sucesso se deve à personalidade e atitudes destas vozes que representam uma nova geração de mulheres.

5. Judy Garland, “Judy at Carnegie Hall” (1961)

Judy Garland foi a primeira ‘madrinha-gay’ na comunidade americana. Em 1961, o seu disco Judy Garland at Carnegie Hall arrebatou cinco prêmios Grammy.

Os demais escolhidos são:

6. The Smiths, “The Queen is Dead” (1986)
7. Elton John, “Goodbye Yellow Brick Road” (1973)
8. Madonna, “The Immaculate Collection” (1990)
9. Cyndi Lauper, “She’s So Unusual” (1983)
10. Antony and the Johnsons, “I Am A Bird Now” (2005)
11.Coletânea “Hedwig and the Angry Inch” (2001)
12. The Velvet Underground & Nico, “The Velvet Underground & Nico” (1967)
13. Ani DiFranco, “Dilate” (1996)
14. Erasure, “The Innocents” (1988) 15. George Michael, “Faith” (1987)
16. Queen, “A Night at the Opera” (1975)
17. Lou Reed, “Transformer” (1972) 18. George Michael, “Listen Without Prejudice, Vol. I” (1990)
19. The B-52s, “The B-52’s” (1979)
20. Queen, “A Day at the Races” (1976)
21. David Bowie, “Hunky Dory” (1971)
22. The Gossip, “Standing in the Way of Control” (2006)
23. Deee-Lite, “World Clique” (1990)
24. Sylvester, “Living Proof” (1979)
25. k.d. lang, “Ingénue” (1992)
26. Scissor Sisters, “Scissor Sisters” (2004)
27. Eurythmics, “Sweet Dreams (Are Made of This)” (1983)
28. Queen, “The Game” (1980)
29. Pet Shop Boys, “Actually” (1987)
30. Diana Ross, “Diana” (1980)
31. Sarah McLachlan, “Fumbling Towards Ecstacy” (1993)
32. The Smiths, “Meat Is Murder” (1985)
33. The Smiths, “Hatful of Hollow” (1984)
34. Donna Summer, “Bad Girls” (1979)
35. Yaz, “Upstairs at Eric’s” (1982)
36. Madonna, “Erotica” (1992)
37. Blondie, “Parallel Lines” (1978)
38. Dusty Springfield, “Dusty in Memphis” (1969)
39. Laura Nyro and Labelle, “Gonna Take A Miracle” (1971)
40. Pet Shop Boys, “Behavior”, (1990)
41. Melissa Etheridge, “Yes I Am” (1993)
42. ABBA, “Gold” (1992)
43. Prince, “Purple Rain” (1984)
44. Pet Shop Boys, “Very” (1993)
45.Bikini Kill, “Pussy Whipped” (1993)
46. Madonna, “Ray of Light” (1998)
47. The Magnetic Fields, “69 Love Songs” (1999)
48. Cris Williamson, “The Changer and the Changed” (1975)
49. Patti Smith, “Horses” (1975)
50. Rufus Wainwright, “Poses” (2001)
51. Frankie Goes to Hollywood, “Welcome to the Pleasuredome” (1984)
52. Kate Bush, “Hounds of Love” (1985)
53. Culture Club, “Colour by Numbers” (1983)
54. Tori Amos, “Little Earthquakes” (1992)
55. David Bowie, “Diamond Dogs” (1974)
56. Team Dresch, “Personal Best” (1994)
57. Prince, “Dirty Mind” (1980)
58. Liz Phair, “Exile in Guyville” (1993)
59. Bronski Beat, “The Age of Consent” (1984)
60. R.E.M., “Automatic for the People” (1992)
61. Sleater-Kinney, “Dig Me Out”, (1997)
62. Jeff Buckley, “Grace” (1994)
63. Björk, “Debut” (1993)
64. Patti Smith, “Easter” (1978)
65. Le Tigre, “Le Tigre” (1999)
66. Soft Cell, “Non-Stop Erotic Cabaret” (1981)
67. Hüsker Dü, “Candy Apple Grey” (1986)
68. Nirvana, “Nevermind” (1991)
69. Frances Faye, “Caught in the Act” (1959)
70. Coletânea do espetáculo “Rent”, (1996)
71. Elton John, “Captain Fantastic and the Brown Dirt Cowboy” (1975)
72. Donna Summer, “Once Upon a Time” (1977)
73. Coletânea, “Fame soundtrack” (1980)
74. Michael Jackson, “Off the Wall” (1979)
75. Carole King, “Tapestry” (1971)
76. Ani DiFranco, “Imperfectly” (1992)
77. New Order, “Substance” (1987)
78. Coletânea “The Rocky Horror Picture Show” (1975)
79. T. Rex, “Electric Warrior” (1971)
80. Rufus Wainwright, “Want One” (2003)
81. Scissor Sisters, “Ta-Dah” (2006)
82. Cher, “Believe” (1998)
83. Bette Midler, “The Divine Miss M” (1972)
84. Cyndi Lauper, “True Colors” (1986)
85. Nina Simone, “Anthology” (2003)
86. Madonna, “Madonna” (1983)
87. Madonna , “Confessions on a Dance Floor” (2005)
88. Hüsker Dü, “Zen Arcade” (1984)
89. Fifth Column, “To Sir With Hate” (1986)
90. Kate Bush, “The Kick Inside” (1978)
91. Grace Jones, “Nightclubbing” (1981)
92. Morrissey, “Viva Hate” (1988)
93. Sade, “Lovers Rock” (2000)
94. Coletânea do espetáculo “Hair”, (1968)
95. Culture Club, “Kissing to Be Clever” (1982)
96. Nick Drake, “Bryter Layter” (1970)
97. Janis Ian, “Between the Lines” (1975)
98. Ferron, “Testimony” (1980)
99. Joni Mitchell, “For the Roses” (1972)
100. The Beatles, “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band” (1967)

Fonte: Wiki e Outras

Veja também

Confira outras matérias. Tem muuuuuuito mais…

Jade detona e diz que CBG proibiu água em Pequim
Loira + Capoeira+samba = 6 milhões de visualizações
Separados no nascimento, por um clique no Photoshop
Brincalhão usa 400 sacos de salgadinho em pegadinha
Enfim, ele deve ser punido por causa da “Pirikita”?
Praticar Taekwondo não é para qualquer um
10 erros que fazem seu currículo ir parar no lixo
Conheça o primeiro rapper mudo do planeta
Abertura dos Simpsons totalmente feita com Legos
Conheça a fantástica história de Christian, o Leão

Mais Postagens
Mais Postagens
Parceiros
Comenta aí, butequeiro!