Empresa transmite velórios pela internet

Uma empresa que gerencia o serviço funerário de São José dos Campos (91 km de São Paulo) iniciou nesta semana a transmissão em tempo real, pela internet, de velórios realizados na cidade. Desde segunda-feira, oito cerimônias foram transmitidas pela rede mundial de computadores.

Para o velório ser veiculado virtualmente, de forma gratuita, a família do morto precisa assinar uma autorização. Segundo a empresa Urbam (Urbanizadora Municipal S.A), que tem a prefeitura como acionista majoritária, o “velório online” é inédito no Estado.

Por meio de câmeras instaladas nas quatro salas de velório da funerária municipal, as imagens são disponibilizadas na página da empresa, permitindo que familiares e amigos ausentes possam acompanhar a cerimônia à distância e em tempo real.

Para acessar as imagens, o computador do usuário deve ter conexão de banda larga. Não é preciso senha, mas em alguns casos pode ser necessária a instalação de um plug-in (acessório adicional).

O serviço também permite que internautas enviem, por meio de um link no site da Urbam, mensagens eletrônicas de pêsames para a família da pessoa morta.

A empresa não soube informar o número de internautas que já acompanharam os velórios pela internet, mas afirmou que ao menos 30 mensagens de conforto a familiares já foram enviadas pelo site.

A assistente social Eliza Yukie Otsuka, 30, autorizou a transmissão online do velório do pai dela, que morreu na segunda-feira. Disse ter achado a idéia ótima.

“Tenho dois irmãos, um no Japão e um na Austrália, que foram informados da morte e também da possibilidade de acompanhar o velório pela internet. O do Japão acompanhou, e creio que o da Austrália deva ter acompanhado.”

Otsuka conta que, por meio do velório online, recebeu mensagens de conforto de pessoas desconhecidas da família. “Deve ter sido gente que acessou, deu uma olhadinha no velório e resolveu mandar uma mensagem de conforto.”

Mórbido?!?

Colaboração de Marcos

Mais Postagens
Mais Postagens
Parceiros
Comenta aí, butequeiro!