Entrevista com a mulher que tem 200 orgasmos / dia

Sem dúvida, a notícia da semana aqui no Buteco foi a mulher que tem cerca de 200 orgasmos por dia. Agora conseguimos a entrevista que ela deu ao jornal News of the World.

Sarah, que sofre da Síndrome de Excitação Sexual Persistente – disfunção que mantém um alto fluxo sanguíneo nos orgãos sexuais, teve 5 orgasmos durante a entrevista de 40 minutos. Ela diz que tudo começou quando lhe prescreveram um anti-depressivo aos 19 anos; seu namorado ficava pasmo com a quantidade de orgasmos que ela tinha durante a transa. Ele devia pensar:

– “Cara… que mulher mais louca!!!”

E cada vez mais foi aumentando a ponto de ela ter orgasmos infinitos só de lembrar dos momentos com o coitado do namorado extenuado.

– “Em seis meses eu já estava tendo 150 orgasmos por dia em média”.

É lógico, o antigo namorado não agüentou o fogo da moça e os atuais se esforçam para manter o ritmo de vontades da ninfa que é esteticista e trabalha em salões de beleza onde o barulho de secadores de cabelo abundam. Já imaginou?

– “Alguns de meus clientes regulares sabem meu problema. Mas com clientes novos é duro explicar. Daí disfarço com uma tossida e saio correndo, as meninas que já sabem, socorrem o cliente levando uma xícara de chá ou uma revista. É muito chato, às vezes gostaria de ter uma vida normal.”

Sarah também teve momentos embaraçosos em público. Bares e ambientes muito barulhentos estão fora de questão, assim como bebidas alcoólicas.

– “Quando saio procuro ambientes bem quietos e agradáveis. Também não bebo porque senão fico “facinha facinha”. Imagina o quão chato é ficar gemendo numa mesa de restaurante logo no primeiro encontro?!?

Sarah Carmem conta que a situação mais embaraçosa que enfrentou, aconteceu quando respondia a um questionário de pesquisa de mercado e teve um orgasmo na frente do pesquisador.

– “Ela viu o que estava se passando e olhou para mim espantado. Eu tentei explicar mas acabei me complicando mais ainda, então resolvi sair dali.

Sarah diz ter frequentado até mesmo o SA (Sexólicos Anônimos):

– “No princípio quando o problema começou eu queria fazer sexo o tempo todo, então pensei que eu era uma ninfomaníaca, uma viciada. Mas quando eu dei uma olhada ao redor do grupo dos SA e ouvi as suas histórias, sobre como eles eram desesperados por sexo, eu percebi que ali não era meu lugar. Comigo, era um meio de libertar meu orgasmo e eu sabia que não necessitava fazer sexo para isso.

Segundo os médicos que acompanham o caso de Sarah, ainda não há uma explicação científica que explique claramente o problema dela. Assim ela terá que, por enquanto, viver com o problema.

– “As vezes quando tenho que evitar a todo custo uma situação eu penso em morte e coisas tristes, de vez em quando dá certo.

A pergunta que as mulheres do mundo todo fazem no momento é:

– “Qual teria sido o anti-depressivo tomado por Sarah?”

Via MDig

Mais Postagens
Mais Postagens
Parceiros
Comenta aí, butequeiro!