Filha decide tratar câncer do pai usando leite do seu próprio seio

O mundo de Georgia Browne, 24, parece que virou de cabeça para baixo quando ela soube que seu pai, Tim, 67, foi diagnosticado com câncer depois de ser admitido em um hospital com dores estomacais. Detalhe: faltava apenas uma semana antes dela casar.

Segundo o site Life Style, a notícia caiu como uma bomba na família, mas não foi suficiente para cancelar o casamento. Depois de um ano e várias sessões de quimioterapia, o câncer de Tim parou de progredir, mas retornou justamente quando Georgia estava grávida do seu primeiro filho. Foi então que a garota resolveu agir por conta própria.

Um mês após o nascimento do filho, Georgia viu num documentário de TV que um americano creditou a cura de um câncer de próstata ao consumo de leite materno.

“O homem começou a visitar um banco de leite e a consumir leite materno como se fosse milkshake. Comecei a pesquisar na internet e descobri que na Escandinávia existe um programa de fornecimento de leite materno para pessoas que sofrem de câncer.”

Segundo ela, um documentário mostrava que a ideia era realmente incrível, se fosse verdade. Através da internet, ela descobriu algumas pesquisas que sugeriam que o leite materno ajudava a matar as células cancerígenas.

“Eu tinha que fazer minha parte para ajudar meu pai. Quando eu falei sobre isso com ele, ele achou que era uma ótima ideia. Ele pensou: ‘Por que não?'”

Com o consentimento da família, Georgia começou a enviar sacos com seu próprio leite para sua mãe, que os estocava no congelador.

Pensei que ele ia misturar em um milkshake como fazia o homem no documentário, mas ele decidiu descongelar e simplesmente derramar sobre uma tigela de sucrilhos, como um leite de vaca normal.

Curiosamente, um mês após o início do tratamento, um exame mostrou uma sutil melhora na evolução do tumor, embora os médicos não possam dizer se o leite materno realmente o ajudou.

“Eu faria qualquer coisa para dar mais tempo para meu pai”, concluiu ela.

Mais Postagens
Mais Postagens
Parceiros
Comenta aí, butequeiro!