Publicidade

Publicidade
28/08/2012 - 00:01

Grande Hotel da Beira: De hotel luxuoso à abrigo de sem-teto

Compartilhe: Twitter

Nos anos 50, o Grande Hotel da Beira, de Moçambique, era o mais luxuoso hotel da África. O prédio com mais de 130 quartos, salões de dança, várias salas de conferência e uma enorme piscina era o destino mais cobiçado para aqueles que tinham mais recursos para desfrutar de toda sua estrutura. O problema é que o hotel nunca foi rentável, o que ocasionou seu fechamento no início dos anos 60. Depois disso, tornou-se campo de refugiados, uma prisão para presos políticos, alojamento para policiais e exército e, por fim, hoje serve como abrigo para sem-tetos.

Autor: - Categoria(s): Curiosidade, Fotos Tags: , , , , ,

Ver todas as notas

14 comentários para “Grande Hotel da Beira: De hotel luxuoso à abrigo de sem-teto”

  1. Ayahuaska disse:

    Bom p/ eles.
    .
    Mas ñ entendo pq ainda me surpreendo c/ a falta de conservação do local por qm mora lá. Fato é q poderia ser limpo e arrumado na medida do possível, mas… é excesso de “crasse” ser faxineiro de onde se mora, melhor ver tv. Cabeça, viu?!

  2. Nina disse:

    Não tem tanto dejetos no chão. As paredes são velhas e escurecidas e toda a improvisação, dos bancos ao “rack” bem como utensílios baldes variados, bacias, portas deterioradas pela ação do tempo, criam esse aspecto, não é o caso simples caso de varrer, passar pano, né

  3. Nina disse:

    * não tem tanta SUJEIRA pelo chão NEM dejeto ( m…… tb seria demais),
    acabei misturando e excluindo partes

  4. guedes disse:

    Anos de guerras internas empobreceram Moçambique e com isso alguns setores, especialmente o de turismo, ruiu. Dessa forma o prédio foi ocupado por diversos grupos sem cuidados com a preservação do patrimônio histórico daquele país. Mas Moçambique hoje começa a se erguer.

  5. TOTAL ALIEN disse:

    SEM DUVIDA FICOU UM LIXO !!!

  6. Ayahuaska disse:

    Tranquilo NIna (qnto ao “acabei misturando e excluindo partes”)

    Aki ñ abriram todas as fotos na primeira vez. As q vi, destaque p/ a das aranhas, galinhas em ambiente fechado, criança perto do fogareiro e tv. Vi desorganização.
    Agora fiz questão q todas abrissem e vc tm razão. Olhando o conjunto e considerando as circunstâncias q o guedes mencionou (q mal eu havia lido), fui precipitado. Há organização, na medida do possível, sim.

    • WILLIAN disse:

      O MEU IRMÃO CALA BOCA, PRIMEIRO PQ OS CARA SAO POBRES PRA KRL… SEGUNDO PQ O BAGULHO NEM TA BAGUNÇADO… AS PAREDES SAO DAKELA COR POR CAUSA DO TEMPO FICARAO DESGASTADAS MSM… NAO QUE QUE ELES PASSEM UMAS MAOS DE TINTA NEH!!!

  7. Gláuber Rosa disse:

    Excelente local pra se filmar um filme de terror ou suspense.

  8. bruno braga disse:

    Ayahuaska. Os caras não tem grana nem pra comer e você quer que eles comprem latas de tinta ??

  9. Nina disse:

    Sim, entendi. A questão é que, se eu tivesse crescido aí, eu nunca iria pensar em limpeza, ia pensar em comer, já nao sou muito organizada rs tendo esse cenário como referência torna muito improvável ter a noção de limpeza que não a básica, corporal , quero dizer. O resto é lucro. E eles nao são aqueles de classe media baixa que têm a oportunidade de conviver e criar vínculo a ponto de frequentar a casa de pessoas que vivam em “condições normais” para terem uma noção do que é +ou -o padrão. Acabei de lembrar que eles têm televisão, mas já escrevi tudo isso msm rs

  10. felipe disse:

    mais limpo q meu quarto

  11. Vagner disse:

    Estive na Beira uns 4 anos atrás, e realmente parece que a cidade parou uns 30 anos, muitos prédios bonitos abandonados, muito devido a guerra civil que eles passaram. Mas parece que a cidade está crescendo agora, tomara que possa recuperar o prestígio perdido. Acho que lembra um pouco Havana – Cuba, pelo abandono, eu acho.

  12. zilda lopes disse:

    se fosse aqui na ceilãndia[df] tinha virado cracolândia

Deixe um comentário:

Antes de escrever seu comentário, lembre-se: o iG não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!

Os campos com * são de preenchimento obrigatório







Voltar ao topo