Publicidade

Publicidade
19/03/2013 - 09:24

Estudante escreve receita de Miojo no meio da redação do ENEM e recebe nota 560

Compartilhe: Twitter

E não param de surgir provas inusitadas na última prova do Enem, o Exame Nacional de Ensino Médio.

A mais recente, mostra um estudante que descreveu como se prepara um Miojo no meio de sua redação.

No início, o estudante até comenta de forma coerente a questão da imigração no Brasil. No entanto, mais adiante, começa o parágrafo com a frase: “Para não ficar muito cansativo, vou agora ensinar a fazer um belo miojo“.

A redação não só foi aceita, como recebeu 560 pontos. Vale lembrar que a pontuação máxima são 1000 pontos.

É bom deixar claro que, segundo os critérios de avaliação, esta brincadeira deveria desqualificar a prova, como fuga total do tema e impropérios ou atos propositais de anulação.

Em nota, o MEC afirmou que “a presença de uma receita no texto do participante foi detectada pelos corretores e considerada inoportuna e inadequada, provocando forte penalização especialmente nas competências 3 e 4”. O órgão entende que o aluno não fugiu do tema nem teve a intenção de anular a redação, pois não feriu os direitos humanos e não usou palavras ofensivas.

Via

Autor: - Categoria(s): Curiosidade, impressionante, Polêmica Tags: , , , , ,

Ver todas as notas

15 comentários para “Estudante escreve receita de Miojo no meio da redação do ENEM e recebe nota 560”

  1. Ao menos ele acertou na resposta do preparo… ahuahuahauhauhauhauah

  2. Firmo says:

    Maior 171… kkkk

  3. Manu says:

    Ele não sabia mais o que falar e tinha o encerramento pronto com três linhas… Fazer o quê, né? Encheu linguiça com receita de miojo! kkkkkkkkkkkkkkkk

  4. josearlignton says:

    Isso só prova a incopetencia da educação brasileira.

    Os professores que corrigem só olham a letra, o início e o final e dão uma nota…

    • mathias says:

      Pode crer, isso é um absurdo, se eu estivesse nessa fase de fazer vestibular/enem eu metia um processo no mec.

      Como isso é possivel?!?!?! Nunca vi um acoisa tão escrota como essa em algo que deveria ter alguma importancia no processo onde é definido onde os malditos alunos entram para uma universidade.
      Isso diz muito sobre a merda de lugar construido por gente de merda que permite uma coisa dessas.

  5. Regina says:

    Fiz vest. com Enem em 2010. Qdo entrei na UFPE (com 57 anos, sem cota e sem fazer cursinho) notei que um monte de gente escrevia errado. Muito errado. E eu pensava: como passou no vestibular, com redação? Planejava fazer novamente o ENEM em 2014, escrevendo protositalmente errado todas as palavras, fugindo ao tema, enfim comentendo todas as barbaridades possíveis. Só para depois mostrar que nem todas as provas são corrigidas, talvez a maioria não seja. Bom saber, que nem precisarei mais ter o desprazer de fazer o torturante ENEM.

  6. charles says:

    Pra mim ele mandou bem. Cagou na cara dos corretores da redação.

  7. TOTAL ALIEN says:

    ESSE É O DESMORALIZADO ENEM DO PATÉTICO ADAD, MOLEQUES TAPADOS E SEMI ANALFABETOS SENDO APROVADOS……
    PATIFARIA !!!

  8. Mothafucka says:

    O MEC disse que ele não fugiu do tema. Tá certo houve uma imigração ilegal do Miojo do Japão para o Brasil. Perfeito, tinha que dar 1000 pra ele.

  9. Dani says:

    No próximo Enem vou colocar receita também.. Porque eu também fiz a prova e não passei na redação e eu sei que eu escrevi dentro dos padrões deles. Mas fazer o que né? Sorte da pessoa que escreveu a redação.

  10. Rafa says:

    Mas ele não fugiu totalmente do tema, e foi punido por ter viajado na receita com desconto na correção. E de acordo com os critérios de correção não tinha o porquê de anular a redação.

  11. Jão says:

    Porra vi nego falando que a redaçao não foi tão ruim assim,puta merda a parte do miojo foi de leve.O imbecil falo que pedreiros e carpinteiros são profissionais qualificados,a vai toma no cu puta merda..

  12. alexandre says:

    Acho que o camarada estava no momento no rango.

Deixe um comentário:

Antes de escrever seu comentário, lembre-se: o iG não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!

Os campos com * são de preenchimento obrigatório







Voltar ao topo