Publicidade

Publicidade
02/12/2013 - 00:03

11 Curiosidades sobre o seu sono

Compartilhe: Twitter

sono_08

É importante conhecer seu corpo e os limites, além de entender como ele se comporta.

sono_02

sono_03

sono_04

sono_05

sono_06

sono_07

sono_01

sono_09

sono_10

sono_11

Via BuzzFeed

Autor: - Categoria(s): Curiosidade Tags: , ,

Ver todas as notas

12 comentários para “11 Curiosidades sobre o seu sono”

  1. Alessandro Melgaço says:

    Eu já vi muitas vezes por aí essa frase “Só conseguimos sonhar com rostos que já vimos”, qual a fonte dessa afirmação?

    Voltando à fonte da fonte desse post percebi que essa dúvida não é só minha:

    Gayle Laakmann McDowell(…)
    You can only dream about faces you have already seen
    I’m not even sure how we’d know the last one.

    Após uma exaustiva busca em artigos ou pelo menos uma página de algum pesquisador sobre o assunto, não encontrei nada.

    Já acompanho O Buteco há vários anos e sempre aprendo muito com as curiosidades que são postadas e gostaria muito que um cuidado a mais com as “especulações apresentadas como verdades” fosse tomado!

    Peço desculpas caso encontre alguma informação que valide essa curiosidade, nesse caso eu sou apenas um mau pesquisador.

    • D7 says:

      Na verdade muitos têm a mesma divida que você, pois muitas vezes sonhamos com pessoas “desconhecidas” ou que achamos que não havíamos visto, mas muitas vezes seu celebro sonha com pessoas que você imaginou ou apenas faz uma junção de partes de pessoas conhecidas ( ex: boca de uma + olho de outra+ cabelo de outra) tornando-se assim um “novo rosto”, mas é apenas seu inconsciente “brincando com você”

  2. Leboy says:

    Muito bom. Em relação ao sonhar apenas com rostos conhecidos, li uma notícia/matéria uma vez que havia o rosto de um homem que várias pessoas sonharam. O mesmo rosto, mesmo sem saber quem era.

  3. RODRIGO says:

    Realmente essa de sonhar somente com rostos que já vimos, creio que é uma inverdade.

  4. Fábio Alves Corrêa says:

    Prá pegar no sono eu costumo “escutar o ruído” da minha mente, tipo ir pensando coisas desconexas, deixando a mente pensar o que ela quiser, como se tivesse “na banguela”… o resultado é parecido com o de um gerador de lero-lero onde cada frase é dita por uma pessoa diferente, e normalmente são pessoas cuja voz eu escutei durante aquele dia.

  5. Odinson says:

    Tudo que vc sonha tem referencia , Quando vc descreve alguma criatura estranha, vc a descreve em termos genéricos de algo que viu.No caso da face ,a alegação se reforça com a descrição de cegos de nascença e pessoas que ficaram cegas depois de enxergar por um período de vida.Os primeiros não conseguem descrever faces,os segundos sim.Então a alegação das faces serem faces já vistas é posível e bem observada, mesmo sem ter ‘prova’ científica.

  6. jca says:

    Eu acredito que já sonhei com rosto que nunca vi antes. Tenho dúvidas da veracidade dessa afirmação.

  7. Odinson says:

    Tudo no sonho é referencia visual,odores, sensações.Cegos de nascença não tem referencia visual, logo não criam rostos a partir de lembranças visuais.Isso corrobora a afirmação de que sonhamos apenas com rostos que conhecemos , mesmo que não lembremos, podemos também misturar rostos.Não dependa de papers para basear suas conclusões.

  8. Leo says:

    Vc não precisa ter necessariamente visto a pessoa, pode ter imaginado ela enquanto acordado e essa imagem gravou no cérebro, por isso crianças sonham com estorias que contamos.
    A afirmação também não está restrita a pessoas que vemos na rua, esquecemos que assistimos muita televisão, é só contar a quantidade de desconhecidos que vc vê em meia hora de TV.

  9. Luan says:

    Pô, Oneberto! Só dá para ver a primeira imagem!

Deixe um comentário:

Antes de escrever seu comentário, lembre-se: o iG não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!

Os campos com * são de preenchimento obrigatório







Voltar ao topo