Publicidade

Publicidade
18/06/2014 - 13:43

Vídeo reabre discussão sobre a Lei da Palmada, aprovada pelo Senado

Compartilhe: Twitter

cinto_surra
A Lei da Palmada, proposta pela apresentadora Xuxa e aprovada pelo Senado, ainda rende muitas dúvidas e polêmicas no Brasil. Algumas pessoas acreditam que a tradicional “palmadinha” vai ser punida ou que agora as próprias crianças poderão usar este expediente para tentarem denunciar seus próprios pais, ainda que não estejam sofrendo agressões, que é o foco da lei.

Há algumas semanas, uma cena do seriado Southland ganhou as páginas do Facebook, mostrando o desentendimento entre uma mãe e um filho, que acabou chamando a polícia por ter apanhado com um cinto. Confira abaixo.

Autor: - Categoria(s): Polêmica, Video Tags: , , , ,

Ver todas as notas

21 comentários para “Vídeo reabre discussão sobre a Lei da Palmada, aprovada pelo Senado”

  1. Leboy disse:

    Acho que é da série Southland.

  2. Diego Henrique disse:

    Fico pensando que esse Brasil não vai pra frente mesmo esses governantes são bando de inúteis, pois temos tantas prioridades na lei que deveriam ser mudadas e ao invés de preocupar com por exemplo a menor idade penal ficam inventado leis que não servem pra nada, desse jeito não sei onde vamos parar!! VAMOS ACORDAR E ELEGER GOVERNANTES QUE REALMENTE SE IMPORTAM COM O POVO!! #ACORDABRASIL #MANIFESTAÇÂOÉNASURNAS

  3. Carlos Schneider disse:

    Engraçado e ver a Xuxa uma pessoa de moral extremamente duvidosa e que vive numa bolha completamente alheia a realidade propondo essa Lei e o Senado ainda mais sem moral aprovando. Esse governo e a Xuxa n tem NENHUMA competência pra dizer como educar meu filho. Se não pode dar mais palmada pra educar deixe que ele seja educado pela bala do revólver de alguém.

  4. Nilton disse:

    muito bom…

  5. Thompson disse:

    E claro que a Xuxa e contra dar palmadas nos filhos , vcs acham quer ela vai querer que a baba dela bata na filha dela , pois a maior ação como mãe que a Xuxa tem e de Assinar o cheque do pagamento da baba que cuida da sasha!!!!
    E não podemos esquecer que na época em que ela trabalhava na extinta manchete batia e beliscava nas crianças que não contribuíam com seu showzinho…

  6. Mamaco disse:

    O garoto aprendeu mais com a mijada do que a cintada.

  7. Paulo disse:

    Eu não tenho filhos e já passei da idade de ser criança.

    Vocês que estão com o abacaxi nas mãos, que descasquem ele.

    Mas deixo uma dica:

    Crianças só aprendem a se comportar com responsabilidade e seriedade quando são tratadas desta forma.

  8. marcelo disse:

    EU acho extremamente interessante as pessoas que defendem a palmada, defendem a violência e creem que a ÚNICA forma de se educar/ corrigir é na base da agressão física, bem, me vem tanta coisa contraditória à mente nessa tese que acho que não caberia aqui argumentar contra tudo, mas vou citar: que sentido há em dizer “não a violência” e em casa surrar o filho? como “gerar” uma população pacífica(vivemos fazendo protesto contra a violência, mas no filho não, aí pode, “to educando uai!”) se desde cedo os pequenos se defrontaram com palmadas, chineladas cinturãozadas e tudo o mais que o “educador” entender ser bom para o filho? Caso os responsáveis tenham esse direito até onde eles podem agir para educar os filhos, qual o limite? É inadmissível alguém bater em outro durante uma discussão, um debate mas bater numa criança que muitas vezes não tem noção do que está fazendo e consequentemente não sabe o porquê de estar sendo surrada é legítimo?! Encerro com o velho ditado: nos dos outros é refresco. A você que é a favor das palmadas para corrigir eu espero que quando passe no sinal vermelho não receba uma multa, aceite um soco na cara de um guarda, e que quando cometa um erro no expediente de trabalho, receba feliz uma bofetada do seu chefe…

    • Júlio disse:

      O curioso é que todo defensor desta lei totalitária apela para a batida falácia da ampliação indevida: uma palmada, uma chinelada tornam-se as mais cruéis das torturas, tentativas de homicídio, linchamentos, como se já não houvesse leis para punir os abusos, os espancamentos, os maus tratos etc. Trata-se de um expediente bastante desonesto, típico da MAV do PT.

      Afirmo com certeza que boa parte das pessoas apanharam quando pequenas e nem por isso se tornaram brucutus violentos e incapazes de dialogar. Os principais problemas desta lei: 1- retirar dos pais a autoridade para educar os filhos como acharem melhor e de acordo com seus valores (nem me venham com espantalhos como “crio como quero, tenho o direito de torturar”, ok? os excessos já eram puníveis antes da lei da palmada); 2 – criar mais uma ferramenta de interferência estatal nas vidas alheias, pois uma simples disciplina poderia virar caso de polícia, quer por denúncia da própria criança, pois haveria toda uma “conscientização” nas escolas e nos seus ambientes, ou mesmo de vizinhos bisbilhoteiros e desafetos dos pais; 3- considerando que a lei não proíbe apenas a palmada, mas também qualquer “conduta que humilhe, ameace gravemente ou ridicularize”, os pais terão poucos meios para efetivamente punir seus filhos (a lei é bastante aberta e, na prática, o que é definido como humilhação, ridicularização etc. vai depender da cabeça da criança e da do conselheiro tutelar); some-se a isso o ECA que garante a impunidade do menor e aí teremos uma geração criada sem limites.

      “bater numa criança que muitas vezes não tem noção do que está fazendo e consequentemente não sabe o porquê de estar sendo surrada é legítimo”

      Justamente porque não entendem é que não adianta explicar: se após advertida a criança reitera na conduta, um reforço negativo é necessário, e como fazê-lo se broncas, ridicularizações palmadas são proibidas?

      “A você que é a favor das palmadas para corrigir eu espero que quando passe no sinal vermelho não receba uma multa, aceite um soco na cara de um guarda, e que quando cometa um erro no expediente de trabalho, receba feliz uma bofetada do seu chefe”

      Pessoas que se comportam desta maneira não foram adequadamente disciplinadas por seus pais e por isso apresentam conduta antissocial. A sua tentativa de fazer crer que disciplinas físicas, nos limites do bom senso, geram adultos violentos não faz o menor sentido, pois, a maior parte das pessoas não age assim, e certamente receberam uma palmada quando necessário.

  9. Júlio disse:

    O curioso é que todo defensor desta lei totalitária apela para a batida falácia da ampliação indevida: uma palmada, uma chinelada tornam-se as mais cruéis das torturas, tentativas de homicídio, linchamentos, como se já não houvesse leis para punir os abusos, os espancamentos, os maus tratos etc. Trata-se de um expediente bastante desonesto, típico da MAV do PT.

    Afirmo com certeza que boa parte das pessoas apanharam quando pequenas e nem por isso se tornaram brucutus violentos e incapazes de dialogar. Os principais problemas desta lei: 1- retirar dos pais a autoridade para educar os filhos como acharem melhor e de acordo com seus valores (nem me venham com espantalhos como “crio como quero, tenho o direito de torturar”, ok? os excessos já eram puníveis antes da lei da palmada); 2 – criar mais uma ferramenta de interferência estatal nas vidas alheias, pois uma simples disciplina poderia virar caso de polícia, quer por denúncia da própria criança, pois haveria toda uma “conscientização” nas escolas e nos seus ambientes, ou mesmo de vizinhos bisbilhoteiros e desafetos dos pais; 3- considerando que a lei não proíbe apenas a palmada, mas também qualquer “conduta que humilhe, ameace gravemente ou ridicularize”, os pais terão poucos meios para efetivamente punir seus filhos (a lei é bastante aberta e, na prática, o que é definido como humilhação, ridicularização etc. vai depender da cabeça da criança e da do conselheiro tutelar); some-se a isso o ECA que garante a impunidade do menor e aí teremos uma geração criada sem limites.

    “bater numa criança que muitas vezes não tem noção do que está fazendo e consequentemente não sabe o porquê de estar sendo surrada é legítimo”

    Justamente porque não entendem é que não adianta explicar: se após advertida a criança reitera na conduta, um reforço negativo é necessário, e como fazê-lo se broncas, ridicularizações palmadas são proibidas?

    “A você que é a favor das palmadas para corrigir eu espero que quando passe no sinal vermelho não receba uma multa, aceite um soco na cara de um guarda, e que quando cometa um erro no expediente de trabalho, receba feliz uma bofetada do seu chefe”

    Pessoas que se comportam desta maneira não foram adequadamente disciplinadas por seus pais e por isso apresentam conduta antissocial. A sua tentativa de fazer crer que disciplinas físicas, nos limites do bom senso, geram adultos violentos não faz o menor sentido, pois, a maior parte das pessoas não age assim, e certamente receberam uma palmada quando necessário.

  10. Vagner disse:

    Não acho que uma lei seja necessária ou vá funcionar para esse fim. A justiça e a polícia estão sobrecarregadas de crimes mais sérios para resolver. Então fiscalizar e discernir em relação a denúncia de uma criança birrenta ou realmente de uma criança que está sendo espancada é complicado.
    Concordo que há muitas outras prioridades.
    E também sou contra a violência e espancamentos. Só que quem acha que só com regras e conversa se educa uma criança nunca criou uma criança de verdade. Chega a um ponto que tem que dar uma palmada para mostrar que tem que obedecer. A palmada é uma forma de dizer “não”. Isso é disciplinar e não espancar. Não vamos misturar isso com crimes e maus tratos.
    Eu acho que, no mínimo, não deveria ser crime. Não dessa maneira…
    Como muitas outras coisas sem lógica e sem nexo que acontecem no Brasil, a Lei da Palmada vem para somar a esse grupo, nada menos do que pela “mão” da “rainha dos baixinhos”, a qual tem em seu histórico uma série de atitudes não muito legais, digamos assim, com relação à algumas crianças.
    Resumindo… A lei da palmada é sem sentido e deletéria e esse vídeo deu uma grande lição de como isso é verdade.

  11. mula disse:

    Boa.
    Use camisinha!

  12. Bruna disse:

    Eu e minha irmã sempre brigamos e fomos “encapetadas” quando eramos pequenas. Apanhamos de chinelo, cinto e mais o que tivesse na mão. Só apanhava depois que minha mãe ou meu pai brigava e falava 15 vezes pra parar. Nenhum dessas porradas me traumatizou, me levou pra um caminho errado ou me fez ter sede de vingança. Na medida certa, ME EDUCOU. E eu vou fazer o mesmo com meus filhos se necessário. Dar uma palmada e uma correção é extremamente diferente de surrar, torturar, queimar com cigarro e essas coisas.

  13. Geyson Monte disse:

    Já sou adulto e meus pais nunca precisaram bater em mim para eu aprender que fiz algo de errado. Bastava um olhar ameaçador que eu já percebia que havia feito algo errado. Baixava a cabeça e me redimia. Morreu o boi!!! Pergunta aos delinquentes se eles apanharam quando pequenos. Foram criados soltos no mundo e aprenderam tudo que não prestava. Fez errado tira o celular. Fez de novo tira oTablet. Fez de novo tira todo o acesso a Internet. Fez de novo corta tudo que ainda resta. Fez por último, você criou errado um escorpião. Ele mesmo vai se matar. É isso!!!
    Abraços.

  14. ezequiel disse:

    apanhei certa ver de minha mãe por chegar tarde sem avisar ,,, hoje sempre aviso onde vou e com quem estou ,,,, nunca me vez mal ,,,e essa Xuxa , pra min não tem a minima capacidade pra dar palpite na vida de outras pessoas

  15. Caio disse:

    Mais uma lei criada, mais uma lei que não vai dar em nada…
    Já existe lei que proíbe a violência. Ou é permitido bater em alguém? Palmada na bunda é uma coisa, violência é outra. Eu apanhei muito da minha mãe na infância, mas certamente menos do que ala apanhou na infância dela. E no meu filho de 8 anos, só dei um tapa na bunda em toda a vida dele. E me senti muito mal por isso. Eu não me senti à vontade em fazer de novo e ele não me deu mais motivos para tanto. Até hoje, nem castigo mais ele ganhou. Resolvemos tudo na conversa. Mas acho que isso é mais da indole dele do que da educação que dei. Ou a soma dos dois. Violência é violência e já há lei para isso. O resto é gente querendo mídia em ano eleitoral e em ano de renovação de contrato

  16. Ana disse:

    Tá ent’ao deixo a minha filha de 2 anos que não dá bulhunfas para o que eu falo, colocar o dedo na tomada, no fogo do fogão, etc quantas vezes quiser até aprender? As vezes um tapinha educa sim!

  17. Marx Pedro disse:

    Não me faz sentido na minha cabeça a ideia de que se eu causar dor na pessoa que amo vai trazer beneficio de alguma espécie. Além de que há muito tempo esse método já se mostrou ineficaz

  18. valeria brito disse:

    Olá pessoal.
    Poderiam me informar qual A temporada e EP da série. por gentileza.

Deixe um comentário:

Antes de escrever seu comentário, lembre-se: o iG não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!

Os campos com * são de preenchimento obrigatório







Voltar ao topo