Publicidade

Publicidade
03/03/2015 - 00:02

Paraquedista tem convulsão a mais de 2 mil metros do chão e é salvo por instrutor

Compartilhe: Twitter

convulsao_salto
Um australiano escapou da morte após sofrer uma convulsão depois de saltar de paraquedas a 2.743 metros do chão.

O homem, conhecido como Christopher Jones, contou que passou aproximadamente 30 segundos de queda livre inconsciente.

Sua vida foi salva depois que o instrutor conseguiu puxar a corda do paraquedas de Christopher após uma manobra arrojada.

O próprio instrutor filmou tudo.

Autor: - Categoria(s): Curiosidade, Flagra Tags: , ,

Ver todas as notas

8 comentários para “Paraquedista tem convulsão a mais de 2 mil metros do chão e é salvo por instrutor”

  1. Robbot disse:

    Agora, como se explica que alguém com histórico de crise epilética tem permissão para saltar de para-quedas?

    • Doutor Renato disse:

      alguém o obrigou a pular?! mania de todo mundo querer sempre culpar terceiros por seus erros…

      • Nigga disse:

        E-X-A-T-O

      • Rone disse:

        A questão não é essa. Esse cara é epilético e teve liberação do seu médico particular para saltar. É claro que saltou porque quis, mas confiou no parecer do médico…

      • Robbot disse:

        Exemplo, se o seu filho com altura inapropriada para andar em montanha russa se machuca durante o passeio a culpa é da criança?

        Sua lógica e responsabilidade é fantástica.

        O rapaz arriscou a própria vida e a de seu instrutor. Duas pessoas erradas não fazem uma certa.

  2. Wagner disse:

    Muito foda o instrutor! Adrenalina total!
    Com certeza vao fazer de novo! kkkk

  3. Gerson disse:

    Combinado !

  4. willian disse:

    vai saber se não foi a primeira vez do cara a ter esse ataque .esse instrutor foi o cara em pqp.

Deixe um comentário:

Antes de escrever seu comentário, lembre-se: o iG não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!

Os campos com * são de preenchimento obrigatório







Voltar ao topo