Publicidade

Publicidade
21/10/2015 - 00:01

Após a guerra, veja no que se transformaram as bombas deixadas para trás

Compartilhe: Twitter

A Guerra do Vietnã terminou há 40 anos, mas Laos ainda sente seus efeitos. Após a guerra, muitas bombas foram deixadas para trás. Foi então que resolveram transformar aquele monte de lixo em coisas úteis à população.

As bombas que não foram detonadas ficam armazenadas no mesmo local onde as crianças brincam
vietna_01

Os barcos feitos a partir de carcaças de bombas são o principal meio de transporte da região
vietna_02

Nesta casa, uma parte da bomba virou decoração de jardim
vietna_03

Nesta, virou caco de flores
vietna_04

E base de sustentação
vietna_05

Alguns utilizam carcaças de bombas como recipiente de água
vietna_06

Sinos para vacas
vietna_07

E escora para casas
vietna_08

vietna_09

vietna_10

vietna_11

Fonte

Autor: - Categoria(s): Curiosidade Tags: , ,

Ver todas as notas

4 comentários para “Após a guerra, veja no que se transformaram as bombas deixadas para trás”

  1. Paulo says:

    Um designer que bombou após a guerra!!!!

  2. Geyson Monte says:

    A dos barcos foi sensacional!!!

  3. Andre Goulart says:

    Detalhe: O material dos barcos não foi feito de bombas! Aquilo são tanques de combustíveis em formato aerodinâmico. Os aviões de Guerra costumam levar embaixo das asas, aquilo que parecem “bombas” enormes ou “foguetes”, geralmente são pares ou um só reservatório ventral! São necessários por que os aviões de combate tem velocidades diferentes quando estão na área do alvo, costumam voar me velocidades altíssimas para escapar das defesas e com isso queimam mais combustível, então eles usam estes reservatórios para poderem chegar até os alvos e terem combustível para a volta. Alguns aviões de combate (Xavante,Bandeirulha, Aero L-159, e outros) e ainda até aviões civis de pequeno porte (Lear Jet-25, Beechcraft Bonanza) costumam usá-los nas pontas das asas (Tiptanks) e todos podem ser descartados em voos. Daí a razão de tantos tanques destes intactos no solo.

Deixe um comentário:

Antes de escrever seu comentário, lembre-se: o iG não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!

Os campos com * são de preenchimento obrigatório







Voltar ao topo