Publicidade

Publicidade
28/10/2015 - 00:03

Policial é suspenso após ser flagrado agredindo aluna que se recusou a deixar sala de aula

Compartilhe: Twitter

policial_agredindo

Um policial de uma escola da Carolina do Sul, nos Estados Unidos, está sendo investigado por conduta violenta ao retirar uma aluna da sala de aula.

O que pesa contra ele, além das testemunhas, são dois vídeos feitos pelos próprios alunos que mostram o momento exato em que ele se aproxima da garota, que estaria perturbando na sala, e pede para que ela saia. Em seguida, ele vira-se e a arranca da cadeira, arrastando-a pelo chão. Em seguida, ele a coloca de costas com as mãos para trás.

“A segurança do estudante é e sempre será a principal prioridade do distrito. O distrito não tolerará quaisquer atos que ponham em causa a segurança dos nossos alunos”, declarou a superintendente da escola.
O oficial está suspenso das suas funções até que o processo seja finalizado.

Autor: - Categoria(s): Flagra, Video Tags: , , ,

Ver todas as notas

22 comentários para “Policial é suspenso após ser flagrado agredindo aluna que se recusou a deixar sala de aula”

  1. Anonimo says:

    O policial é chamado para retirar a aluna da sala, ele pede que ela saia, ela se recusa, o que ele deveria fazer? Virar as costas e se recusar a cumprir o seu papel? Eles deveriam aprovar uma lei de utilizar somente policiais negros para atender casos com negros envolvidos. Em todos os lugares o manchete foi “policial branco arrasta aluna negra”. Sendo que o ponto é um policial arrastando uma aluna apenas.

    • Dom says:

      Cara, quando vi por outro ângulo pensei a mesma coisa sobre cor/raça; acho é que foi merecido! Não foi exatamente uma agressão, fala sério! Ainda torço para que o Brasil chegue à pelo menos metade disso. Aqui, no próprio OButeco vimos um vídeo em que um aluno (homossexual) agride uma professora verbal e fisicamente (se não me engano no nordeste do país).
      Obs.: declarei o gênero para maior referência.

      • Paulo says:

        Não, agressão nunca é merecida. Ela é necessária. E, mesmo assim, não pode partir do policial. Tem que partir do agressor. Você ainda acha que não foi uma agressão? Ele usou de força para imobilizar ela, fala sério….

        Sobre o aluno homossexual, se não foi declarado na notícia, como você soube que ele era homossexual? Por quais características? E se ele é homossexual, e agiu dessa forma, é claro que ele merece ser repreendido. Mas isso não significa que os outros homossexuais tenham comportamento semelhante. No caso, você propõe o mesmo que a impressa dos Estados Unidos, que vitimou a aluna por ela ser negra, você está “endemonizando” o homossexual.

        E você não precisa torcer para que o Brasil se torne semelhante ao apresentado ao vídeo. Algumas décadas passadas, o Brasil passava por uma ditadura, em que as pessoas eram tratadas dessa forma ou pior. Levando em consideração os interesses de quem governava, é claro.

        • Dom says:

          “… torço para que o Brasil chegue à pelo menos metade disso”; me refiro a disciplina.
          Acabo assistir a um video onde um garoto negro de 7 anos de idade está totalmente indisciplinado tocando o terror na sala dos professores. Daqui alguns anos sem ser disciplinado ele também poderá atrapalhar uma aula.
          E acho que você não viu o vídeo do aluno agredindo a professora. Qualquer pessoa em estado são mental consegue atribuir um “gênero” ao aluno, então ou você quer arrumar discussão onde não há (se focando em algo que nem é relevante neste caso) ou você não tem sanidade mental plausível.
          Sobre agressão necessária… Sério? Necessária? Agressão… NECESSÁRIA? Acho que é por merecimento em determinada situação, como por exemplo para disciplina. Hoje o governo não nos deixa disciplinar nossos filhos e por comparação os povos antigos eram bem mais DISCIPLINADOS que os de hoje independente de qualidade de informação.

    • Paulo says:

      Ao se recusar, os pais da aluna deveriam ser contatados. Simples assim. Teria evitado todo essa confusão. Claramente ele não está preparado.

      Já colocar uma lei para pessoas de uma cor possam ser tocadas apenas por pessoas da mesma cor apenas aumentaria o preconceito. Vamos imaginar a situação, não sei se você sabe, mas nos Estados Unidos, a questão do racismo é bem pesada. Não é tão “branda” quanto no Brasil. No caso, um negro, ou um branco, poderia alegar que foi abordado por alguém da cor que a lei não permitia. E, afinal, onde começa o negro e termina o branco? No lugar de uma lei dessas, deveria haver maiores debates, abordagens, diálogos sobre o assunto RACISMO. Nesse ponto, informar, orientar é o melhor a ser feito.

      Conforme falei em outro ponto do texto, nos Estados Unidos, a questão do racismo é muito delicada. Porém, a impressa dos Estados Unidos é parecida a impressa da maior parte do mundo. A impressa adora aumentar e, infelizmente, foi isso que aconteceu. Novamente, se houvesse orientação e conscientização, abordagens desse tipo da impressa não teriam tanto efeito. Já que a população estaria orientada a se questionar debater.

  2. Antonio says:

    Esse policial está f!@#$%! Certeza!

  3. Perivaldo Jocove says:

    Nada justifica a truculência. Porém não consigo ser conivente com essa vitimização de quem é, em parte, responsável. Segundo diz aí, a garota estava perturbando em sala. Se ela, antes de mais nada tivesse tido uma atitude condizente, teria evitado todo esse transtorno.

  4. Taketk says:

    Esses tipos de alunos normalmente se acham o maximo, merecem um susto desses sim para baixar as asinhas.Se chegou a tal ponto de ter que chamar a policia, coisa boa não era. Achei e bom

    • Paulo says:

      Adoro comentários desse tipo que, resumidamente, diz que ela fez por merecer. Mas sempre levando a visão da pessoa, que nunca busca por mais informações sobre a situação em si.

  5. Maurício says:

    Ah… que coitada ela… tem problemas em casa, provavelmente, então resolve perturbar a aula e se recusa a sair da sala… ah.. que dó dela. Ai o policial é chamado para tirá-la da sala e acaba agindo de forma truculenta. Que dó dessa vitima da sociedade.
    Tem mais é que tomar uns tapas mesmo.
    Vai saber o histórico desta aluna, o que ela já fez antes ou tudo o que ela fez para chegar a esta situação.

    ONEBerto, cara, usa o Disqus, pelo amor de Deus.

  6. jarba says:

    atrapalha, nao quer sair, e ainda tira o emprego do policial
    nota dez pra vc estudante kkkkkkkkk

  7. Doutor Renato says:

    Se chegou ao ponto dos professores CHAMAREM A POLÍCIA, imagine o que a “santinha” deve ter feito em aula heim?! E ontem a mídia que incita o ódio fez a chamada da matéria do G1 que Polícia BRANCO agride aluna NEGRA… o que tem a ver a questão racial numa situação de ALUNO INDISCIPLINADO EM SALA???

  8. Paulo says:

    Tudo certo, se ele pediu respeitosamente primeiro e ela se negou, tudo certo.

  9. Dom says:

    Saudações ao rapaz da primeira fila com a blusa do TMNT o/

  10. Leila says:

    Lá o buraco é bem mais embaixo…..

  11. João Henrique says:

    O mundo virou uma fábrica de imbecis.

  12. Clauber says:

    O policial já foi demitido. Nos EUA a lei é pra todos.

  13. Pedro says:

    O Policial fez foi pouco,uma boa surra nessa menina e tudo se resolve,se ela estava bardenando ao ponto de ter que chamar a polícia,fez por merecer…não sei pq mas sempre que é gorda e preta faz merda.

  14. Miguel says:

    A atividade policial baseia-se na aplicabilidade da lei penal, sendo assim, enquanto “perturbar a aula” não estiver tipificado código penal como crime com pena cominada, os agentes de polícia não poderão embasar sua conduta na repreensão desses atos.

    A instituição é que é responsável pelos procedimentos a serem tomados em casos como este. A escola se mostrou incompetente, pois não possui um planejamento interno adequado e delega suas atribuições a um órgão que não tem por dever tratar do comportamento de crianças em sala de aula.

  15. cinquenta50 says:

    FUCK POLICE .. COMO — ICE CUBE

  16. Marcelo says:

    O policial exagerou ? Mas qual seria a atitude dele diante da negativa da aluna em acatar primeiro a ordem da professora e em seguida a sua ordem. Ele deveria aguardar até que ela parasse , mas por quanto tempo a aula ficaria parada ou será que ele não estaria fazendo outra pessoa em outro lugar esperar tempo demais por sua ajuda? Ele deveria chamar os pais dela e isso demoraria quanto tempo ? Em resumo ele pode ter exagerado mas qual seria a atitude que ele deveria tomar para cessar a negativa da aluna que já estava atrapalhando a aula. O vídeo retrata o que vivemos atualmente, a aluna fez o que quis e ao ser repreendida talvez de maneira equivocada ganhou repercussão e se comparada ao vídeo do aluno de 7 anos ele também fez o que quis uma vez que quem deveria tomar alguma atitude ficou com receio de fazer já que seria punido. Ou seja não podemos chamar o presidente do país apenas para negociar com um aluno que não tem a atitude esperada.

Deixe um comentário:

Antes de escrever seu comentário, lembre-se: o iG não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!

Os campos com * são de preenchimento obrigatório







Voltar ao topo