Publicidade

Publicidade
24/08/2016 - 00:02

Homem tenta enterrar carro para aplicar golpe no seguro, mas se dá mal

Compartilhe: Twitter

insurance_lexus_04

William Sánchez Cortés, um porto-riquenho de 70 anos, vai ter muito que se explicar à polícia. As autoridades locais descobriram que Cortés tentou aplicar um golpe na companhia de seguros ao afirmar que seu carro, um Lexus 300H ES, havia sido roubado. O problema é que após algumas investigações, a polícia descobriu que ele próprio havia enterrado o carro no seu quintal para sustentar a mentira e receber o dinheiro da companhia.

De acordo com a Univision, o que restou do carro foi resgatado e o proprietário preso.

insurance_lexus_01




insurance_lexus_02




insurance_lexus_03

Autor: - Categoria(s): Curiosidade, Fotos Tags: , ,

Ver todas as notas

13 comentários para “Homem tenta enterrar carro para aplicar golpe no seguro, mas se dá mal”

  1. Caco says:

    Mas é um velho idiota mesmo.

  2. sandro says:

    testando para ver pq não consigo mais comentar no site, kkk

    • ONEberto says:

      Tá funcionando 🙂

      • Diego says:

        Oneberto, fico muito feliz quando tu publica esses posts sobre golpistas que se dão mal. assim tu está mostrando que o crime não compensa.

        ao contrário de ti, a grande midia ama mostrar criminosos impunes e com isso acaba incentivando as pessoas de ma indole a praticar o mal.

        parabéns a esta tua iniciativa

  3. Luiz says:

    Agora ele ficou sem liberdade, sem o dinheiro, sem o carro e sem o seguro.

  4. Mothafucka says:

    era mais facil deixa o carro com a chave dentro largado num bairro perigoso e esperar levarem

  5. Rlima says:

    Desculpa a encheção de saco, enterrar*

  6. sheilo jailson says:

    como o colega acima disse, po nao era mais facil largar o carro num lugar brabo e voltava em outro carro? esse ae vai pro darwin awards

Deixe um comentário:

Antes de escrever seu comentário, lembre-se: o iG não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!

Os campos com * são de preenchimento obrigatório







Voltar ao topo