Norte-americana é escolhida 'a mulher mais tatuada do mundo'


O que começou com uma tentativa de encobrir uma desagradável condição de pele resultou na entrada para o livro Guinness. Uma americana foi nomeada “a mulher mais tatuada do mundo”.

Julia Gnuse – apelidada de senhora ‘ilustrada’ – tem, nada mais, nada menos, que 95% de seu corpo coberto de tinta. Entre as imagens desenhadas: cenas na selva e desenhos animados de seus atores favoritos.

Tudo começou quando a californiana decidiu fazer tatuagens nas pernas depois de desenvolver uma doença de pele chamada “porfiria”, que faz com que a pele torne-se frágil, com bolhas e facilmente machucada.

Logo depois das pernas, a barriga, o braço e as costas acabaram virando arte.

“Eu fiz isso para cobrir cicatrizes das bolhas. Elas ficam tão profundas como queimaduras de terceiro grau”, disse ela ao Daily Mail.

Mais Postagens
Mais Postagens
Parceiros
Comenta aí, butequeiro!