O pior lugar do mundo para se trabalhar

Localizada no topo do vulcão Ijen, na Indonésia, esta mina de enxofre foi aberta em 1968. Cerca de 200 mineiros, conhecido como os “escravos do enxofre”, trabalham lá todos os dias e carregam cerca de 70 a 90 kg de enxofre dentro de cestas através da cratera do vulcão.

Os ganhos diários? Cerca de US$ 5,00 com uma expectativa de vida de apenas 30 anos.

[ Clique para ampliar ]

Os gases que escapam do vulcão são canalizados através de uma rede de tubos de cerâmica, resultando na condensação de enxofre. Este enxofre escorre para fora, através de tubos, tornando-o solidificado. Aí então começa o trabalho dos mineiros, carregando o enxofre para fora da cratera.

Sem qualquer proteção contra os gases vulcânicos, eles carregam até 100 kg por viagem. A maioria deles fazem este percurso duas vezes por dia, por esse motivo, ferimentos graves, especialmente no peito, ombros e problemas oculares, são muito comuns, mas estes homens aceitam esta forma de martírio com resignação.

[ Clique para ampliar ]

Você agora deve estar se perguntando, porque tanto sofrimento em troca de míseros US$ 5,00. Mas acredite, num país tão pobre, o pagamento obtido por um dia de trabalho, é duas vezes maior do que o rendimento diário que eles poderiam receber com as suas plantações de café.

No final do dia, 9 a 12 toneladas de enxofre são entregues. Uma fonte natural de ácido sulfúrico, o enxofre é utilizado por refinarias de petróleo e na produção de detergentes e de fertilizantes. Mas dificilmente os mineiros irão ver os benefícios. Eles se contentam apenas em ganhar algum dinheiro para alimentar suas famílias, mesmo que para isso tenham que arriscar a vida, qualquer tipo de proteção ou de segurança.

[ Clique para ampliar ]

Mais Postagens
Mais Postagens
Parceiros
Comenta aí, butequeiro!