Os 10 produtos mais chatos da tecnologia

A edição norte-americana de PC World listou os 10 produtos mais chatos do mundo da tecnologia. Acompanhe a lista e veja se você concorda com a classificação.

Que tal conhecer uma lista de artigos que mais nos irritaram e, hoje, podem ser considerados os mais chatos de todos os tempos no mundo da tecnologia? Não perca o bom humor e conheça os 10 campeões na categoria “chatice”.

10 – Apple QuickTime for Windows (de 2001 até o presente)

Por que é que todos os players de mídia acham que dominam seu PC? Instale o QuickTime e ele logo aparece na área de notificação do Windows, em ícones na área de trabalho e carrega um applet qttask.exe sempre que você liga o computador – isso tudo sem perguntar nada. Você pode apagá-lo, mas assim que instalá-lo de novo tudo volta. Pior, se quiser usar o iTunes, o QuickTime vem no pacote. Muitos programas instalam atalhos em várias partes do seu sistema, mas a maioria pergunta antes se pode ou não.

9 – Microsoft Windows Update (de 1998 até o presente)

Tudo bem, sabemos que nossos computadores seriam mais vulneráveis se não fosse o Windows Update tapando os infinitos buracos do Windows. Mas usá-lo para fazer propaganda do sistema operacional da Microsoft já o colocaria na ala dos chatos, sem mencionar que ele sempre reinicia o sistema depois de realizar alguma instalação. Anunciado como um update “crucial” há alguns meses, o WGA se instalou sem chamar muita atenção, enviou informações sobre o sistema dos usuários e identificou erroneamente milhões de cópias legais do XP como sendo piratas. Ninguém gosta de penetras e isso é algo a que todos estamos expostos com esse serviço.

8 – Microsoft Windows Vista (2007)

Uma das leis não escritas da computação: todos os Windows são chatos. O Windows Me leva a medalha de ouro, mas o Vista, junto com suas inúmeras janelas de confirmação “Continuar ou Cancelar?” não fica muito atrás. Porém, essa é só a ponta do iceberg. Instalar o Vista num sistema usado é um bom passatempo e também ajuda a descobrir que sua placa de vídeo e alguns de seu programas não irão funcionar como deviam. E mesmo quem for comprar um computador novo, não irá conseguir aproveitar todos os recursos do novo sistema operacional sem pagar uma boa quantia adicional, sem mencionar o fato de que é bem capaz que alguns deles não funcionem de jeito nenhum.

7 – MySpace (de 2003 até o presente)

Os sites de relacionamento costumam ser os maiores transmissores de malwares e um dos maiores do mundo na categoria não seria exceção. A facilidade para quebrar suas barreiras tornaram o MySpace um ótimo meio de se encontrar “amigos”. Aparentemente todos os que um ser humano precisa e mais um pouco.

6 – Bonzi Buddy (de 1999 a 2004)

Descrito como um aplicativo de ajuda, o Bonzi Buddy entregava anúncios contextuais no seu PC – basicamente, depois de colher informações de você. Eles faziam pipocar propaganda o tempo todo e esconder o que precisava ser usado.

5 – Real Networks RealPlayer (de 1996 até 2004)

Em 1996 a Progressive Networks (agora Real Networks) começou a oferecer o RealPLayer numa versão Plus, de 30 dólares, e numa versão gratuita – mas achar o link para o download gratuito era como brincar de “Onde está Wally” no site da Real. Uma vez com o player gratuito baixado e instalado, ele se auto declarava seu player padrão para todos os formatos e começava a soltar avisos pedindo que você adquirisse a versão paga Plus. As versões posteriores se instalavam na área de notificação e soltavam balõezinhos com anúncios de “ofertas especiais” da Real. Parece que queriam ser pagos para acabar com o incômodo diário…

4 – McAfee Internet Security e Symantec Norton Internet Security (de 1998 até o presente)

Pacotes de segurança deveriam servir de guarda-costas para o seu PC. Não é o caso desses dois. O Norton e o McAfee constantemente nos avisam para verificar nossas configurações de segurança, atualizar nossas assinaturas e/ou comprar novos produtos. Foi-se o tempo em que não era preciso comprar assinaturas anuais para antivírus, e não ser incomodado por nada a respeito disso.

3 – DRM: Apple iTunes, Microsoft Windows Media Player, Microsoft Zune, Napster (de 2003 até o presente)

Os players de mídia em si são muito bons, mas os esquemas de direito digitais (DRM) incompatíveis não. Apesar da recente decisão da Apple de vender músicas sem DRM, a maior parte das músicas do iTunes só vai tocar em iPods, alguns telefones Motorola ou computadores com o iTunes instalado, sem falar que as musicas sem DRM são ligeiramente mais caras. A Microsoft afirma que logo irá vender música sem DRM para o Zune. A conferir.

2 – Windows Me (2000)

Já dissemos que o Windows Me foi “a pior versão do Windows já lançada”. A enquete da PC World EUA só confirmou. Logo depois de seu lançamento houve uma avalanche de relatórios de bugs em Redmond. A instalação era difícil, o suporte de driver do hardware era grosseiro e o sistema travava quase todo dia. Como já disse um colunista da PC World, “Millenium era uma referência ao número de vezes que você teria que consertar o sistema”.

1 – CDs AOL (de 1993 a 2006)

A enxurrada de discos gratuitos da AOL foi provavelmente a campanha da marketing mais chata já feita. Estima-se que o número de discos feitos entre julho de 1993 e julho de 2006 em cerca de um bilhão. Você provavelmente deve ter alguns em sua casa. Use-os como porta-copos.

Pesquise DVD player

IDGNow

Mais Postagens
Mais Postagens
Parceiros
Comenta aí, butequeiro!