Os momentos mais constrangedores da tecnologia

Empresas e personalidades do mundo de TI não estão imunes a vexames públicos. Acompanhe 6 momentos selecionados pela CW americana entre esses episódios constrangedores.

1. A tela azul prega uma peça em Bill Gates

O Windows 95 tinha uma interface bem mais agradável do que seu predecessor, o Windows 3.1, mas não era muito rico em recursos, nem muito estável. A Microsoft prometeu que o Windows 98 seria muito mais sólido.

Porém, deveríamos ter percebido o que o futuro reservava a este sistema operacional quando a apresentação de Gates na Comdex Spring, em 1998, foi seriamente comprometida, resultando em uma tela azul da morte (Blue Screen of Death — BSOD) pública. VEJA O VÍDEO

2. Steve Jobs e sua dança

Bill Gates pode ser o visionário por trás da Microsoft, mas o CEO Steve Ballmer há muito tempo é o terno por trás desta visão. O que deu neste bilionário para subir no palco e dançar feito um macaco em um encontro para funcionários em 2001?
Estaria tentando mostrar que era mais engraçado do que Steve Jobs? Oi foi o estresse do trabalho? Estaria freqüentando alguma seita? Talvez nunca venhamos saber.

3. O Vista tem problemas de reconhecimento de fala

Bill Gates previu que um dia o reconhecimento de fala se igualaria ao uso do teclado como técnica de entrada de dados. Mas tudo indica que ainda temos um longo caminho a percorrer.
Raras vezes a tecnologia esteve em situação tão ruim quanto na apresentação tenebrosa da funcionalidade de reconhecimento de fala do Windows Vista em 2006, quando praticamente cada palavra dita por um executivo da Microsoft apareceu errada na tela.

Gates e companhia exageraram na dose de erros constrangedores, mas vamos parar de criticar a Microsoft. Para sermos justos, muitas outras empresas também fizeram demonstrações desastrosas, incluindo a ultramoderna Apple e seu líder Steve Jobs. E as demonstrações são só o começo – há muitos outros momentos extremamente embaraçosos na arena da tecnologia, como mostra o resto da nossa lista.

4. Executivo da IBM “maqueia” currículo

O mandato de Jeff Papows como diretor da divisão de desenvolvimento Lotus da IBM foi bem-sucedido da perspectiva do negócio, mas em 1999 descobriu-se que ele tinha falsificado seu currículo e feito declarações nada confiáveis a colegas de trabalho ao longo dos anos. Ao invés de fuzileiro naval e heróico piloto de combate, foi controlador de tráfego aéreo assistente. Ao invés de Ph.D. de uma prestigiosa universidade, graduou-se através de uma escola por correspondência. E nem era órfão, no final das contas.

Papows não se deixou constranger publicamente, alegando que os erros não passavam de fofoca de corredor que tinha assumido vida própria. E a IBM também não se mostrou particularmente mortificada, permitindo que Papows permanecesse no cargo até sair em 2000 para comandar uma start-up na internet.

5. A repórter descuidada

Muitos de nós já tivemos o pesadelo de ficarmos nus em público. Quando isso acontece com alguém, a única coisa a fazer é lamentar, como aconteceu, de certa forma, com a repórter Cat Schwartz, da TechTV, em 2003.

O detalhe importante da história é que Schwartz pediu a um fotógrafo que tirasse fotos provocantes dela. As fotos foram feitas quando estava sem blusa e sem sutiã. Schwartz fez cortes para que as fotos ficassem mais discretas e postou-as na internet.

Mas o problema foi que Schwartz não percebeu que o Photoshop, ou talvez a própria câmera, incluiu a imagem original como um preview visível da imagem cortada. Este erro se espalhou pela web rapidamente, dando a Cat Schwartz 15 minutos adicionais de fama ou, pelo menos, de vergonha.

6. Quase todo mundo dá uma polida nos seus textos na Wikipedia

O que a Microsoft, o Vaticano, o FBI, a Al Jazeera, a Exxon Mobil e a Amnesty International têm em comum? Estas e muitas outras organizações conhecidas foram responsabilizadas por alterar entradas na Wikipedia que não as favoreciam.

A prática foi descoberta no início do ano graças ao programa WikiScanner, desenvolvido por Virgil Griffith, estudante de pós-graduação do California Institute of Technology (CalTech).
O WikiScanner é capaz de detectar as origens de alterações feitas na enciclopédia online editada por usuários. O programa descobriu que muitas pessoas e organizações editam a Wikipedia de acordo com sua conveniência. Neste caso, há muito motivo para constrangimento.

Em MaltaStar.com existe uma boa lista de quem mudou o quê. A Wired também mantém uma lista contínua de edições, que conta com a colaboração de usuários.

[ <a href=”http://computerworld.uol.com.br/mercado/2007/11/09/idgnoticia.2007-11-08.6454757086/

” target=_blank>FONTE ]

Mais Postagens
Mais Postagens
Parceiros
Comenta aí, butequeiro!