Cliente invade velório para cobrar viúva e inicia confusão; veja o vídeo

porrada-funeraria

Uma cena mais que surreal movimentou o interior de uma funerária em Campo Grande, Mato Grosso do Sul. Uma mulher invadiu o velório do marido de uma confeiteira para exigir que a mesma devolvesse o valor correspondente à uma encomenda que não seria entregue.

De acordo com Dayane Cristina Bernardino, a confeiteira, a encomenda seria entregue naquele dia, mas seu marido veio a óbito no hospital, o que não permitiria que o acordo fosse cumprido. Segundo ela, dos dez clientes agendados para aquele diz, apenas a protagonista do triste episódio não aceitou a justificativa.

Segundo relato de parentes, a cliente descobriu onde Dayane estava e invadiu o velório filmando e exigindo que ela devolvesse o valor pago, mais uma diferença de R$ 80, referente a uma nova encomenda feita com outra confeiteira. Os ânimos se exaltaram e uma prima de Dayane partiu para a briga, conforme mostram as imagens a seguir.

“Minha ajudante estava comigo, iria visitar meu esposo e depois finalizaria os doces dela, mas no meio do trabalho o hospital me ligou solicitando minha presença. Fui desolada. Quando cheguei, o médico disse que meu esposo piorou de uma hora para outra, teve uma parada cardíaca e não conseguiram ressuscitar. Entrei em contato com essa cliente de lá do hospital dizendo que não teria condições de fazer os doces… Ela foi de uma desumanidade sem igual. Eu perdi meu companheiro, pai dos meus três filhos, não foram doces”, conta Dayane ao Top Midia.

“Ela disse que eu era irresponsável, que eu havia estragado a festa dela, que iria me processar e várias outras a barbaridade. Me propus a todo momento devolver o dinheiro e ela dizia que queria os doces. Ela tinha dado uma entrada de R$ 200 e queria R$ 280, pois seria quanto ela gastaria num novo pacote”, finalizou.

Dayane fez boletim de ocorrência por impedimento ou perturbação de cerimônia funerária.

CONTINUE LENDO

Tinha tudo para ser um bullying, mas olha só no que deu

anti-bullying

Um aluno de uma escola no Parque do Carmo, na Zona Leste de São Paulo, foi surpreendido por seus colegas num momento de descontração entre eles, que mais parecia um episódio de bullying. Rodrigo, que é portador de necessidades especiais, gosta de jogar como goleiro, mas não tinha dinheiro para comprar luvas e aí usava luvas de limpeza. Seus colegas, então, se juntaram e fizeram isso que você verá a seguir.



Bom, daqui uma semana e 2 dias vai chegar o famoso dia das crianças, e na minha sala tem um menino especial, o Rodrigo, ele sempre disse que queria ser goleiro, e ter uma luva igual a do Cássio, e eu meus amigos Lucas , Keven e Yan se reunimos e pensamos em dar algo pra ele nessa data eai compramos uma luva de goleiro ( não a do Cássio) e uma bola de futebol, e demos antecipado pra ele, ele ficou muito feliz, disse que esse foi o melhor presente do mundo pra ele.

Publicado por Guilherme Oliveira em Terça-feira, 3 de outubro de 2017

E não parou aí… o goleiro Cássio, do Corinthians, que é ídolo do estudante, se sensibilizou com a história e garantiu que vai entregar uma luva sua para o garoto.

“É apenas um jogo”, eles diziam.

CONTINUE LENDO