Youtuber capota carro de R$ 300 mil no seu quintal; assista

Conhecido na internet por testar carros esportivos, o youtuber francês Pog recebeu uma das 3 mil unidades do Mini John Cooper Works GP, avaliado em R$ 300 mil. No entanto, o resultado não foi tão satisfatório.

No vídeo, é possível ver Pog recebendo o carro pelo “correio” com direito a uma caixa embalando-o. Como não poderia sair em virtude das restrições causadas pelo coronavírus, ele começa a rodar ao redor de sua casa, pelo jardim. Tudo ia bem, até ele perder o controle e capotar com o veículo.

CONTINUE LENDO

Filho do ‘Caçador de Crocodilo’ é picado no rosto por cobra, assim como o pai; assista

A história voltou ao se repetir alguns anos depois. Robert Irwin, o filho do falecido ‘Caçador de Crocodilo’ Steve Irwin foi atacado no rosto por uma cobra píton-carpete, durante a gravação de um programa de TV a cabo.

Robert tentava devolver a cobra à natureza, quando ela deu um bote atingindo seu rosto. Apesar do susto, ele levou o incidente na esportiva e até postou uma foto comparando com seu pai, que também foi atacado numa situação parecida.

CONTINUE LENDO

Homem que não acreditava no coronavírus contrai doença em ‘festa do covid’ e morre

Parece mentira, mas infelizmente é uma história bem real e triste. Um jovem de 30 anos, morador de San Antonio, no Texas, morreu após se contaminar num evento conhecido como “festa da Covid-19”. O intuito do evento era descobrir se o vírus é real ou não, então algumas pessoas foram intencionamente expostas ao coronavírus, na tentativa de testar a imunidade.


A informação foi dada por Jane Appleby, diretora médica do Hospital Metodista de San Antonio, onde o rapaz estava internado. Ela contou que a saúde do paciente começou a deteriorar algumas semanas após a festa, fazendo com que fosse internado. Foi quando admitiu que tinha cometido um erro. “Eu errei, pensei que era um boato, mas não era”, disse ela numa entrevista à rede de TV ABC.


“Não quero parecer alarmista, estamos apenas tentando compartilhar alguns exemplos do mundo real para ajudar nossa comunidade a perceber que esse vírus é muito sério e pode se espalhar facilmente”, disse ela.
“Ele pensou que a doença era uma mentira. Achava que sendo jovem era imune e não seria afetado pela doença”, complementou.


Autoridades de saúde do condado do sudeste do estado de Washington relataram em maio que tinham evidências de que pelo menos dois casos de coronavírus estavam vinculados a esse tipo de festa, e mais tarde potencializaram o número de infectados.


Segundo Appleby, os jovens não ligam muito quando estão doentes e subestimam o vírus. “Eles realmente não parecem doentes, mas quando você checa seus níveis de oxigênio e realiza testes laboratoriais, percebe que estão mais doentes do que parecem. Nenhum de nós é invencível”, complementou.

CONTINUE LENDO