As câmeras digitais mais esquisitas do mundo

Seria um isqueiro?

Se você precisar fotografar um flagrante ou simplesmente não quiser demonstrar que está registrando um fato, a discretíssima câmera-isqueiro é a indicação. A “Zippo” tem memória interna de 64 MB, que armazena até 100 imagens e funciona com uma pilha AAA.

Quase um anel

Se o seu dedo indicador só servia para dar o clique na câmera, agora ele é personagem principal. A Canon Snap foi feita para ser vestida e, se o usuário desejar, pode usá-la também para espionagens ocasionais.

Quer megapixels?

A câmera da Seitz tem 160 para oferecer, o que resulta em arquivos de até 1GB. O preço também é mega: 33.715 dólares.


Clássica

O modelo Minox DCC Leica M3 é uma miniatura que busca os conceitos de câmeras clássicas analógicas, mas é digital. Ela tem display LCD de 1,5 polegada, resolução de 5,0 megapixels e memória interna de 32MB.

Hello Kitty

O personagem com uma legião de fãs virou uma câmera que, além de fotografar, fica envergonhada. A Sanrio, especializada na turma da Hello Kitty, teve a idéia de fazer o modelo ruborizar a cada foto tirada. A resolução é de 5 megapixels.

Registro da natureza

Esta mini câmera coloca a tecnologia de encontro com a natureza. Resistente a água – até 100 metros de profundidade -, a Hero 3 Digital Wrist Camera tem memória interna de 16MB. O acessório é seu diferencial: ela pode ser usada no pulso, permitindo fotografias em movimento.

Vídeo à prova d’água

Para quem gosta de filmar as próprias aventuras, a ATC2K Action Cam é a escolha ideal. A Oregon Scientific oferece o modelo com acessórios para que ela seja usada em capacetes ou acoplada a bicicletas. E claro, aos usuários submersos, a câmera filma em até 3 metros de profundidade em 30 frames por segundo.

Embutida na máscara

Capturar ou filmar um mergulho com a Underwater Digital Camera Mask, da Liquid Image, é bem simples. A câmera – opções de 3.1 ou 5 megapixels – está inclusa em uma máscara, que suporta profundidade de até 4,5 metros.

Voadora

O conceito desta câmera literalmente voa. Para que ela funcione, o usuário esfrega o palito, onde está inclusa a câmera, e solta o objeto no ar. O dispositivo tira as fotos em um intervalo de tempo determinado e é ecologicamente correto.

Conceito verde

Para reduzir os danos das baterias ao meio ambiente, a Sony criou o protótipo Twirl N’ Take. Esta câmera digital precisa ser sacudida para funcionar – após um agito de 15 segundos, o usuário consegue tirar uma foto. O modelo não tem visor LCD e a Sony ainda não divulgou planos de lançá-la comercialmente.

Feita de madeira

A Olympus mostrou, durante a Photokina 2006, o protótipo de uma câmera digital feita com madeira extraída de árvores ciprestes do Japão. Diferente da Sony, a idéia é pouco verde, mas a fabricante também não comercializa ou oferece previsões de venda do modelo.

[ FONTE ]

CONTINUE LENDO

Prato do dia: Links à bolonhesa

• [ VIDEO ] Purificação extraordinária, uma das melhores propagandas que já vi na vida! [ VEJA ]

• [ BLOG ] Alexandre Frota vira evangélico. [ VEJA ]

• [ SITE ] Alguém sabe o que acontece em Fortaleza? [ VEJA ]

• [ BLOG ] Fake ou Foto? [ VEJA ]

• [ VIDEO ] Filmando um relâmpago de perto (bem de perto) [ VEJA ]

• [ BLOG ] Invenção Genial! Canudo transforma água suja em potável [ VEJA ]

• [ VIDEO ] Jogador de hóquei tem jugular cortada [ VEJA ]

• [ BLOG ] Incidentes Bizarros em Games [ VEJA ]

• [ VIDEO ] Aterrissagens de aviões de tirar o fôlego [ VEJA ]

• [ BLOG ] Os 11 super heróis com os poderes mais ridículos dos quadrinhos [ VEJA ]

• [ BLOG ] Algumas das coisas mais raras do mundo [ VEJA ]

• [ BLOG ] Formula 1 2008: detalhes, calendário e fotos da temporada [ VEJA ]

• [ FOTOS ] Como estragar uma foto. [ VEJA ]

CONTINUE LENDO

Humanos poderão fazer sexo com robôs ainda neste século

Uma empresa japonesa, a Axis, já fabricou aqueles que poderiam ser considerados os primeiros robôs sexuais.

Eles se chamam Honeydolls e são bonecas de resina e silicone em tamanho real equipadas em cada seio com sensores conectados a um som. Se o “usuário” beliscar seus mamilos, um modelo chamado Cindy dá gritos de prazer e sussurra palavras melosas ao pé do ouvido.

As mulheres também se deixarão tentar pelos robôs sexuais, considera o autor da frase deste post, David Levy, autor de “Sexo com os Robôs: a Evolução das Relações entre Humanos e Robôs”.

Ele afirma acreditar firmemente no aumento das vendas de massagens vibratórias no mundo inteiro e na queda de tabus.

“Imaginem: sexo à vontade, as 24 horas, os sete dias!” da semana, anima-se o autor. Nem todos, no entanto, compartilham esta visão de um futuro na qual os humanóides seriam fonte de prazer.

Muitos acham que isso é factível, levando-se em conta os progressos realizados na reprodução dos músculos e dos movimentos humanos, ou na inteligência artificial –concretamente na imitação de emoções e de aspectos da personalidade.

O que para Levy representa uma vida sexual desenfreada sem sentimento de culpa e livre do contágio de doenças sexualmente transmissíveis significa para outros um pesadelo desesperador. “Parece descabido pensar que seres humanos vão se relacionar com robôs”, afirma a sexóloga americana Yvonne K. Fulbright, embora reconheça que os robôs sexuais têm lugar no mercado.

“Há um verdadeiro problema com os robôs sexuais: as pessoas se sentirão fracassadas se esta for sua única solução”, adianta.

Folha

CONTINUE LENDO

Os 7 maiores mentirosos de todos os tempos

Com muita sutileza, eles conseguiram mentir para várias pessoas e aplicar diversos golpes afim de se beneficiarem monetariamente. Felizmente a história deles está disponível, pois a polícia conseguiu prendê-los.

Veja abaixo os 7 grandes mentirosos e golpistas de todos os tempos:

Frank Abagnale – o rei dos golpes curiosos

Frank William Abagnale foi um dos maiores falsificadores que os Estados Unidos já teve. Sua história de vida serviu de inspiração para o filme “Catch Me If You Can” (Prenda-me se for capaz), baseado em sua biografia não oficial de mesmo nome.

Seu primeiro golpe foi fazendo cheques sem fundo, que descobriu que era possível quando foi forçado a fazer cheques com quantias superiores ao que tinha guardado. Isso, entretanto, funcionou até a hora que o banco parou de emitir mais cheques, o que fez com que abrisse mais contas em bancos diferentes, eventualmente criando novas identidades para isso.

Por um período de dois anos Abagnale se disfarçou como o piloto da companhia aérea Pan Am “Frank Williams” para obter voôs de graça pelo mundo por deadheading (pilotos ganham viagens de graça para outras cidades pelo mundo por outras companhias aéreas como cortesia quando precisam fazer vôos nestas cidades) em vôos normais. No primeiro destes vôos, não sabia onde estava seu assento. Uma aeromoça teve o privilégio de mostrar a Abagnale onde estava o assento. Ele conseguiu fazer um cartão de identificação falso da Pan Am através de um modelo e um certificado de piloto da FAA (Federal Aviation Administration). Ele também conseguiu um uniforme da Pan Am fingindo ser um piloto autêntico que perdeu seu uniforme.

Frank também forjou outros títulos que lhe fizeram trabalhar sob 8 identidades, além de ter usado muitas outras para fraudar cheques, cujo volume de prejuízos passou de US$2,5 milhões em 26 países. Todo o dinheiro bancou um estilo de vida em que ele namorou comissárias de bordo, comeu em restaurantes caros, comprou roupas caras, e para preparar os próximos golpes.

Frank foi preso na França em 1969 quando uma comissária da Air France reconheceu seu rosto em um cartaz de procurado. Quando a polícia francesa o apreendeu, todos os 26 países em que cometeu fraude pediram sua extradição.

Atualmente ele preside a Abagnale and Associates, uma empresa de consultoria contra fraudes financeiras.

Charles Ponzi – o “rei” de Boston

Charles Ponzi (também conhecido por Carlo Ponzi, Charles Ponei, Charles P. Bianchi e Carl) foi o italiano que se tornou um dos maiores trapaceiros de toda a história dos Estados Unidos.

Seus primeiros anos nos Estados Unidos foram incomodativos. Ele começou a trabalhar em um restaurante, mas logo foi despedido por usar de truques enganar trapacear no troco dos clientes.

Emigrou para os EUA em 1903 e desde o início teve problemas com a justiça falsificando cheques e cometendo outros pequenos crimes (falsificação de documentos, pequenos roubos etc…) tanto nos EUA quanto no Canadá onde viveu durante um tempo.

Em 1918, em Boston, casou com uma outra emigrante italiana e no ano seguinte iniciou, sempre em Boston, seu mais famoso esquema de fraude. Durante alguns meses, enquanto durou a fraude, foi uma das pessoas mais admiradas de Boston e um dos pilares da comunidade. Mudou para uma mansão e participava de obras de assistência.

Foi pra prisão várias vezes no Canadá e nos EUA. Em 1934, quando saiu da última prisão foi deportado de volta pra Itália onde tentou novos esquemas, mas sem sucesso.

Finalmente mudou para o Brasil onde trabalhou como representante das linhas aéreas italianas até que estas foram fechadas por causa da guerra.

Morreu em janeiro de 1949 num hospital para indigentes no Rio de Janeiro.

Joseph Weil – o sedutor de pessoas honestas


Joseph “Yellow Kid” Weil foi um dos mais famosos estelionatários da sua época. Ao longo de sua carreira, acredita-se ter roubado mais de 8 milhões de dólares.

Seus amigos mais próximos diziam que seu grande trunfo era conhecer muito bem a natureza humana. Sua frase célebre: “Eu não aplico golpes em pessoas honestas, somente naqueles que acham que podem ganhar algo sem dar nada. Pra essas, eu dou nada, em troca de algo”.

Weil também dizia que a maioria das pessoas que conhecia possuia o que ele chamava de “lado animal” muito mais forte que seu lado racional, e o apelo de “ganhar algo sem dar nada” seduzia a maioria das pessoas: “Quando as pessoas aprenderem – e eu duvido que elas irão – que não podem ganhar algo de graça, o crime irá desaparecer e viveremos em grande harmonia”.

Victor Lustig – o vendedor da Torre Eiffel

Em 1925, o elegante e mundano vigarista austro-húngaro Victor Lustig, que se fazia chamar “o Conde”, conseguiu dar o “golpe de sua vida”, vendendo a Torre Eiffel a um ingênuo negociante de sucata.

Aproveitando que a prefeitura da capital estava com graves dificuldades financeiras, que impediam inclusive reparar o oxidado monumento, Lustig se instalou na suíte mais elegante do Hotel de Crillon, em frente à Praça de la Concorde, com uma estupenda vista para sua futura vítima.

Graças a um falsificador conseguiu várias folhas em branco, envelopes e selos com o timbre da prefeitura e convocou por escrito os cinco mais importantes comerciantes de sucata do país, para lhes propor um grande negócio que exigia o máximo de discrição.

Os cinco interessados foram ao encontro, e Lustig, em meio a canapés e taças de champanhe, lhes revelou que havia sido designado pelas autoridades municipais para vender a Torre Eiffel à melhor proposta.

Enquanto explicava as dificuldades financeiras que obrigavam a prefeitura a se desfazer do monumento, observava seus cinco interlocutores para detectar o mais ambicioso e ingênuo ao mesmo tempo.

Quarenta e oito horas depois recebia cinco envelopes fechados com propostas de compra.

Só se interessou por aquele que achava que cairia mais facilmente em suas mãos. Convocou-o no dia seguinte para lhe comunicar que sua proposta era a que tinha sido aceita.

“Mas você sabe que nestes casos costuma-se fazer chegar discretamente ao senhor prefeito uma quantia “correta”, em dinheiro vivo, para lhe agradecer seu apoio”, disse-lhe Lustig, o que o futuro novo “dono” da Torre aceitou imediatamente.

Um dia depois, o feliz comprador chegou a vê-lo com uma pasta cheia de cédulas e acertou voltar à tarde para assinar a transferência oficial.

Qual não foi sua surpresa, ao constatar que “o Conde” tinha feito suas malas, pago a conta e deixado o hotel com destino desconhecido.

George Parker – o audacioso

Parker foi um dos mais audaciosos estelionatários da história americana. Ele fez sua vida vendendo marcos públicos de New York para turistas desavisados. Seu objeto favorito para venda era a Brooklyn Bridge, que ele vendeu duas vezes por semana durante anos. Convencendo que, com a compra, poderiam conseguir uma fortuna simplesmente controlando o acesso à pista, numa espécie de pedágio. Mais de uma vez a polícia teve que remover ingenuos compradores da ponte na tentativa de erguer barreiras.

Outros marcos públicos que ele “vendeu” foram: o Madison Square Garden, o Metropolitan Museum of Art, Grant’s Tomb e a Estátua da Liberdade. George tinha muitos métodos diferentes para fazer a sua venda. Chegou a criar um falso “escritório” para gerir seus imóveis. Ele produziu grande impressionante quantidade de documentos falsos para provar que ele era o legítimo proprietário de cada um dos imóveis que colocava à venda.

Eduardo de Valfierno – um ladrão de bom gosto

O italiano Vincenzo Perugia talvez seja o único pintor de paredes a entrar para a história da arte. Seu feito deu-se em 1911, quando roubou nada mais nada menos que o quadro mais famoso do mundo, a Mona Lisa, do Museu do Louvre, de Paris.

O ladrão foi pego quando tentava revender a obra-prima de Leonardo da Vinci e condenado em 1914. O mentor do crime foi um artista chamado Eduardo de Valfierno.

Nos anos em que a obra esteve desaparecida, Valfierno vendeu seis quadros forjados por 300 000 dólares cada um.

O Louvre garante que recuperou o original de Da Vinci.

Robert Hendy-Freegard – o galã


As vítimas de Robert Hendy-Freegard, de 34 anos – pelo menos seis mulheres endinheiradas – foram convencidas de que corriam risco de vida por terem se ligado a ele e foram obrigadas a viver fugindo e apavoradas.

Segundo o diário britânico The Times, enquanto elas se escondiam para se proteger de uma falsa ameaça, ele aproveitava para levar uma vida luxuosa, comprando carros avaliados em 250 mil libras (R$ 1,08 milhão).

A polícia disse ao jornal que há suspeitas de que exista outras vítimas que não foram citadas no julgamento – uma delas seria brasileira.

Sua trajetória de farsante começou quando trabalhava como barman num bar da cidade de Newport. Na época, no início dos anos 90, havia muita atividade do grupo radical irlandês IRA naquela região.

Isso ajudou a alimentar a ficção criada por Hendy-Freegard. Ele conheceu três jovens estudantes de famílias ricas (duas mulheres e o namorado de uma delas) e os convenceu de que era um agente do MI5 investigando uma célula do IRA com planos de explodir uma bomba na universidade.

Mensão honrosa: Marcelo Nascimento – o filho do dono da Gol

Quase não dá para acreditar. Mas grande parte das aventuras vividas pelo paranaense Marcelo Nascimento da Rocha – ou Victor Hugo, Juliano Silva ou Marcelo Ferrari Contti, outra de suas 16 identidades – é verdadeira, como confirmaram testemunhas e reportagens. A estripulia que tornou o picareta célebre foi ter se passado por Henrique Constantino, filho do dono da empresa de aviação Gol. A escritora Mariana Caltabiano compilou esse e outros causos de Nascimento durante um ano gravando depoimentos seus no xadrez do Centro de Triagem de Curitiba. O fruto das entrevistas é o livro Vips – Histórias Reais de um Mentiroso, em que Nascimento relata, em primeira pessoa, picaretagens que beiram o fantástico.

Apesar de ter passado a maior parte de seus 29 anos entre mentiras e trapaças, Nascimento só ficou famoso em 2001. Naquele ano, foragido da polícia depois de ter sido preso no Acre transportando drogas em um avião que pilotava, ele resolveu se divertir. Passou quatro dias num camarote do Recifolia, o Carnaval fora de época da capital pernambucana. Comeu, bebeu e foi bajulado por famosos e modelos usando o nome de Constantino, filho do dono da Gol. Tirou fotos com a modelo Joana Prado, a Feiticeira, então no auge da fama. Foi apresentado pela diretoria do Recifolia a Amaury Jr., o que lhe rendeu uma entrevista para a TV. ‘Fiquei extremamente impressionado com ele, porque é uma pessoa de alto magnetismo’, contou o apresentador à autora do livro. Amaury até pegou carona em um jato que o ‘filho do Constantino’ havia emprestado em sua companhia aérea, e ficou pasmo quando soube da farsa.

Nascimento foi condenado por cinco crimes: estelionato, falsidade ideológica, associação com o tráfico, apropriação indébita e uso indevido de farda e insígnia, no caso deste último pela Justiça Militar. No tempo em que serviu o Exército, fingiu ter uma patente maior e vendeu motos que seriam leiloadas. As trapaças que conta no livro poderiam colocá-lo em mais uma série de inquéritos policiais e desencadear outras sentenças. ‘Não acho que estou glamourizando um bandido. Marcelo não vai se dar bem no final’, alega Mariana. O vigarista está numa prisão em Avaré, no interior de São Paulo, e ficará preso por mais quatro anos. Isso se não fugir da cadeia, como já fez três vezes, inclusive enquanto Mariana preparava o livro.

Via Wiki e vários

CONTINUE LENDO

A moda agora é transformar igrejas em apartamentos

O declínio na frequência de igrejas na Holanda nos últimos anos levou algumas a serem abandonadas. Muitas vezes são demolidas ou customizadas para outros usos. É o caso desta igreja em Utrecht que o gabinete de arquitetura Zecc resolveu converter num moderno apartamento.

Eu particularmente achei de extremo bom gosto!

O resultado da conversão foi este:

A equipe de design preferiu manter diversas características originais como os vitrais e o órgão do coro. As zonas comuns foram entretanto pintadas de branco, enquanto os espaços privados exibem tons escuros.

Via Farpas
CONTINUE LENDO

Da série: "Não acredite em tudo que te falam"

Lembro-me como se fosse hoje da reportagem, em que o Amaury Jr. entrevistou um sujeito que se fez passar pelo filho do dono da Gol. Só não sabia que o rapaz ainda tinha se beneficiado do golpe como mostra a reportagem abaixo, exibida no “Domingo Espetacular” da Record, que diga-se de passagem, está dando um banho no vovôzinho “Fantástico”!

Fica fácil de perceber como aparência e boa lábia faz você literalmente voar sobre as núvens.

Segundo li no Procurando Vagas, a escritora Mariana Caltabiano compilou esse e outros causos de Nascimento durante um ano gravando depoimentos seus no xadrez do Centro de Triagem de Curitiba. O fruto das entrevistas é o livro Vips – Histórias Reais de um Mentiroso.
CONTINUE LENDO

Saiba de onde surgiram os tipos de letra que você usa no computador

Já se perguntou como e por quem as fontes que você vê todos os dias no PC foram criadas? E quem criou os símbolos de “@”, “&” e até mesmo o alfabeto braile?

Essas milhares de letrinhas que correm todos os dias nos documentos do World, no bate-papo dos comunicadores instantâneos e nos e-mails têm histórias muito peculiares e interessantes, que vêm desde a época da criação da imprensa, por Gutemberg, em 1480, e foram ganhando novos capítulos até a era do computador.

Veja algumas fontes abaixo:

Times New Roman


A Times New Roman foi criada em 1932 especialmente para o jornal inglês ”The Time of London”. O objetivo era aprimorar (e substituir) a então popular Times Old Face.

Helvetica


A Helvetica foi criada pelo suiço Max Miedinger, em 1957. Seu nome deriva da palavra ‘helvetia’, o nome latino da Suíça. A fonte é baseada em uma tipografia mais antiga chamada Akzidenz Grotesk, criada em 1898.

Arial


A fonte Arial foi encomendada pela Microsoft, em 1992, para driblar os altos preços cobrados pelo uso da licença da fonte Helvetica – muito conhecida na época. Assim como a Microsoft, a IBM também deu um jeito de driblar os royalts da Helvetica.

Garamond


Criada em 1540 pelo tipógrafo francês Claude Garamond, a fonte foi encomendada pelo rei Francisco I para ser usada em uma série de livros. Depois, o tribunal francês adotou a Garamond como fonte padrão, o que influenciou a tipografia de toda a Europa.

Criação de Vicent Connare


Criadas na década de 90, as fontes Trebuchet, Webdings e a polêmica Comics Sans são obras do typedesigner Vicent Connare. Na época, Connare era engenheiro tipográfico da Microsoft, depois de ter passado uma temporada na Apple.

Verdana


Criada em 1996 pelo designer Matthew Carter a pedido da Microsoft Corporation, a fonte Verdana foi inspirada em tipografias famosas. O principal objetivo da Verdana era ser lida em telas com baixa resolução para adaptar-se a textos corridos.

Tahoma


Criada pela Microsoft, a fonte começou a ser distribuída juntamente com a Verdana no Windows 95.

Trebuchet


Mais uma das criações de Vicent Connare, a Trebuchet surgiu em 1996. O nome remete a um instrumento medieval.

Fontes para crianças


Qual é a fonte ideal para as crianças aprenderem a ler? Na Alemanha, convencionou-se usar as do grupo Druckschriften. Essas fontes são baseadas em desenhos elementares e geométricos, para facilitar o desenho das formas.

Arroba


A princípio, o símbolo arroba (@) era escrito com as letras ‘a’ e ‘t’ mesmo (como se pronuncia em inglês). Com os experimentos feitos pelos typedesigners, o ‘t’ começou a ficar curvo até chegar no círculo que temos hoje sobre a letra ‘a’.

[ FONTE ]

CONTINUE LENDO

Romeo, o menor fisiculturista do mundo

Com apenas 83 centímetros de altura, Aditya “Romeo” Dev, de 19 anos, pulveriza preconceitos com a mesma voracidade com que levanta peso em uma academia de Phagwara, na Índia.

Segundo o Daily Mail, Romeo é muito conhecido em sua cidade por conseguir levantar 1,5 kg em cada mão. Sua fama lhe permite ganhar a vida se apresentando como fisiculturista e dançarino.

O próprio Romeo gaba-se: “Eu sou fisiculturista, faz dois anos que eu acho que devo ser o mais forte anão no mundo.”

Determinado, Romeo espera uma chance de ter um programa de TV, após suas últimas aparições em programas locais.

“Meu tamanho nunca foi um problema. Eu treino musculação e faço aeróbica. As pessoas ficam sempre contente ao ver-me. Sou feliz!”

CONTINUE LENDO

5 insetos que você deve evitar a todo custo

Passando pelo Cracked encontrei essa matéria interessante. São os 5 insetos que você deve evitar a todo custo.

Nome: Vespa Japonesa Gigante


Local: Japão

Porque você deve ter medo dela: Ela é do tamanho do seu polegar e tem condições de injetar um veneno extremamente tóxico. Além disso, o veneno contém um coquetel de feromona – substância que permite atrair o sexo oposto dos animais – fazendo com que os demais membros da colméia também venha picá-lo.

Essa vespa é uma assassina de abelhas e de pessoas também! Seu veneno é muito forte e ela não perde o ferrão, podendo ferroar quantas vezes quiser. Em média, uma vespa mandarina consegue matar 40 abelhas por minuto, sendo necessárias apenas umas 30 para arrasarem com uma colónia de 30.000 abelhas em 3 horas.[ + VIDEO ]

Nome: Formiga-cabo-verde (Paraponera clavata)


Local: Florestas tropicais da Nicarágua ao Paraguai

Porque você deve ter medo dela: A Formiga-cabo-verde localiza-se na América do Sul. Caracteriza-se por apresentar um tubérculo no protórax e outro no primeiro segmento abdominal, medindo cerca de 22 mm de comprimento e notável pela agressividade e pela picada dolorosa. Também é conhecida pelos nomes de cabo-verde, chia-chia e naná. Habitam a costa atlântica das Américas.

A formiga-cabo-verde é agressiva e a sua mordedura provoca uma dor intensa. Ela é conhecida por ‘Bullet Ant’ porque a sua ferroada assemelha-se a dor de um tiro. [ + VIDEO ]

Nome: Abelha africana (Apis mellifera scutellata)


Local: América Central e do Sul

Porque você deve ter medo dela: Possuem visão mais aguçada, resposta mais rápida e eficaz ao feromônio de alarme. Os ataques são, geralmente, em massa, persistentes e sucessivos, podendo estimular a agressividade de operárias de colmeias vizinhas.

Não há nenhuma forma física para determinar a diferença entre uma abelha comum e uma abelha africana.

As abelhas africanas devem a sua existência à ciência. Na década 50, no Brasil, alguns cientistas resolveram cruzar abelhas africanas com abelhas comuns. Eles queriam uma abelha que pudesse viver na selva.

Os locais do corpo do cão mais comumente atacados pelas abelhas são as regiões nasal, oral e ocular. Sabe-se que cores escuras estimulam o ataque mais prontamente que cores claras, explicando o porquê dos apicultores usarem roupas brancas. Reações de hipersensibilidade ocorrem como resultado de uma ou poucas picadas e não são relacionadas à toxicidade do veneno, sendo que uma estimativa revela que 0,5% a 2% das pessoas são consideradas hipersensíveis ao veneno da abelha, vespas e formigas, e 40 pessoas morrem a cada ano devido a picada. Resposta fatal a uma simples picada tem sido relatada em cães.

Nome: Soldados do Exército (Eciton burchellii)


Local: Bacia Amazônica. Há outras subfamílias que vivem na Ásia e na África

Porque você deve ter medo dela: Elas são conhecidas por desmantelar qualquer coisa que aparecem no seu caminho, independente da sua dimensão. Elas também são completamente cegas.

As Formigas de Exército são especialistas na arquitetura orgânica. Para uma boa colônia, as formigas usam os seus próprios corpos vivos para construir qualquer estrutura concebível necessária, amontoando-se uma em cima da outra, para criar paredes protetoras e tetos contra a ação do tempo e pontes para cruzar obstáculos. Sendo assim, tem alto poder de destruição.

Nome: Berne


Local: A maioria das espécies encontradas na América Central e do Sul, algumas espécies encontradas em todo o mundo.

Porque você deve ter medo dela: As larvas das moscas da família Oestridae são conhecidas como berne. Há dúzias de variedades destas moscas, elas são altamente adaptados para viver em animais. Cada uma delas tem ciclo reprodutivo diferente, todas entretanto, usam a carne viva como hospedeira.

A mosca “Estômago de Cavalo”, por exemplo, põe os seus ovos na grama. Os cavalos comem a grama e os ovos. Estes se incubam no calor da boca do cavalo.

As larvas podem crescer em qualquer lugar do seu corpo, somente dependendo de onde os ovos estejam, que pode ser no seu canal lacrimal ou no seu cérebro.

CONTINUE LENDO

Conheça o fantástico filho do vento: Cody Paul

Pessoal, fiquei de queixo caído quando ví este vídeo. O nome da fera é Cody Paul, ele tem 13 anos de idade e é visto como uma das grandes promessas do soccer, o futebol americano!

Duas jogadas me chamaram atenção: uma sequência de dribles, que deixou os adversários de joelhos e o lance em que metade do time vai em cima dele.

Dica do meu amigo Fábio, que o entitulou: Filho do Apodi. [risos]

CONTINUE LENDO

Os campeões de rejeição de todas as edições do BBB

1. ALINE

Caída de pára-quedas no programa graças a um sorteio da Telemar, a “Madame X-9” *, foi assim que Aline foi apelidada pela prória Rede Globo na edição do BBB 5. Rainha da traíragem e capacho do Doutor “Gê”, obteve o recorde de rejeição de todas as edições Big Brother mundial, isso mesmo, Recorde MUNDIAL. Encarou um paredão com a linda e adorada Grazi Massafera. Conclusão: exterminada do programa com 95% dos votos.

* Em São Paulo X-9 é uma escola de samba, mas no Rio de Janeiro, cidade sede da Rede Globo, X-9 é um “carinhoso” apelido dado às pessoas alcaguetes, falsas e sem moral.

2. FELIPE COBRA

Quando nesta edição o então líder Diego colocou o brother Felipe no paredão, toda a casa caiu em cima do Alemão. Na verdade, foi depois disso que a casa se voltou contra o triângulo. Mas os jogadores levaram a pior, o público acabou saindo em defesa do trio de loiros e eliminou Cobra com 93% dos votos.

3. DOUTOR G

Fora do reality show, o brother Rogério também levou a pior. Depois liderar todos os complôs da casa, nem pacientes mais o médico conseguia. Como ele seus comparsas foram acusados de homofobia na época, além de todo o resto, na hora do embate contra Sammy, Doutor G saiu com 92% dos votos dos telespectadores.

4. AIRTON

Será que o apelido do brother em questão justifica a rejeição? Bem, fato é que o moço ficou conhecido pelos colegas de confinamento como Malairton. Jogando ao lado de Alberto e Cobra contra Diego na sétima edição, o BBB não se deu bem na berlinda com Diego e foi eliminado com 91% dos votos.

5. FANI

Faninha, que em tese estava no grupo dos não jogadores do BBB 7, não foi vista exatamente assim. Com suas nóias em síndromes de pré-paredão, a sister arrumou confusão até com a melhor amiga Íris. Além disso, era ela que estava entre o romance não concluído de Diego e Siri. Resultado: contra Diego, ela saiu com 89% dos votos.

6. NATÁLIA

A edição cinco do BBB foi campeã de quebra de índices de rejeição. Uma das mais preocupadas em ser aceita, tanto pelos confinadas, como pelo público, foi também uma das mais rejeitadas. Com 88% dos votos, a Vj foi eliminada quando disputou a preferência ao lado do grande vitorioso Jean.


7. GIULIANO

Melhor amigo de Natália dentro do BBB 5, o goleiro Giuliano foi o primeiro a bater recorde nesta edição. Giu enfrentou na berlinda contra pernambucana Tati Pink, e não deu outra: com 87% dos votos foi eliminado da disputa de um milhão de reais.


8. ESTELA

A primeira a desagradar em boa dose o público foi a videografista Estela, do grupo do quarto azul da primeira edição do reality. Ela foi a sétima eliminada da casa quando enfrentou o vencedor Kléber Bambam. No embate com o vendedor de côco, a sister saiu com 85% dos votos.


9. ZULU

Zulu conseguiu se manter durante oito semanas no confinamento global. Ao longo do jogo, o brother enfrentou outros dois paredões antes de ser eliminado… Mas, quando a casa o mandou para a berlinda com Solange, não teve jeito, e 80% dos votos o colocaram para fora da casa.

10. SOLANGE

Se em uma berlinda a sister levou a melhor – e graças ao índice de rejeição de Zulu, ela se manteve na casa – quando Sol enfrentou a recordistas de paredões, Juliana, precisou se despedir de acordo com a vontade de 79% do público. Nesse tempo na casa, a cantora de Iarnuou, protagonizou o barraco com Marcela.

Dica do Samuca, via Acidez Mental
CONTINUE LENDO

A evolução das logomarcas das grandes empresas

O primeiro logotipo da Apple foi um complexo quadro de Isaac Newton sentado embaixo de uma macieira. Foi desenhado por Ronald Wayne, que, juntamente com Wozniak e Jobs, fundaram a Apple Computer.

Rumores dizem que a mordida no logotipo da Apple é uma referência a Alan Turing, o pai da moderna ciência da computação que cometeu suicídio por cianeto comendo uma maçã.

Em 1930, Goro Yoshida e seu criaram a Precision Optical Instruments Laboratory, no Japão. Quatro anos mais tarde, eles criaram sua primeira câmera, chamada de Kwanon, uma deusa asiática. O logotipo incluia uma imagem de Kwanon com 1000 armas e chamas.

O primeiro logo do Google foi criado por Sergey Brin. Mais tarde, uma exclamação foi incluída, para copiar o Yahoo! Em 1999, um professor da “Stanford’s Consultor Art” chamado Ruth Kedar desenhou o logotipo do Google que a empresa usa hoje.

O logo da IBM sofreu grandes mudanças durante a existência da empresa. Hoje o logotipo inclui letras com listras horizontais para sugerir “velocidade e dinamismo”.

Em 1987, Scott Baker projetou a chamada “Pac-Man Logo” para a Microsoft. Em 1994, a Microsoft introduziu um novo slogan: “Onde você quer ir hoje?” como parte de uma campanha publicitária de US$ 100 milhões.

Em 2002, Dave Hyatt e Blake Ross criou um navegador “open-source”, que finalmente se tornou o Mozilla Firefox. Inicialmente, ele era chamado Phoenix, mas enfrentaram problemas com a marca e foi mudado para Firebird. Novamente, o nome substituto teve problemas com um outro software existente no mercado. Pela terceira e última vez o navegador foi nomeado: Mozilla Firefox.

A Xerox é outra empresa que vem investindo na mudança de marca. Após várias alterações, em 2008 ela tentou se afastar definitivamente da imagem de que é apenas uma empresa de máquinas fotocopiadoras e adotou um novo logotipo. A boa notícia é que as pessoas não pensam somente nas copiadoras quando vêem o novo logotipo. A má notícia é que eles pensam inicialmente em uma bola de praia.

[ FONTE ]

CONTINUE LENDO

Garotinha pode morrer de susto apenas assistindo a um filme assustador

A hiperbólica expressão “morrer de susto”, infelizmente é uma realidade para Jennifer Lloyd. A inglesinha de 10 anos tem uma doença raríssima: ela é uma das seis pessoas que já foram diagnosticadas com o mal no mundo. Trata-se da síndrome poliglandular de Addison. Trocando em miúdos: Jennifer fica doente sempre que é submetida a uma situação de medo, surpresa ou choque. Dependendo da situação, a doença pode levá-la à morte, segundo informações do Daily Mail.

Jennifer não produz adrenalina em resposta a uma situação alarmante ou a qualquer forma de estresse físico ou psicológico. Em vez disso, o corpo entra em choque e seus órgãos podem entrar em falência.

Quando está assistindo a TV, a menina é monitorada o tempo todo pelos pais. Quando percebem que o programa encaminha para uma situação de risco para a filha, elas a retiram da frente do aparelho.

Descoberta em 1855 pelo médico Thomas Addison, a doença afetava o presidente dos EUA John F. Kennedy.

Jennifer também sofre com problemas nos rins e no estômago, como resultado da complexa gama de medicamentos que precisa usar diariamente para ajudar a gerir o seu corpo.

Seus pais são portadores de um kit de emergência para prestar atendimento de emergência quando necessário.

A família de Jennifer já iniciou uma campanha para angariar fundos para o estudo da doença.

Via Fernando Moreira

CONTINUE LENDO