Presente de Natal de adolescente afunda na areia

Com 18 anos de idade, Sam Hamilton só queria aproveitar seu presente de Natal, um Fiat Punto, mas infelizmente acabou passando um Reveillon nada agradável.

Segundo o Daily Mail, Hamilton tinha recebido seu carro havia apenas cinco dias. Segundo ele, nunca poderia imaginar que o carro afundaria. Em pânico, Sam telefonou para a polícia e com uma empresa para tentar retirar o carro da areia, mas a falta de dinheiro não permitiu: “eu entrei em contato com uma empresa, que disse que custaria £ 60, mas eu e meus amigos só tinhamos £ 25”.

Por fim, Sam lembrou de acionar a companhia de seguros, mas não chegaram à tempo. As ondas danificaram todo o carro, o teto estava retorcido e o carro encontrava-se semi-enterrado.

Sam terá que se acostumar a andar novamente sem carro, pois o seguro que ele havia contratado somente dava cobertura para danos contra terceiros, fogo, roubo e danos pessoais.

CONTINUE LENDO

Encontrado o autor do "esqueleto gigante"

Um dos mais famosos hoax da história da internet foi definitivamente explicado.

Tudo começou em 2004, quando a foto começou a circular em e-mails do mundo inteiro, dizendo que ela retratava a descoberta do esqueleto de um humano gigante, feito pela National Geographic. O boato tomou proporções mundiais depois que diversos veículos da mídia, como o Hindu Voice, da Índia, que diz que a NatGeo, em conjunto com o exército indiano, desencavou um esqueleto de gigante humano na Índia, começaram a divulgar a notícia como sendo verdadeira.

Estava instaurado o caos nas caixas de e-mail da National Geographic – todos queriam saber maiores detalhes sobre a descoberta. Por uma questão lógica, logo percebeu-se que foto era “fake”. Ela não passa de uma montagem feita pelo mais tradicional site de montagens, o Worth1000, que escolheu a montagem feita por IronKite (que até então era um ilustre desconhecido) como uma das melhores na categoria “Anomalias Arqueológicas 2”.

Segundo o próprio IronKite, mestre em montagens ele não tem nada a ver com a divulgação do boato e afirma que dá boas risadas “quando alguém vem me dizer que conhece alguém que esteve lá ou até mesmo afirmam que viram tudo, inclusive o momento em que tiraram a foto”.

IronKite explicou como fez a famosa montagem: inicialmente a foto mostrava uma imagem aérea de uma escavação de um mastodonte em Nova York. Em seguida, ele sobrepôs um esqueleto humano sobre o esqueleto original. Logo em seguida ele colocou um homem cavando, que tem um detalhe – ele segura uma pá sem ponta. IronKite explicou que originalmente a pá estava completa, mas após a sobreposição das imagens ficou parecendo muito falsa. Ele então resolveu apagar a ponta da pá e mesmo assim ninguém percebeu.

O boato está explicado no site da NetGeo.

CONTINUE LENDO

Super-herói na vida real

Ben Underwood, teve seus globos oculares removidos quando ele tinha três anos de idade por causa de câncer. Não obstante, é impressionante a quantidade de coisas que o garoto faz, orientado apenas pelos sons à sua volta. O vídeo está em inglês, mas dá para sacar direito as coisas. Aparentemente ele é uma das poucas pessoas do mundo que conseguem se orientar usando algum tipo de sonar. Bem, sem piadinhas infames, é ver para crer.

CONTINUE LENDO

Descubra se você é uma pessoa observadora

Daniel Simons, professor na Universidade de Illinois, propôs o seguinte teste: num vídeo, dois grupos formados por 3 pessoas passarão 2 bolas de basquete entre si; o grupo de preto só entre os de preto e o grupo de branco só entre os de branco. Você deve prestar atenção no pessoal de branco, pois o teste pede que você saiba quantas vezes o grupo de branco passou a bola um para o outro, ou seja, os vestidos de preto estão ali para te confundir.

Depois de assistir, você deve responder uma das alternativas que ficam logo abaixo do vídeo. Você será encaminhado para uma nova página que lhe informará uma coisa que lhe pode ser muito interessante e curioso.

Mas lembre-se: o teste só vale para a primeira vez que você assistir. Recomendo que você espere-o carregar antes de começar a análise. Não se preocupe, não é aquelas pegadinhas de aparecer um rosto horrível para lhe pregar um susto.

Então, comenta… você também foi enganado?

Via Putz

CONTINUE LENDO

Os melhores comerciais de tecnologia de 2007

Dale Dougherty, editor da revista online Make, fez uma seleção dos melhores comerciais relacionados a produtos de tecnologia de 2007. Alguns dos vídeos foram veiculados na TV, outros são banners animados e ainda estão listadas paródias feitas por fãs, que também fizeram muito sucesso. Confira.

1. Comercial mostra uma jovem bonita, representando o Wii, e uma inteligente, como o PS3. VEJA
2. Propaganda tenta mostrar a ‘verdade’ na publicidade. VEJA
3. Musical é uma sátira contra a publicidade. VEJA

4. Comercial do game Halo 3 mostra uma guerra entre soldados de brinquedo. VEJA
5. Comercial da HP se passa entre o mundo real e o virtual. VEJA
6. Com uma técnica inovadora, o comercial da Apple utiliza dois banners que interagem entre si. VEJA

7. Comercial feito pela Microsoft mostra o encontro de um publicitário com uma consumidora. VEJA
8. Comercial da Dell mostra mulheres construindo uma máquina. VEJA
9. Personagem violento de GTA vira mocinho em comercial da Coca. VEJA

10. Peças de um carro da Honda são usadas para criar um efeito em cadeia de desenho animado. VEJA
11. iPhone é triturado em liquidificador. VEJA
12. Menina constrói nave para ir ao Pólo Norte. VEJA

13. O game Assassins Creed mostra impressionante realismo. VEJA e veja um making of aqui
14. Em um pódio, o PC pede para que as pessoas não desistam do Vista. VEJA

[ FONTE ]

CONTINUE LENDO

Banco Imobiliário terá versão com cartão de débito

O tradicional jogo Banco Imobiliário, ou Monopólio, finalmente ganhou uma edição digna do século 21! A mais nova versão lançada pela Hasbro elimina o uso do dinheiro de papel e vem com cartões de débito e com um banco eletrônico.

Com o Monopoly Here and Now Electronic Banking Edition cada jogador recebe um cartão de débito e então é só passar o cartão no banco eletrônico, que parece uma calculadora, para pagar aluguel, multas ou comprar propriedades, sem trabalho e eliminando o banqueiro, que ficava organizando aquela montanha de dinheiro!

O Banco Imobiliário[bb] eletrônico vem com peças novas: um Segway, uma latinha de balas Altoids, um Ônibus Espacial, uma TV de tela plana, um boné de Baseball e um cachorrinho em uma cesta. As propriedades também tiveram os preços aumentados.

O Monopoly Electronic Banking está em pré-venda na Entertainment Earth por US$39,99 com entrega prevista para janeiro de 2008.

Fonte Blog de Brinquedo.

CONTINUE LENDO

Saiba o que fazer para cuidar bem dos eletrônicos

Os brasileiros cuidam mal de seus aparelhos eletrônicos, e disso nenhum especialista discorda. Um novo levantamento avançou ao mapear os erros mais cometidos nesse campo.

Saiba como cuidar bem dos seus aparelhos.

1. Impressora

Quanto tempo dura: cinco anos
O que os especialistas sugerem para prolongar esse tempo:

• Cobrir sempre a impressora com a capa plástica. Esse é um cuidado que quase ninguém toma, mas ajuda a evitar algo prejudicial e tão comum na ausência da proteção: por meio das brechas, migalhas e poeira se infiltram na máquina e entram em contato com a parte eletrônica. Ali alojadas, tais partículas funcionam como obstáculos invisíveis, impedindo que o cartucho deslize livremente sobre o trilho – o que desgasta a impressora a médio prazo

• Recarregue o cartucho apenas numa das lojas da empresa que o produziu. Só ela tem a tinta que se encaixará perfeitamente àquele cartucho – e, por isso, o deixará no peso previsto para a impressora. Uma sobrecarga de alguns poucos miligramas exigirá esforço adicional da máquina

Quanto tempo de vida a impressora ganha com tais medidas: um ano

Dica na hora de comprar: dar preferência aos modelos a laser – e não àqueles que funcionam com jato de tinta. Sim, eles são três vezes mais caros, mas, em compensação, duram tão mais que, feitas as contas, saem pela metade do preço

2. DVD

Quanto tempo dura: cinco anos
O que os especialistas sugerem para prolongar esse tempo:

• Antes de colocar o disco, limpá-lo sempre com uma flanela. O objetivo é eliminar as partículas de pó que invariavelmente se acumulam sobre ele – e podem arranhar o leitor óptico, tal é a sua fragilidade

• Ao botar o disco sobre a bandeja do aparelho, evitar apoiar-se sobre ela. Qualquer peso a mais fará mudar sua inclinação, ainda que isso seja imperceptível. Nesse caso, o leitor óptico será mais exigido

• Evitar os discos pirateados. Na comparação com os demais, eles não são tão planos nem têm o furo tão centralizado. Resultado: com as cópias, o leitor óptico precisará despender o dobro do esforço para fazer o disco tocar

Quanto tempo de vida o DVD ganha com tais medidas: dois anos

Dica na hora de comprar: escolha os modelos de tamanho convencional, e não os mini-DVDs. Apesar de custarem a metade do preço, deformam-se com facilidade sob temperaturas mais altas, uma vez que são feitos de plástico frágil

3. Televisão

Quanto tempo dura: vinte anos
O que os especialistas sugerem para prolongar esse tempo:

• Evitar deixar a TV ligada num único canal, sobretudo naqueles que trazem o logotipo da emissora no canto da tela. Com uma imagem parada por muito tempo no mesmo lugar, pode ocorrer um processo químico por meio do qual o calor que incide sobre a tela, em geral rica em fósforo, faz estampar nela o tal símbolo. A marca será permanente

• Não instalar a TV num lugar em que bata muito sol. O calor provoca um efeito fotoelétrico que resulta em manchas na tela

• Nunca apoiar o dedo sobre a tela, uma vez que é grande a possibilidade de ela ficar riscada, tal sua fragilidade. No caso dos aparelhos de LCD, o toque pode ainda provocar a quebra das células de cristal líquido, que, por sua vez, perdem a capacidade de emitir luz – e deixam a tela com menos brilho

Quanto tempo de vida a televisão ganha com tais medidas: um ano e meio

Dica na hora de comprar: sempre testar a TV na loja para procurar, com lupa, eventuais pontos coloridos na tela. É comum acontecer

4. Celular

Quanto tempo dura: quatro anos
O que os especialistas sugerem para prolongar esse tempo:

• Cultivar o hábito de recarregar a bateria do celular apenas quando estiver zerada. Do contrário, ela naturalmente se reprogramará de modo a carregar-se apenas em parte, mesmo que esteja 100% vazia. Em suma, a bateria passará a ter uma duração menor

• Não abusar do recurso vibra- call nem da iluminação do visor. Juntos, eles consomem 30% mais bateria. Normalmente, baterias de celular são recarregadas cerca de 1000 vezes até não funcionar mais. Com o uso regular de tais recursos, seu tempo de vida será abreviado

• Usar o celular sempre com capa. Ela suaviza o impacto numa eventual queda do aparelho, o que impede que as células de cristal líquido do visor se rompam – e ele não se ilumine mais

Quanto tempo de vida o celular ganha com tais medidas: um ano e meio

Dica na hora de comprar: procurar baterias à base de lítio, de tecnologia mais avançada do que as de cádmio – e que, portanto, duram mais tempo sem precisar ser carregadas

5. Ipod

Quanto tempo dura: quatro anos
O que os especialistas sugerem para prolongar esse tempo:

• Instalar a versão mais nova de software disponível para aquele modelo. Ela é sempre um avanço em relação à antecessora porque vem blindada contra os vírus que já foram mapeados no passado

• Nunca deixar o aparelho exposto ao sol. Sua bateria logo descarregará e, quanto mais vezes ela precisar ser preenchida, menor será seu tempo de vida. A bateria de um iPod pode, afinal, ser recarregada até 500 vezes

Quanto tempo de vida o iPod ganha com tais medidas: um ano

Dica na hora de comprar: as cópias só lembram o original na aparência. Elas não costumam ultrapassar um ano de uso sem quebrar – quatro vezes menos tempo, portanto, do que os verdadeiros.

Fonte: VEJA

CONTINUE LENDO

Dez tecnologias em vias de extinção

Todas as tecnologias estão condenadas a ser substituídas num dado momento por outras mais avançadas que executam a mesma função de forma mais eficiente e barata. Algumas demoram anos para nos deixar, enquanto que outras podem desaparecer das lojas em poucos meses ou ficar abandonadas em algum canto da casa acumulando poeira durante anos. O que vocês verão abaixo é uma compilação dos candidatos ao desaparecimento, realizada por PABLO FERNÁNDEZ do jornal 20minutos.es, que vive na Europa uma realidade um pouco diferente da nossa.

1. O fax

O número do fax ainda continua presente em muitos cartões de visita e na seção de contatos de vários sites, mas a sua utilização é cada vez menor. Ele é lento, incômodo e mais caro do que o e-mail. Mesmo assim, o e-mail ainda precisa mostrar que ele é capaz de substituir uma tecnologia que começou a ser utilizada no início do século XX. O seu desaparecimento contribuirá para a popularização das máquinas multifuncionais, que incluem scanners, e para o crescimento da consciência ecológica da população, além de contribuir para a popularização das imagens de alta qualidade, algo com o qual o homem moderno está cada vez mais acostumado. Pouco tem a fazer estes faxes borrados contra um scanner em alta resolução.

2. As fitas

Seja realista. Você nunca vai digitalizar aquele amontoado de fitas de vídeo e cassetes que estão há alguns anos comendo poeira embaixo da sua televisão. Será que alguém já parou pra pensar na quantidade de filmes e músicas que ficaram presos nos antigos formatos? No entanto, são poucos os que não colocaram na sala um reprodutor de CD ou DVD e hoje nem sequer estes formatos têm a sua sobrevida garantida. Os discos rígidos já chegaram.

3. CDs e DVDs

Os discos são o suporte de gravação e reprodução mais popular do momento, mas os aparatos multimídia baseados em discos rígidos, e na própria Internet, continuam ganhando terreno. Fazer o download de um arquivo é mais cômodo do que se cadastrar na locadora da esquina, e uma vez que a música, ou o filme, esteja no computador é muito mais fácil copiar e colar o arquivo num reprodutor baseado em disco rígido do que tentar gravar o arquivo num CD. Além disso, o preço por megabyte é muito mais barato no caso dos discos rígidos. E se falarmos sobre os reprodutores portáteis não existe comparação: os discmans já não são mais tão vistos e o mercado da música portátil hoje está dominado por reprodutores baseados na memória flash, como o iPod.

4. A televisão analógica

A televisão analógica está correndo sério risco de extinção devido ao avanço do cabo e dos satélites. Na Espanha, por exemplo, a data para a paralisação deste sinal já foi anunciada e fixada por Lei. Com a chegada da Televisão Digital Terrestre o padrão analógico deixará de existir, segundo um calendário do governo espanhol. A data prevista para a paralisação total das transmissões analógicas é 3 de abril de 2010.

5. Os telefones fixos

Dê uma olhada na sua conta de telefone e responda três perguntas: Esta é uma fatura de uma companhia de telefonia fixa ou móvel? Que tipo de ligação você faz mais, a primeira ou a segunda? Com base nisso, qual das duas tecnologias, na sua opinião, está condenada a desaparecer? Os paises em vias de desenvolvimento encontraram na telefonia móvel uma maneira de se estabelecer uma rede de comunicação mais acessível do que o custo do fio de cobre. 61% dos usuários de telefones celulares estão nos países em desenvolvimento, que é onde mais cresce o número de linhas: somente na China e na Índia foram registradas mais de 200 milhões de assinaturas no primeiro trimestre de 2007.

6. Os monitores de tubos

“Quando eu era jovem os televisores tinham *****”. Quando você pronunciar esta frase diante dos seus netos eles vão pensar que você está falando de outra coisa, mas você se lembrará claramente quando o tubo do monitor comia metade da sala e outro tanto do escritório. O barateamento das tecnologias de plasma e LCD está provocando uma migração gradativa para os televisores e monitores planos, uma tendência que também contribui para reduzir o tamanho das lojas hoje em dia. O preço dos televidores “bundudos” está desmoronando, mas os consumidores não têm mais olhos para outra coisa senão para as finas e estilizadas formas das novas tecnologias.

7. O modem de 56Kbps

“Piiiiiiiiiiiiiiiiiiiii Pi Piiiiiiiiiii Piririririririiiiiii”. Este som nos transporta aos primeiros anos de Internet, onde se conectar era um completo exercício de paciência, devido às velocidades que o invento atingia. Você ainda não sabe sobre qual aparelho nós estamos falando? O modem de 56kbps é o dispositivo que ficava entre o computador e a linha telefônica e que na atualidade não permite que você desfrute de serviços como YouTube sem que você fique completamente enlouquecido.

8. As máquinas fotográficas com filmes

As câmeras analógicas desapareceram das vitrines e quase nada me faz lembrar quando foi a última vez que revelei um rolo de filmes. Para 2010 o setor espera vender 104 milhões de câmeras digitais, transformando em piada as vendas de câmeras de filmes.

9. Os cabos

Isso pode parecer mais um desejo do que uma realidade, pois os cabos ainda estão longe de deixar as nossas casas, mas não me neguem a idéia de que estamos avançando neste campo. As tecnologias sem fio Bluetooth e o Wifi libertaram nossos computadores, teclados, mouses e telefones de boa parte dos fios que enfeitavam a mesa de trabalho e com a conversão dos nossos aparelhos multimídia para digital, logo será possível unir a televisão com o vídeo ou o console sem a necessidade de tanto fio.

10. O disquete

Mas ele já não estava morto e enterrado? Sim, já faz tempo que os computadores vendidos não vem mais acompanhados de disquetes, mas apesar disso, e das previsões feitas em 2004 que já falavam a mesma coisa dele e de outras tecnologias, muita gente ainda se recusa a abandoná-los. Então fiquem com ele, mas por favor, façam cópias de segurança em outros suportes para quando o dispositivo morrer de verdade.

[ FONTE ]

CONTINUE LENDO

Saiba porque devemos consumir os produtos dentro do prazo

A falta de hábito de conferir a data de vencimento dos produtos é pior no Brasil, segundo os especialistas. Apesar de o prazo vir estampado – por exigência da lei – na embalagem de remédios, bebidas, cosméticos, produtos de limpeza e alimentos industrializados, muita gente ignora solenemente a informação.

Veja abaixo alguns exemplos de produtos, validades e riscos.

1. ÁGUA MINERAL

Prazo de validade: oito meses (com gás) e um ano (sem gás)
Por que evitar o produto depois disso: a água pode estar contaminada por bactérias. Às vezes, elas causam problemas gastrointestinais, como a diarréia. Em casos bem mais raros, prejudicam o sistema nervoso. O que determina a validade da água, afinal, é a duração da embalagem – e não a da bebida. Depois da data-limite, a garrafa de vidro pode ficar menos vedada e a de plástico está mais sujeita a sofrer ranhuras praticamente imperceptíveis. Parece detalhe, mas é justamente por meio de tais brechas minúsculas que as bactérias eventualmente conseguem infiltrar-se, infestar o líquido e causar danos à saúde de quem o consome. Outro aviso: depois de vencida, a água perde pelo menos 10% do gás.

2. REFRIGERANTE

Prazo de validade: em lata, três meses (as versões diet e light) e seis meses (a tradicional). Em garrafas pet, dura a metade do tempo
Por que evitar o produto depois disso: primeiro, porque a embalagem pode estar danificada, o que facilita a proliferação de bactérias na bebida. Segundo, pela possibilidade de o açúcar contido no refrigerante ter fermentado. Em ambos os casos, o mais comum é a ocorrência de diarréia. É bom saber ainda que o líquido terá perdido até 15% do gás e iniciado um processo de oxidação que lhe rouba parte do aroma e do sabor. Em suma, o refrigerante estará insosso. As versões diet e light vêm com validade ainda mais curta por causa do aspartame: ele não só perde sua capacidade de adoçar como deixa gosto amargo na bebida

3. PÃO DE FORMA

Prazo de validade: de oito a doze dias
Por que evitar o produto depois disso: os estudos indicam que ele pode causar toda sorte de danos à saúde – de diarréia a (bem mais raros) problemas no sistema nervoso. A razão: o pão vencido está mais vulnerável à proliferação de fungos, aqueles que deixam sobre a superfície do alimento manchas esverdeadas e costumam infestá-lo de toxinas nocivas. Há ainda prejuízos ao paladar: o pão fica mais seco e seu gosto, puxado para o amargo

4. MOLHO DE TOMATE (em lata)

Prazo de validade: dois anos
Por que evitar o produto depois disso: os riscos à saúde vêm da embalagem. Vencida, a lata de alumínio está mais propensa a danificar-se – e deixar de garantir a vedação necessária ao molho.

Por meio de pequenas brechas, podem mesclar-se à receita fungos e bactérias causadores de diarréia e alergias. Com ferrugem na lata, a situação piora: ainda que remoto, há risco, sim, de se contrair botulismo (envenenamento alimentar que pode levar à morte). Depois de aberto, o produto deve ser consumido em até cinco dias mesmo (como pede o fabricante), sob o risco de tornar-se uma colônia de microrganismos. Mais um aviso: molho de tomate que passa do tempo sofre um processo de oxidação que lhe rouba cor, sabor e aroma

5. REMÉDIO

Prazo de validade: dois anos
Por que evitar o produto depois disso: os medicamentos perdem o efeito gradativamente depois que passam do prazo, até, enfim, deixarem de surtir resultado. A experiência dos pronto-socorros mostra que não são raros os casos de intoxicação por meio de um remédio vencido. Normalmente, as pessoas sofrem de diarréia e dor de cabeça, mas, em situações extremas, podem até ser vítimas de infecções generalizadas

6. DESINFETANTE

Prazo de validade: dois anos (se levar cloro na fórmula, cai para seis meses)
Por que evitar o produto depois disso: os especialistas dizem que as pessoas costumam prestar mais atenção na data de validade dos alimentos do que na de produtos de limpeza, como o desinfetante. O que elas não sabem é que, uma vez vencidos, eles perdem 100% da eficácia. Isso mesmo: passam a ter efeito nulo. Como o desinfetante se presta a eliminar bactérias que podem prejudicar a saúde, não tenha dúvidas ao descartar um produto já expirado – e comprar um novo

7. CREME HIDRATANTE

Prazo de validade: dois anos
Por que evitar o produto depois disso: o creme não oferece mais benefício nenhum – e às vezes faz mal à pele. A origem do problema é o conservante, que, vencido, deixa de atuar em duas frentes: na manutenção da fórmula original e na proteção do creme contra a invasão de microrganismos.
É justamente por essa razão que um creme velho tem mais probabilidade de ser infestado por bactérias, que podem causar coceiras e lesões na pele. Os especialistas avisam ainda que cosméticos do gênero exalam cheiro de “manteiga rançosa” e perdem sua textura original, quando passam do tempo. Ficam líquidos ou sólidos demais -s e podem piorar o estado da pele

Fonte Veja

CONTINUE LENDO

Caixa eletrônico dá nota de Cruzeiro em vez de Real

Uma auxiliar de hotelaria teve uma surpresa ao sacar dinheiro anteontem em um dos caixas eletrônicos da agência do Banco do Brasil, na avenida Amazonas, região Centro-Sul de Belo Horizonte. Neila Patrícia Alves, moradora do bairro Vila Olga, em Santa Luzia, na região metropolitana, pretendia sacar uma certa quantia e, entre as notas expedidas pelo caixa eletrônico, saiu uma de Cr$ 50 mil (cruzeiros), como se fosse uma cédula de R$ 50. O banco ressarciu a cliente, mas não explicou como o dinheiro sem valor foi parar entre as notas de moeda corrente.

A cédula antiga retirada por Neila tem cores laranja e cinza e traz a foto do escritor e divulgador do folclore brasileiro Luiz Câmara Cascudo. A nota, segundo o Banco Central, teve circulação em um curto período de tempo, entre 1991 e 1994.

A cédula antiga foi trocada por moeda corrente na manhã de ontem pelo gerente da agência. Segundo Neila, ele disse a ela que muitas empresas entregam grandes volumes de cédulas em malotes e, como essa nota é verdadeira, não foi percebida pelo aparelho que faz a contagem das cédulas.

O Banco do Brasil informou ontem, por meio de sua assessoria de imprensa, que todas as notas que circulam no sistema financeiro da instituição são processadas mecanicamente em equipamento com sensor ótico e que está apurando como a cédula antiga foi parar entre as notas do caixa eletrônico. Neila não ficou com a nota. A cédula foi recolhida pelo banco para a apuração dos fatos.

Mercado Livre
Colecionadores de moedas antigas costumam comprar cédulas como a retirada pela auxiliar de hotelaria por valores que variam entre R$ 5 e R$ 10, segundo informações obtidas no site do Mercado Livre.

Criado em abril de 1990, o Cruzeiro substituiu o Cruzado Novo. Em agosto de 1993, a moeda, corroída pela inflação, perdeu três zeros e passou a se chamar Cruzeiro Real, que, nos 11 meses de sua existência, acumulou uma inflação de 3700%. Em julho de 1994, o então presidente Itamar Franco cria o Real. Mas antes da moeda atual entrar em circulação, passou a vigorar uma unidade de conta, não de troca, chamada Unidade Real de Valor (URV), com variação diária.

[ FONTE ]

CONTINUE LENDO

Perguntas que todos fazem e ninguém sabe a resposta

A partir de agora criarei semanalmente um post chamado: “Perguntas que todos fazem e ninguém sabe a resposta”. A decisão de criá-lo surgiu de uma necessidade lógica, são perguntas corriqueiras, que em muitas ocasiões até sabemos a resposta, mas não conseguimos explicar, ou nem mesmo sabemos o que significa e ficamos com vergonha de perguntar.

No post desta semana: Qual a diferença entre MP3, MP4, MP5 e MP6?

MP3:


MP3 é o formato de compressão de áudio que causou uma verdadeira revolução. Arquivos de áudio podem ser convertidos em MP3, com poucas perdas de qualidade (as pessoas “comuns” como eu não conseguem perceber a diferença), ocupando apenas cerca de 10% do espaço de armazenamento necessário para o formato digital do CD de áudio.

O que comumente se chama de “MP3″, ou “tocador de MP3″ são aqueles pen-drives que tocam música e sintonizam rádio FM.

MP4:


O MPEG4 é um padrão de compressão de vídeo, que causou na indústria a mesma revolução que o MP3. Graças ao MPEG4 um filme de uma hora e meia de duração, que no formato de DVD ocuparia quase 5GB de espaço, pode ser colocado em um mero CD de 700MB, com pouca perda de qualidade de imagem. A trilha sonora, em MP3, nem chega a ser relevante em termos de tamanho de arquivo, neste caso.

O “MP4″ da indústria é a versão do “MP3″ acima com uma telinha de LCD, capaz de reproduzir vídeos.

MP5:


Agora começamos a entrar na área do que considero o absurdo da indústria de cacarecos. Considerando que MP é a abreviatura de MPEG, Moving Picture Expert Group, não caberia ninguém exceto o próprio MPEG criar novos padrões e nomenclaturas. Contudo, já criaram por aí o “MP5″, que nada mais é do que o mesmo MP4 acima descrito, mas com câmera digital integrada, capaz de tirar fotos e em alguns casos também filmar. Conheça + e compare preços

MP6:


Se falar em MP5 para referir-se a um tocador de vídeos MPEG4 com câmera digital e rádio FM já me parece absurdo, falar em MP6 então é o cúmulo. Tem agendas de telefones e de compromissos, acessa Internet, roda programas e jogos em Java, envia e recebe e-mails. Conheça + e compare preços

Se você ainda não recebeu seu presente de Natal, ainda está em tempo!

[ FONTE ]

CONTINUE LENDO

E o tempo não pára… já dizia a canção…

Veja o antes e depois de diversas celebridades. Realmente, o tempo é implacável!

Clique para ampliar.

Arnold Schwarzenegger, ex-fisiculturista e ator. Desde Novembro de 2003 exerce o cargo de governador da Califórnia. Talvez isso justifique a forma física atual.

Rod Stewart é conhecido conhecido por sua voz áspera, rouca, exemplificada em sua canção mais famosa, “Maggie May”.

Roger Moore ficou mundialmente célebre por interpretar o famoso agente secreto James Bond por sete vezes no cinema, substituindo Sean Connery.

Richard Gere, ator famoso, conhecido por vários papéis, inclusive Uma Linda Mulher.

David Hasselhoff interpretou Mitch Bucchannon na série Marés Vivas (SOS Malibu – BR) e Mickael Knight na série Knight Rider -1982/1986 (Supermáquina – BR).

Clinton Eastwood, dispensa comentários. Dois dos seus filmes foram premiados com o Academy Awards, ou popularmente conhecido Oscar para melhor filme: Menina de Ouro e Os Imperdoáveis, pelos quais ganhou também o Oscar de melhor diretor.

Pierce Brosnan é outro ex-James Bond.

Dica da Carol, por e-mail

CONTINUE LENDO