Um dos destinos turístico naturais mais perigoso do mundo

Em 1901, os trabalhadores da hidrelétrica de Chorro precisavam de uma passarela para atravessar entre as quedas d’água, para carregar materiais, fazer a vigilância e manutenção do canal. A construção da passarela levou quatro anos e foi concluída em 1905.

Em 1921, o rei Alfonso XIII cruzou a passarela para a inauguração da Represa Conde del Guadalhorce, dando origem ao nome atual.

A passarela já está há muitos anos sem nenhuma manutenção e em avançado estado de degradação, oferecendo grande risco para quem decide cruza-la. Para você ter uma ideia, é necessário caminhar por uma extensão de um metro de largura, que está a mais de 200 metros acima do rio. Quase todo o caminho não possui corrimão.

Algumas partes da passarela de concreto desabaram completamente e tudo o que resta é uma viga de aço no lugar que originalmente era para segurar.

Muitas pessoas perderam suas vidas na passarela nos últimos anos. Após quatro mortes em dois acidentes, em 1999 e 2000, o governo local decidiu fechar as estradas, no entanto, os turistas aventureiros ainda passam por cima da proibição.

Abaixo, você confere um vídeo em alta definição que mostra o nível de risco do local.

O governo regional da Andaluzia orçou um plano de recuperação em 2006, no valor de € 7 milhões.

Mais Postagens
Mais Postagens
Parceiros
Comenta aí, butequeiro!