Vale tudo na hora do sexo?

Que sexo é um assunto polêmico não resta a menor dúvida. A atriz Flávia Alessandra, a “Alzira” da última novela das 8 da Globo, revelou a uma revista feminina que, para ela não há pudores na cama:

“- A gente não precisa trazer à tona o que faz entre quatro paredes. Mas acho que Nelson Rodrigues tinha razão quando dizia que toda mulher devia ser uma dama na rua e uma p*** na cama.

Toda mulher tem que ser despudorada na cama, se não for, o casal se trava, ainda mais hoje em dia que é tudo tão aberto. Mas sei que sou uma minoria. Na nossa sociedade, ainda deve ter muita mulher infeliz, que não sabe o que é gozar, que não tem fantasias realizadas”.

Pensando nisso, listamos algumas práticas sexuais que, à depender dos princípios das pessoas, podem parecer bizarras, para outras, imprescindível.

Espanhola
O que é:
Para quem não sabe (ou não lembra), é o nome dado a uma técnica sexual em que o parceiro aloja o pênis entre os seios da mulher, onde este é estimulado por meio de movimentos constantes, numa espécie de masturbação a dois.

Quando começa a polêmica: Antes de partir para cima da parceira e induzi-la a fazer uma espanhola, é prudente saber se isso não vai constrange-la. Assim como o sexo oral, a espanhola é vista por muitas pessoas como uma prática anti-higiênica. Como em qualquer prática sexual, o sexo oral é mais prazeroso quando as duas pessoas compartilham do mesmo desejo de praticá-lo.

Chupão
O que é:
Embora não seja uma prática sexual, o chupão é um dos assuntos mais polêmicos nas relações amorosas. Ele é o resultado de um beijo ou mordida forte o suficiente para estourar os vasos sanguíneos que estão embaixo da pele, deixando uma marca ou mancha roxa temporária que, à depender da pele, pode durar de 4 a 12 dias.

Quando começa a polêmica: Beijos, mordidinhas leves e carícias são legais e aceitáveis por todo mundo. Entretanto, chupão, com direito a marca, são discutíveis, sobretudo porque deixa evidente ocorrências que nem sempre são interessantes explicitar.

Fisting
O que é:
Também conhecida como Fist Fuck ou Fist fucking, é a prática sexual que envolve a inserção da mão na vagina ou antebraço no ânus do(a) parceiro(a). Isso mesmo, os praticantes afirmam que, embora doloroso, parte do gozo obtido na sua prática está em aprender a apreciar as sensações que são proporcionadas pela distensão do ânus ou vagina.

Quando começa a polêmica: Além de não ser uma prática muito habitual, o Fisting oferece um grande risco aos praticantes. Por apresentar um alto risco de transmissão de doenças sexualmente transmissíveis, é imprescindível o uso de luxas e lubrificação intensa do ânus ou vagina. Além disso, existe um alto risco de infecção bateriana, devido à presença de bactérias embaixo das unhas (ainda que lavadas) e ao redor das cutículas.

Ass-To-Mouth
O que é:
Também conhecido como “do ânus para a boca”, consiste na prática em que o parceiro, após o sexo anal, leva o pênis à boca da pessoa penetrada, realizando sexo oral.

Quando começa a polêmica: Aparentemente é uma prática cada vez mais comum no cinema pornográfico atual. Ela é condenável, segundo médicos por ser anti-higiênica e propiciar riscos de se contrair verminoses e outras doenças bacterianas no praticante oral ativo. Nem precisa explicar porquê, não?

Chuva dourada
O que é:
Também conhecida como “urofilia”, é a excitação associada ao ato de urinar ou receber um jato urinário do parceiro, chegando-se em alguns casos, a beber a urina.

Quando começa a polêmica: Embora nada convencional, a prática é considerada inofensiva, já que a urina de uma pessoa saudável é estéril. Entretanto, existe um risco, se o praticante possuir uma doença ou infecção na uretra, além de eventuais irritações de pele, em indivíduos sensíveis à urina. Ah, o HIV também pode ser transmitido pela urina.

Podolatria
O que é:
é um tipo particular de fetiche cujo desejo se concentra nos pés. O fetichista responde ao pé de uma maneira similar à que outros indivíduos respondem a nádegas ou seios. Mas é de notar que, no caso do podólatra, esse desejo direcionado para uma parte específica do corpo adquire o caráter pronunciado de uma fixação. Alguns podólatras, por causa disso, sentem prazer em ter seus genitais manipulados pelos pés do parceiro até o ponto de atingir o orgasmo e a ejaculação (footjob, em inglês).

Quando começa a polêmica: Não tente enfiar seu pé na boca do(a) seu(ua) parceiro(a) sem saber se ele(a) quer que você faça isso. Lembre-se que, um fetiche só é prazeroso quando as duas pessoas compartilham do mesmo desejo de praticá-lo. Agora, se vocês já estão bem resolvidos, é prudente dar um tratamento especial neles, como fazer massagens, imersão relaxante, uso de hidratantes e cuidado com as unhas.

Fonte: Wiki

Mais Postagens
Mais Postagens
Parceiros
Comenta aí, butequeiro!