Falta de energia mata mulher que vivia em pulmão de ferro

Uma mulher que passou quase 60 anos de sua vida em um “pulmão de ferro”, após ter sido diagnosticadas com poliomielite, morreu nesta quarta-feira depois de uma falta de energia, que acabou desligando a máquina que a mantinha respirando.

Dianne Odell, que contraiu a doença aos 3 anos – dois anos antes da descoberta da vacina – dependia do respirador artificial para mantê-la viva e levar uma vida “normal”. Autora de um livro infantil, Odell não se deixou abater pela deficiência física e conseguiu obter um diploma do ensino médio e vários outros cursos.

Segundo o site Breitbart, durante a falta de energia, os familiares não conseguiram ligar o gerador que mantinha a máquina funcionando em caso de falta de energia. “Nós fizemos o possível, tentamos de tudo, mas não conseguimos fazê-la continuar respirando”, disse seu cunhado, Will Beyer.

De acordo com o Capitão Jerry Elston, a equipe do serviço de emergência da polícia de Madison foi chamada, mas pouco pôde ajudar. Segundo ele, a energia foi cortada, pois uma árvore havia caído sobre as linhas de energia.

Em 2001, em uma entrevista à Associated Press, Dianne disse que queria mostrar para as crianças, especialmente aquelas com deficiências físicas, que eles nunca deveria desistir.

É inevitável imaginar como era a vida desta mulher e da sua família.

Mais Postagens
Mais Postagens
Parceiros
Comenta aí, butequeiro!