Flashmob: A revolução na propaganda

Certamente, você já deve ter visto alguns Flashmobs pela internet. Para quem não associou o nome à atividade, ele consiste na reunião de várias pessoas, que não precisam necessariamente serem amigas, com a mesma finalidade.

Foi com o boom dos blogs e sites de vídeos que o Flashmob ganhou força. Afinal, quem não lembra do clipe feito pela banda Black Eyed Peas com a presença da apresentador Oprah? O movimento foi tão bem planejado, que muita gente sequer percebeu que se tratava de uma combinação entre as pessoas. Poucas vezes se viu um Flashmob tão bem executado. E do vídeo abaixo, onde aparece centenas de pessoas absolutamente imóveis num centro comercial em Berlim?

Curiosamente, segundo a Wikipedia, o Flashmob não é um conceito tão novo. Prisioneiros da Tasmânia teriam reunido-se no ano de 1800, num movimento pouco parecido com o que conhecemos hoje.

O primeiro grande Flashmob foi organizado via e-mail por um jornalista de Manhattan, chamado Bill Wasik. Ele havia mandado cerca de 50 e-mails para amigos, convidando-os para aparecerem em frente a uma loja de acessórios femininos. A intenção era fazer com que os e-mails criassem “asas próprias” e aguçassem a curiosidade de outros leitores, criando um mob anônimo.

Se você tem interesse em participar de um Flashmob, a Club Social criou um site para falar sobre o assunto. Lá, você poderá saber como pode participar do Flashmob, que será realizado em Fortaleza, no dia 27 de fevereiro. Além disso, para quem usa Twitter, o perfil @flash_mobs dará dicas de vídeos sobre o assunto.

Publieditorial

Mais Postagens
Mais Postagens
Parceiros
Comenta aí, butequeiro!