Largados e Pelados, o reality show mais extremo dos últimos tempos

largados_01
Você já ouviu falar na série “Largados e Pelados”? Se nunca ouviu falar, não é exagero dizer que é o reality show mais extremo dos últimos tempos.

Largados e Pelados (Naked & Afraid) é exibido no canal Discovery. Nele, um homem e uma mulher são deixados em um lugar remoto por 21 dias onde precisam sobreviver sem água e comida, tendo que buscar na natureza os recursos para que possam sobreviver e, isso tudo, sem nenhuma peça de roupa.

Mas o que faz de Largados e Pelados um reality show tão extremo? Resposta: o simples fato de que as pessoas são expostas a todo tipo de risco, inclusive de vida.

Os participantes, todos com algum tipo de experiência em sobrevivência em ambientes hostis, precisam lidar com o constrangimento de conviver sem roupas com uma pessoa que nunca viram na vida e dividir com ela decisões que podem mudar as suas vidas físicas.

Antes de um dos episódios, na Costa Rica, o produtor Steve Rankin acabou sendo mordido no pé por uma cobra venenosa. Imagens fortes à seguir.

Ele foi conduzido para um hospital onde recebeu os primeiros cuidados, mas sua recuperação está sendo muito lenta.

Rankin publicou no seu twitter algumas imagens de como ficou seu pé. Após cinco dias, os médicos precisaram remover uma parte da carne do pé para evitar que o mesmo ficasse comprometido.

Num outro caso assustador, Manu Toigo, de 45 anos, foi picada por um mosquito em setembro, durante as filmagens de seu episódio na selva do Panamá.

Num primeiro momento, Manu disse que não se preocupou com a picada, mas quando chegou em Los Angeles, dias depois, começou a sentir muita dor de cabeça e severa dor nos olhos. A dor de cabeça progrediu para uma febre e hemorragias nasais e sangramento nas gengivas.

Os médicos inicialmente pensaram que se tratava de anemia, mas as coisas só pioraram e ela foi forçada a ser internada, onde finalmente a diagnosticaram com febre hemorrágica da dengue – a pior forma de dengue.

largados_02

No mundo, ocorrem mais de 100 milhões de casos de dengue no ano, mas apenas um pequeno número deles evolui para a dengue hemorrágica. E o pior – ainda não há nenhuma droga antiviral específica para a dengue. O tratamento depende dos sintomas, variando desde terapia de reidratação oral em casa com acompanhamento até a internação com a administração de fluidos intravenosos e/ou transfusão de sangue.

Mas se você está se perguntando se ela se arrepende de ter participado do show, ela diz: “Claro que não… esta foi a experiência mais épica que eu poderia ter tido”.

Fonte 1 | 2

Mais Postagens
Mais Postagens
Parceiros
Comenta aí, butequeiro!